Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Delito de Opinião

Uma enorme vaia

Pedro Correia, 25.06.21

img_440x274$2014_09_30_15_15_00_233917.jpg

 

O governo do partido do senhor Ferro Rodrigues proíbe-nos há 15 meses de assistir a jogos de futebol em Portugal e há poucas horas reiterou essa interdição em toda a Área Metropolitana de Lisboa. Alegando motivos sanitários.

Entretanto, o próprio senhor Ferro incentiva os portugueses, proibidos de frequentar estádios em Portugal, a encher um estádio... em Espanha. Por espantosa coincidência, precisamente na zona de Espanha onde existe maior risco sanitário.

 

Obedecendo a fidelidades tribais, há quem bata palminhas a isto.

Da minha parte vai uma enorme vaia.

6 comentários

  • Imagem de perfil

    Costa 25.06.2021

    Enquanto Ferro Rodrigues for quem é na hierarquia do estado (do estado a que isto chegou, de facto), e não consta que o tenham forçado, sob insuportável coacção a sê-lo, é-o em cada instante. Em público, pelo menos. Você, anónimo, esquece-se muito convenientemente deste facto. E não é o único. Mas lembre-se que António Costa o invocou, esse facto, há uns anos para afastar um ministro.

    Bem sei que aqui não estamos no estrito âmbito da hierarquia governamental. Mas estamos no plano dos princípios. Sendo certo que desde então Costa também o esqueceu. Este, pelo menos. Completamente.

    Não se vê onde haja na invocação destes factos a vontade de fuzilar quem quer que seja. A menos que a tanto equivalha pretender, de quem detém por cá vou poder, um módico de decência elementar. Já a leitura do seu comentário gera a sensação de que você tem um espírito de Abril, de facto. Um que antevia com entusiasmo a arena do Campo Pequeno cheia de gente.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 25.06.2021

    Tinha que aparecer uma virgem ofendida! Quem conhece o mundo dos adeptos de futebol sabe que depois dos jogos a lucidez é um estado mental praticamente inexistente, ainda por cima num adepto do Sporting como o Ferro Rodrigues embriagado e de pança cheia por uma overdose de títulos e festejos pouco católicos. Oh senhor Costa dê a costa não seja cabeçudo ou em Sevilha não há Arco Íris?

    Atenção: Este comentário é apenas um apelo ao respeito e a calma, com a devida higienização da linguagem.

    Ana Isabel
  • Imagem de perfil

    Costa 25.06.2021

    D. Ana Isabel, eu suponho que este seu comentário se reporta ao meu imediatamente anterior. Se a senhora pretende enfatizar que o futebol exerce sobre uma parte dos seus amantes um efeito de perturbação mental ao ponto de os privar de lucidez, é uma sua opinião. Absolutamente legítima, aliás, e que - como poderá constatar se se der ao enfado de ler o que ao longo dos anos por aqui tenho comentado - genericamente partilho. O que na matéria nos parece afastar é isso da senhora parecer achar tal estado de demência, mesmo que temporário, absolutamente natural, justificado e desculpável, talvez mesmo de louvar. E eu definitivamente não pensar assim.

    Não pensar assim desde logo quanto ao comum cidadão, a quem nenhuma alegria ou tristeza desportiva (pois que é disso que se trata: de desporto, apenas - e escrever isto em nada memoriza o valor da prática e afeição desportivas -, e não de questões de vida ou morte, de honra ou ruína pessoais) deveria permitir eximir-se impunemente ou com especial tolerância pública a elementares deveres de ordem, respeito, educação, decência. E não pensar assim, e com muito mais severidade, quando em causa estão figuras representativas do topo da hierarquia do estado. Que, insisto, nunca o deixam de ser, mesmo por vezes depois da cessação dos seus mandatos: com o estatuto, seus privilégios, prerrogativas e autoridade vem, deveria vir, acrescida responsabilidade. A tal "gravitas" dos antigos, enfim.

    Quanto ao mais que escreveu, talvez queira fazer o favor de o reformular. Permita-me a observação de que lhe faltará talvez um pouco de clareza.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 25.06.2021

    Senhor Costa,
    com a devida vénia

    Também eu sou levada pela emoção e por vezes troco as gravitas pelas manitas do Cristiano Ronaldo. Não me peça a reformulação, porque pode se assustar com a fabulação ou então chutou para canto. É melhor assim: tudo está bem, quando acaba bem.

    Ana Isabel
  • Imagem de perfil

    Costa 25.06.2021

    "Chutou para canto" deve ser, minha senhora, expressão que, fora do seu significado literal, só a verdadeiros e extremosos amantes "da bola" é conhecida no seu significado. Ora eu, como costumo dizer, em matéria de futebol não fui tocado pela Graça. Será talvez uma lástima, mas é assim.
    Todavia, se acaso a senhora pretendia com isso significar que eu me escusava a um debate, pois tenho a ideia que a expressão está longe de ser panegírico, creia que de todo não é assim.
    Mas se acabou bem, tanto melhor.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.