Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Tsipras? We don't know him

por Pedro Correia, em 28.07.17

tsipras_left[1].jpg

 

«La politique c'est, avant tout, l'interprétation des réalités

Charles de Gaulle (1958)

 

«Cometi erros... grande erros.»  Numa notável entrevista ao Guardian, o primeiro-ministro grego Alexis Tsipras - outrora «the global pinup of the far-left anti-establishment movement», para usar a saborosa expressão do jornal britânico - faz várias confissões. Estava impreparado ao assumir o poder, em Janeiro de 2015, não soube escolher as pessoas certas, foi confrontado com um panorama ainda mais sombrio do que esperava.

Hoje, com o seu país a registar tímidos progressos na frente económica, o antigo radical de esquerda não hesita em reconhecer que foi correcta a decisão de manter os compromissos assumidos pelo Estado grego perante as instituições políticas de Bruxelas e os pilares financeiros da eurozona - contrariando o que algumas vozes líricas apregoavam então e ainda apregoam por cá. E questiona, acertadamente: «Se abandonássemos a Europa íamos para onde? Para outra galáxia?»

De campeão da retórica anti-austeridade a gestor das mais severas medidas austeritárias de que há memória na Grécia: eis um governante que chegou a contar com uma ruidosa legião de adeptos lusitanos mas nunca mais voltou a ser mencionado nos círculos políticos e mediáticos em Portugal. Há um par de anos, muitos queriam fazer-se fotografar com ele. Hoje apagaram essas fotografias, eventualmente comprometedoras. «As coisas são o que são», costumava dizer o general de Gaulle: nada como a dura realidade para destronar os mitos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


46 comentários

Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 27.07.2017 às 18:37

Tsipras está Maduro. Um oportunista puro e simples. Um mentiroso. Um vendido. Um maoísta?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.07.2017 às 20:39

Tsipras é mais verde que Maduro. Desde logo por ser adepto do Panathinaikos, que equipa de verde.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.07.2017 às 18:37

Não consigo perceber tantos textos sobre Tsipras.
A Grécia lá segue o seu caminho e, que se saiba, sem grandes convulsões.
Será que alguém quer, à força, fazer da Grécia uma Venezuela?!
Se a intenção for essa, sempre lembrarei que tal constituiria um verdadeiro parricídio.
João de Brito
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.07.2017 às 20:41

Eu, pelo contrário, não consigo perceber tão poucos textos actuais sobre Tsipras. Como se o homem tivesse desaparecido e já não fosse governante da Grécia, esse país que em 2015, segundo personalidades como Ana Gomes, Rui Tavares e Boaventura Sousa Santos, seria o novo farol da Europa.
Sem imagem de perfil

De Jo a 27.07.2017 às 18:53

São giras as notícias de melhorias na Grécia. Nunca dão nada sólido.
Mas é preciso dizer que este é o caminho certo.
Daqui a dois meses não conseguem pagar outra tranche. A UE empresta dinheiro contra uma maior degradação da situação na Grécia e os nossos xamãs dizem que esse é o caminho.
A menos que corram liminarmente com a Grécia para não terem nada a ver com os refugiados que lá estão.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.07.2017 às 20:24

Você é daqueles que já apagou a 'selfie' com o camarada Tsipras? Lamento muito. Arranje outro herói.
Sem imagem de perfil

De jo a 29.07.2017 às 14:27

Não, não tenho selfies, mas também acho que fazer uma altar aos santinhos do Schäuble e do Dijsselbloem é capaz de ser demais.

Sobretudo tendo em conta os resultados da sua política.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 29.07.2017 às 15:29

Pergunte ao camarada Tsipras, seu ex-ídolo de estimação. Está em excelente posição para lhe responder.
Sem imagem de perfil

De Zeus a 27.07.2017 às 20:01

E, pronto... qual é a Novidade?
Tão Importante, uma simples mudança de opinião?
Não havia aquele que, por cá, apenas seis meses atrás dizia, precisamente, o contrário?

Mais difícil do que isso, fez Theresa May, um enorme esforço para conseguir perder eleições, primeiro aquela ânsia irracional de fazer eleições antecipadas e, depois, ainda conseguir convencer que é, absolutamente Normal recusar ir a Debates eleitorais mas, em qualquer oportunidade dizer que até iria baixar Pensões e outras atrocidades, quando o Problema a debater estava na negociação do Bréxit. Nunca quiz ganhar as eleições mas, perder a maioria, para poder atrasar o Brexit e satisfazer os que, sempre, mandaram e mandam, com os seus triliões. Deve ter recebido os "agradecimentos", em espécie ou a promessa de um futuro e melhor "tacho".

