Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Tudo como as mães, menos celebrar missa

por Rui Rocha, em 09.05.15

Depois de há uma semana ter mostrado ao mundo como se pode instrumentalizar de forma cretina o drama de uma criança para promover uma cruzada, o Padre Portocarrero de Almada decidiu agora dedicar uma crónica ao tema da exploração das mulheres trabalhadoras. O cerne da questão estará, na palavra do bondoso sacerdote, na hostilidade e desconfiança com que as entidades patronais encaram a maternidade. Está bem visto e é verdade. Aliás, se dúvidas houvesse, aí teríamos o exemplo das irmãzinhas dos conventos do Estado do Vaticano que, afastadas que estão da condição da maternidade por chamamento e voto de castidadade, gozam de imediato de uma assinalável paridade de tratamento face aos bispos, arcebispos e cardeais purpurados. Percebe-se assim o notável grito do padre tão pio em favor das mulheres: que as mães possam ser tudo o que quiserem profissionalmente e que as suas filhas possam fazer tudo, como as mães. Tudo menos, naturalmente, celebrar missa.

Autoria e outros dados (tags, etc)


14 comentários

Sem imagem de perfil

De Pio pio a 09.05.2015 às 17:55

Mas podem andar agarradas às velas, calha bem.
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 09.05.2015 às 22:19

Quando calha...
Sem imagem de perfil

De da Maia a 09.05.2015 às 19:00

À Miss Mundo está vedada Missa, tal como ao Papa ser Miss Mundo.
Uma injustiça heterossexual deste mundo.

Este comentário foi patrocinado pela Toca-Tola ©
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 09.05.2015 às 22:18

I saw what you did there...
Sem imagem de perfil

De da Maia a 09.05.2015 às 23:16

Is it a Mess to Miss the Mass?

Hmmm... Carefree about it!
Sem imagem de perfil

De Vento a 09.05.2015 às 19:20

Mermão, cumprimento-o.

Na realidade estamos perante vários dramas, e todos eles resultantes de fundamentalismos. O problema do fundamentalismo é pretender manter a fundamentação numa aparente ordem que gera desordem.

Começando por aquele outro tema: "A cruzada". Presumo que também se refira a esta: "Em consequência, como feras que são, só podemos permitir que se passeiem nas ruas da civilização depois de domesticadas. E, continuava, se quase conseguimos domesticar o cristianismo, o islamismo continua em estado perigosamente selvagem".

Bem, sobre o Charlie Hebdo não acrescentarei mais nada ao que por aqui produzi, a não ser que mantenho tudo quanto disse respeitante ao tema. Não sou fácil de domesticar, apesar de cristão. Aliás, as feras do coliseu de Roma tinham de os comer (aos cristãos), porque não conseguiam domesticá-los. E a outra besta, César, foi vitima de seu próprio veneno.

Deixe-me dizer-lhe que, no que respeita à questão da menina grávida, estamos perante dois crimes: 1 de violação e outro pela morte de uma criança de 5 meses que se gerava no seio materno. O PRIMADO da VIDA é sempre respeitado por quem conhece a Vida e o Viver e não pelos que se deixam levar por emoções gratuitas e falsas aparências civilizacionais. Ninguém tinha o direito a induzir tal acção quer no corpo quer na mente da criança e também na VIDA que se desenvolvia em seu corpo.
A decisão inteligente e humana passaria sempre por acolher a Vida que se gerava e socialmente encontrar-se uma solução. Nenhum médico nem nenhuma entidade e/ou instituição pode ter o poder de decidir sobre a Vida e a Morte. A OBRIGAÇÃO de um médico é SALVAR vidas, quando pode. Quando não pode, se puder, minimiza o sofrimento, mas nunca à conta de uma morte terceira. E as instituições estão aí para acolher essas vidas, se ninguém da família estiver em condições para decidir e acolher.

Estes são os princípios básicos para o tema em apreço. Poderia avançar muito mais, mas creio ser suficiente o que vai exposto.

O mermão parece-me que vê uma religiosa como uma pessoa acéfala, incapaz de decidir por si e de lutar pelo que entende dever optar. Parece-me que o que o incomoda não é a missa que elas não celebram.

A propósito de celebração, convido-o a ler uma reflexão minha ali no post da Teresa.
Sem imagem de perfil

De Vento a 09.05.2015 às 19:40

Aqui tem a referência:

http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/faz-o-que-eu-digo-nao-facas-o-que-eu-7359396#comentarios
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 09.05.2015 às 22:20

Hmm... e mais não digo.
Sem imagem de perfil

De Vento a 09.05.2015 às 22:36

Eu sei, o método da eliminação (e esta eliminação não é só física) é sempre legítimo quando não baralha as "nossas" estruturas e convicções. Hitler também agiu por convicção (e não foi único), em nome da civilização e de uma superioridade moral, racional e racial. E esta outra besta também morreu de seu próprio veneno. E hoje temos muitas bestas à solta.

Quando dizemos para não mais dizer ou não sabemos como dizer ou queremos dizer o que não sabemos.
Sem imagem de perfil

De Vento a 10.05.2015 às 00:30

Se me permite, já que andamos todos em cruzadas, gostaria de deixar alguns pensos numa tentativa de estancar hemorragias a alguns iluminados que andam por este mundo. Pensos (?), hum...

NOTA: MUITO IMPORTANTE - Gostaria de alertar que as pessoas demasiado sensíveis devem evitar abrir estes links.

https://www.lifesitenews.com/news/thats-not-a-baby.-thats-an-abortion-clinic-workers-describe-babies-born-ali

http://www.priestsforlife.org/resources/abortionimages/babymalachi.htm

http://www.priestsforlife.org/resources/medical/suctionexplanation.htm

http://www.priestsforlife.org/images/abortion-images-galleries.aspx

https://www.youtube.com/watch?v=bOwB4mCYdAQ

O Grito Silencioso:
https://www.youtube.com/watch?v=t-ROpeJxKb4
https://www.youtube.com/watch?v=6KJpQU1cufE
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.05.2015 às 14:41

ZZZZZZZZZZZZZZZZ!
ZZZZZZZZZZZZZZZZ!
ZZZZZZZZZZZZZZZZ!
ZZZZZZZZZZZZZZZZ!

Ver a Santa Inquisição e já chega...
Sem imagem de perfil

De Vento a 10.05.2015 às 19:41

Acabei de a ler, ficou no Z. Mas há mais e com bem mais malícia para se legitimar.
Penso que o temporizador necessita de um pouco mais de calibragem.
Imagem de perfil

De Teresa Ribeiro a 11.05.2015 às 15:33

E mai nada!

Comentar post



O nosso livro





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D