Se não vê o padrão, dos políticos e dos seus "contorcionismos", isto está mesmo a ficar... tão simples como roubar chupas a crianças.
Como disse alguém por aqui e, muito bem, apenas e só, mais um que, também, foi tomar "o chazinho de tília", para continuar a enfiar a Agenda, goela abaixo, aos cidadãos europeus.

Os Parlamentos endividados obedecem, aos credores e ao seu Banco PRIVADO o BCE e, se os eurodeputados não podem Vetar Nem Propor Leis, de certeza que quem manda não é o Pai Natal que ameaça e faz chantagem com a Hungria, a Polónia e a República Checa se não receberem os migrantes que, alguém, decidiu por eles, a obrigação e o número, mesmo aumentando a Dívida ou destruindo as economias.
Ou pensa que uma Mesquita em Lisboa, com os nossos impostos também é ideia vinda de onde?
Fala das Cheias e da Ditadura antiga e, para alguém que viveu numa, como eu, não reconhecer os sinais de outra, apenas diferente no Tamanho (em vez de caseira, ser alargada), custa a acreditar.
Como é que pensa que a 7 de Setembro de 2013, alguém já sabia, antecipadamente, qual a finalidade do êxodo de migrantes para a Europa ou imagina que estão muito preocupados com aqueles que eles próprios subsidiam para serem bombardeados?

Disse, por aqui, preferir o português mas, com este título, se percebe o "We don't know him", deixo-lhe o outro artigo:

The Coudenhove-Kalergi plan – The genocide of the Peoples of Europe

http://www.westernspring.co.uk/the-coudenhove-kalergi-plan-the-genocide-of-the-peoples-of-europe/

Nem sequer me interessa se concorda comigo ou não mas, se vejo ingenuidade ou ignorância, estamos a ficar sem tempo para continuar a chafurdar no pantanal dos sintomas, sem nunca chegar às causas, muito menos às soluções e é muito simples:

I do my thing and you do your thing.
I am not in this world to live up to your expectations,
and you are not in this world to live up to mine.
You are you, and I am I,
and if by chance we find each other, it's beautiful.
If not, it can't be helped.

(Fritz Perls, Gestalt Therapy Verbatim, 1969)

Só espero que, por aqui, ainda não seja considerada Normal a Censura... ou atrasar "certos" comentários, até sair uma enxurrada de mais sintomas "importantíssimos", nem que seja a repetição dos mesmos mas, vestidos com outras roupagens.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.07.2017 às 20:25

Uma carambola seguida de um triplo mortal.
Falo da Grécia e você vai já nem sei bem para onde.
Sem imagem de perfil

De Zeus a 28.07.2017 às 00:14

Continue nessa perspectiva das "caixinhas" de assuntos, bem aconchegado e pretensamente seguro... e, tão aprofundado nesse tipo de mundo irreal que nada tem de Global, sai como um D. Quixote, de lança em riste, contra Moinhos de Vento... que, ao contrário do la Mancha, neste caso, são mesmo gigantes depois, não venha dizer que algum mago o hipnotizou e, em vez de ver os gigantes, via apenas moinhos ;)
No entanto, é bom para entreter Sancho's que não sabem ver, para além de normalidades petrificadas.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.07.2017 às 07:24

Verifico que exerce sem complexos a sua liberdade de expressão, o que é louvável. Felizmente estamos na União Europeia, um espaço de liberdade, e não na China ou na Venezuela.
Sem imagem de perfil

De Zeus a 28.07.2017 às 11:06

Fiz um triplo mortal mas, não tem argumentos para contradizer nada daquilo que eu disse no meu primeiro comentário e, depois, vem com essa:
"União Europeia, um espaço de liberdade"
(escrever Liberdade com minúscula, o seu Inconsciente sabe muito mais do que o seu Consciente)

U.E. tão livre que, já não votamos para nada e, agora, ainda nos querem tentar calar:
http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/a-forma-mais-preguicosa-de-ver-o-mundo-9438972

Sofismo para tentar enganar-se a si próprio, tem todo o Direito, com o seu Livre Arbítrio, de continuar a não querer ver mas, o pecado está em espalhar essa irrealidade.
Somos Todos Moralmente Responsáveis por Todas as Consequências derivadas de sonegar ou de dar má informação e, basta ser Incompleta para se transformar em Mentira.

Na sua maneira de pensar, falemos de nabos, cenouras, couves, batatas... mas que ninguém se atreva a falar em sopa e, muito menos que está azeda.

Gostava de saber a sua definição de Liberdade quando já entrámos na fase final do controlo absoluto mas, dentro da sua "caixinha", tente fazer um buraquinho para espreitar mais longe e, sobre, o que realmente se passa fora dela.
Sei que não é caso único, em preferir fechar a porta a sete chaves, rodeado de tralhas materialistas, pensando que se não fizer, nem disser nada, num golpe de magia as coisas não se tornam piores do que aquilo que já estão mas, a Natureza não funciona dessa maneira, se algo está mal e ninguém disser ou fizer nada, está garantido que pioram. Lei da Causa/Consequência
Já deixei por aí muitos comentários e muita informação que, no mínimo, devia ter interesse em ver, para saber se Pensa, na posse de toda a informação que está disponível mas, foge dela como o Diabo da Cruz e, se todos fizerem a mesma coisa, como estamos no mesmo "Barco", com uma Dívida a crescer, praticamente, diariamente (138,26%), quando em vez de "grilhetas" ao país, passarem para roubar o que resta ao povo e, desta vez, incluirá tudo o que imaginam adquirido e garantido, espero que, depois, não tenha o desplante de dizer que não sabia de nada, tudo meras coincidências... uma desgraça "inevitável".

John F. Kennedy? Edmund Burke? R. Murray Hyslop? Charles F. Aked? John Stuart Mill?
Não se sabe bem a origem mas, alguns repetiram-na e, nem interessa a origem porque é 100% Verdade:

"For evil men to accomplish their purpose, it is only necessary that good men should do nothing."

Pela Física Quântica, somos apenas energia, negativa ou positiva, conforme a frequência e vibração e, como o Universo é apenas Energia, cada pessoa emite a vibração de sua identificação para todo o Universo e, como um Todo, se todos vibrarmos numa determinada frequência teremos o Resultado no Mundo que consideramos Físico mas, se conseguir usar um potente microscópio verá que até aquilo que pensa ser sólido, são apenas partículas que vibram numa frequência tão baixa que não conseguimos ver a olho nu.
Apenas um "arranhar" na ciência porque foi através dela que passei a ter cuidado com a energia que habita a minha carne e, se está apenas preocupado com os bens possuídos pela carne, vai ter um susto quando descobrir o que fez à sua energia, espírito, alma ou que lhe queira chamar.
Neste momento, a maior Guerra que se está a travar, é a nível Espiritual e, se acredita que, essa energia a que damos o nome de Bem existe, pode crer que a outra é bem Real, basta ver a religião seguida por esse 1% e, quem não fizer nada, já sabemos que Lado quer que ganhe.
Consumismo e todas as loucuras mais recentes, pode crer que não são acasos mas, se isso o deixa mais confortável, agora, pode crer que Causa/Consequência é uma Lei Imutável da Natureza e, dela ninguém escapa.
Há quem tente ser um Ser Humano Moralmente responsável através da Religião, eu cheguei lá através da Ciência onde as Leis da Natureza são as únicas Verdadeiras, Incorruptíveis que ninguém consegue alterar, nem com dinheiro "virtual" ou cunhas.
Quem confiar em Leis feitas pelo homem, moralmente relativas, subjectivas e falsas, não lhe invejo absolutamente nada porque, nesta experiência chamada Vida, quem não aprender... definitivamente, prefiro aprender agora do que guardar para depois e, foi por isso que nos foi dado, a cada um, Consciência Moral e Livre Arbítrio e, não foi só para "enfeitar".
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 28.07.2017 às 13:39

Por falar em física quântica. Vou aquecer uma sopa de beterraba no microondas. Espero que fique boa....mnhammnham...e comprei peito de Pato, em promoção. Alguém por aqui sabe uma receita?
Sem imagem de perfil

De Zeus a 28.07.2017 às 16:33

Vlad
Antes da sopinha de beterraba e, seguindo o raciocínio do seu outro comentário, mesmo que verdadeiramente coma a sopinha, se eu não a vir, nem sequer existe porque, ainda agora, respondi ao seu outro comentário, onde até incluí o do cãozinho.
Para não ficar baralho ou, se não o vir, ficar a pensar que não existe, deixo todas as referências:

http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/pensamento-da-semana-9426794
Entre os outros:
De Zeus a 28.07.2017 às 13:31

Já agora, tente dizer tudo de uma vez e no mesmo sítio porque, isso de espalhar disparates, as únicas explicações que dou são de borla mas não abuse, cada um é moralmente responsável por adquirir o seu próprio Conhecimento, de Si Próprio e do Mundo que o rodeia. A única coisa que me faz perder tempo, é não conseguir ver tanta ignorância a ser disseminada, tal qual, como gostam, os psicopatas que têm explorado este Mundo de geração em geração porque, só assim se chega aos triliões.
Até há pouco tempo, pensava que se referiam a nós todos, como ovelhas, erro meu, para eles somos Os Mortos: The Dead
Se realmente anda tudo a dormir e parecem mortos, pelo menos, eu e muitos, ainda esperneiam, enquanto outros continuam na sua infantilidade de acreditarem em coisas que nunca saíram do seu próprio Pensamento mas, de cabecinhas alheias que, à descarada, dão ideias que nunca nos darão a Liberdade e, a maior estupidez é que, as grades, estão, unicamente, dentro da nossa cabeça mas, só através do Conhecimento nos podemos ver livres delas.
Sem imagem de perfil

De amendes a 28.07.2017 às 14:56

Temos homem...

Este camarada de Zeus ... caiu dos Ceus!

Força camarada... Justiça ou morte Júlio de Matos!


"( eles falam, falam, mas não dizem nada)"
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 29.07.2017 às 13:46

Há um princípio que sempre me ensinaram em jornalismo: quanto maior é a prosa, mais curtas são as ideias.
Sem imagem de perfil

De Zeus a 30.07.2017 às 11:16

Não sei porquê mas, o Pensamento tem destas coisas (conceitos cognitivos, planejamento, raciocínio e, até imaginação) e, um deles, fez-me lembrar aquela adaptação de Bocage de uma das fábulas de La Fontaine:

"Contam que certa raposa,
andando muito esfaimada,
viu roxos, maduros cachos
pendentes de alta latada.

De bom grado os trincaria,
mas sem lhes poder chegar,
disse: 'Estão verdes, não prestam,
só cães os podem tragar!'

Eis cai uma parra, quando
prosseguia o seu caminho,
e, crendo que era algum bago,
volta depressa o focinho."»

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 30.07.2017 às 12:22

Muito bem. Não há como revisitar os clássicos.
Sem imagem de perfil

De Zeus a 30.07.2017 às 15:22

Os Conhecimentos usam-se no Processo de Pensar, não se revisita o que foi "digerido".
E agora fiquei a pensar ... na melhor metáfora para explicar isto...

Imagine que ao longo da vida, vai juntando várias ferramentas, começa pelas simples, a chave de fendas, um martelo, um alicate, limas, grosas (nome comum dado a ferramentas de aço para lixar)... passa a ter uma aparafusadora eléctrica, com fio... sem fio...
Chega a uma determinada altura, neste caso um simples comentário e, o Pensamento flui, usando todas as ferramentas (toda a informação disponível), naturalmente que, aqui, o seu vizinho pode ficar todo chateado por, não querer ou não conseguir fazer com menos ferramentas e, até diz que disparate ou que desperdício e nem era preciso tanto mas, nota-se em Qualquer Tipo de Hobby ou Trabalho que, por desconhecimento ou falta de ferramentas, acaba em "gato por lebre".

Eu tenho um princípio muito meu, se brinco, brinco mas, se estou a falar a sério, pode crer que uso tudo da minha "caixinha de ferramentas", senão, para quê gastar tempo precioso, mais valioso do que dinheiro, a encher a minha "caixa de ferramentas" ?
Há quem goste de dizer que tem muitas mas, algures... noutra "caixinha" e, mesmo que a mesa fique sem pernas, não interessa, essas ficam para depois

Quanto à paciência, esta pode ser adquirida por treino, explicando várias vezes, de diferentes maneiras e, nunca desistir até a "mesa" estar concluída.

No entanto, mal daquele que pense não precisar de mais nada, por já ter uma "caixa de ferramentas" cheia.
“A curiosidade é mais importante que o conhecimento.”
Albert Einstein

Nunca esquecendo que neste Processo de Pensar:
“A Verdade é sempre o argumento mais forte”
Sófocles

Nem por outras palavras me diga que o canso porque, também se acrescentam anos de vida com a "ginástica mental", algo desvalorizado nos nossos dias mas, garanto-lhe não ser mero acaso, esta "moda" de não quererem que os outros pensem e, muito menos, por si próprios porque, Só com esta batota, muitos conseguem "ganhar".
Sem imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 27.07.2017 às 20:06

O poder é como o Red Bull... dá -nos asas e estimula-nos e somos capazes dos mais incríveis prodígios político-diplomáticos. Mas o efeito do Red Bull acaba e cai-se na realidade.
E infelizmente a realidade não tem o fulgor da campanha e nem a magia da invencibilidade. Foi a realidade que venceu Tsipras. Foi a efemeridade da ideologia do pode tudo.
Assumiu os erros. É preciso frontalidade e alguma coragem. Por cá, porque deixou de ser uma mais-valia-política-para-referência , perdeu a ribalta, perdeu os "amigos".
Não deixa de dar que pensar...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.07.2017 às 20:42

Como parecem já tão antigas aquelas fotos jubilatórias de Tsipras com a Catarina Martins e a Marisa Matias e o espanhol Pablo Iglesias celebrando os amanhãs que cantariam na Grécia e por contágio em toda a Europa...
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 27.07.2017 às 21:33

O Pedro, já não sonha! Dorme profundamente sob os ontens calados e os amanhãs repetidos.
Tudo morno, numa inevitabilidade de bocejo...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.07.2017 às 21:41

O Tsipras é que deixou de sonhar, coitado. Já nem a Marisa Matias faz comícios ao lado dele.
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 27.07.2017 às 21:46

Talvez os faça por baixo!
Sem imagem de perfil

De J. Cruz a 28.07.2017 às 19:04

Se fizesse eu envergonhar-me.ia de ter votado na Marisa.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.07.2017 às 11:28

"Como parecem já tão antigas aquelas fotos jubilatórias de Tsipras com a Catarina Martins e a Marisa Matias e o espanhol"
Não me admiro, ele fez o contrário do que prometeu!! Mentiu despudoradamente. Mas concordo que deveria ser criticado e deveria tentar perceber-se melhor o que se passou.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 29.07.2017 às 16:18

Não vale a pena complicar o que é simples. Trata-se de um vira-casacas.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 31.07.2017 às 15:03

Ou transformista político, para usar uma expressão menos atávica.
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 27.07.2017 às 22:24

Dulce, o que é a realidade, senão a possibilidade do real? A realidade de hoje era ficção, ontem...veja o direito ao voto das mulheres, ao divórcio, a possibilidade de voar, de pôr os pés sobre a Lua, amanhã sobre Marte.... etc

É preciso ter asas para parir uma estrela!...
Sem imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 27.07.2017 às 23:29

Absolutamente. A realidade de um sonhador... Como diz o poeta, o mundo pula e avança.
Um político pode ser um sonhador mas tem que ser objectivo e não ficar embriagado pela euforia do delírio colectivo em que se deixou afogar. A Grécia estava de joelhos. As promessas de hegemonia de Tsipras deixaram-na de rastos. Ele reconhece que errou Vlad, que fez más escolhas . Nem vale a pena discutir a hombridade, que mesmo quando reduzida , é de valor.
Pena que quem lhe cantava odisseias tenha perdido o pio
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.07.2017 às 07:29

O maior erro dele foi ter convocado um referendo que "recusou a austeridade" por 61% e uma semana depois de apurados os votos procedeu ao contrário do mandato que lhe foi conferido, pervertendo um mecanismo do sistema democrático e fazendo tábua rasa da vontade popular.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.07.2017 às 11:42

Logo aí se viu quem era Tsipras: o que significava para ele democracia? Fazer o contrário do que se vota?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 29.07.2017 às 15:27

Pelos vistos, sim. Sem que nenhum dos seus apaniguados por cá tivesse esboçado o menor esgar crítico.
Sem imagem de perfil

De xico a 27.07.2017 às 23:30

O "adults in the room" sempre tinha razão de ser!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.07.2017 às 07:24

Nada que a passagem do tempo não resolva.
Sem imagem de perfil

De JS a 28.07.2017 às 09:49

O que o Pedro escreve é verdade. Tsipras falhou. Mas reconheça.
Tsipras apresentou-se, politicamente, ao eleitorado grego com um plano: tirar a Grécia do presente Reich, vulgo esta União Europeia.
O eleitorado grego votou, mal ou bem, nessa política inicial de Tsipras.O plano falhou, sabemos porquê e como.
Coerentemente Tsipras deveria ter saido de cena política. Aliás, nem tinha sido ele a criar a dívida grega .... A intenção grega, de sair de esta EU, desapareceu?.

Esta história ainda não acabou quer na Grécia quer, muito menos, no centro da Europa (geográfica), com os razoavelmente inquietos vizinhos da Alemanha. Mas será com a França, obviamente, que tudo se decidirá.

Entretanto os Juízes do Tribunal Europeu renovam o poder das Nações sobre quem atravessa, e fica, dentro das suas fronteiras ...
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 28.07.2017 às 13:42

Meu caro sem Alemanha,sobrando apenas a França, de onde lhe vinham os QREN, os Portugal 20/20, etc?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.07.2017 às 17:23

"Coerentemente Tsipras deveria ter saido de cena política." De facto ao verificar que não podia fazer o que prometera, traiu e ajoelhou-se aos pés daqueles que prometera contrariar. Passou a aplicar caninamente o programa daqueles que prometeu derrotar e desistiu do seu. Se de todo não podia, deveria desaparecer. Isto apesar de eu não ser muito favorável às demissões por qualquer dificuldade. Prefiro a luta e não gosto da deserção.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 29.07.2017 às 13:45

Pode preferir a luta, mas não parece. De lutadores anónimos não reza a História.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.07.2017 às 16:09

"De lutadores anónimos não reza a História." Aqui é que se engana e redondamente. Quanto clandestino houve...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 29.07.2017 às 16:16

Sim, sim... Os clandestinos é que fazem a história. Os que não dão a cara, os que ocultam a identidade, os que nunca dão um passo fora da sombra, o que são incapazes de emitir uma opinião assinando por baixo.
Os cobardes.
Sem imagem de perfil

De J. L. a 28.07.2017 às 10:02

Era, de facto, de esperar que houvesse mais textos sobre o Tsipras. Quem o apoiou com entusiasmo, agora deveria explicar o que se passou.
Os acontecimentos na Grécia admitem outra interpretação: a nossa democracia é fraca. Tsipras foi forçado a fazer o que fez, isto é, o contrário do programa com que foi eleito. Ou seja, os eleitores votam numa coisa mas a nossa democracia força-os a terem o contrário daquilo que queriam. É uma boa democracia ou precisa de ser aperfeiçoada para que, de facto, as pessoas possam escolher?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 29.07.2017 às 13:44

Tsipras não foi forçado a coisa nenhuma. Se não tinha condições para aplicar o programa que levou a sufrágio, e mereceu a concordância da maioria dos gregos, restava-lhe a alternativa de rasgar os compromissos europeus, de proclamar a ruptura com as instituições da UE. Restava-lhe inclusive a alternativa de renunciar ao cargo.
Não fez nada disso. E acabou a governar com um programa oposto àquele que havia prometido.
Se isto se passasse noutro quadrante político, não faltaria uma tempestade de impropérios - de traidor a vendido - oriundos daqueles que a todo o momento confundem juízos políticos com proclamações de pseudo-superioridade moral. Como se passa neste quadrante, os correligionários e amigos varrem o tema para debaixo do tapete, como se nunca tivesse existido. A começar por aquelas e por aqueles que andaram a fazer campanha eleitoral ao lado e Tsipras, jurando que o Syriza seria a "verdadeira alternativa" e fonte inspiradora para toda a Europa.
Sem imagem de perfil

De José Alves a 28.07.2017 às 19:53

" «As coisas são o que são», " Sem dúvida. O problema está em saber se se podem modificar. Tenho uma vaga impressão de que sim: compare-se a vida de agora com a de há alguns séculos. Algo se modificou. Já ninguém viaja a cavalo, só de carro. Aqui é que bate o ponto. E de Gaulle não viu (ou não quis ver).
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 29.07.2017 às 13:38

Claro que as coisas mudam, mas isso quase nunca depende do voluntarismo daqueles que querem refazer tudo à medida dos seus desejos e das suas ambições, dissociados da realidade.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D