Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 12.10.15

“(...) Outra pergunta que comecei a fazer a mim mesma foi a seguinte: a tendência predominantemente pessimista que os meus pensamentos têm vindo a experimentar nestes últimos dias dever-se-á ao estado do mundo, que é mau e piora mais depressa do que podemos esperar salvá-lo, o que me inquieta e enfraquece – ou dever-se-á simplesmente ao nível insuficiente das hormonas tiroideias, o que significaria que o estado do mundo não é tão assustador como tende a parecer-me, e me deveria levar a dizer de mim para mim: lembra-te do teu hipotiroidismo e acredita que o estado do mundo acabará por se recompor.”

(Lydia Davis, Contos Completos – Diário da Tiróide)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 31.07.15

I mused for a few moments on the question of which was worse, to lead a life so boring that you are easily enchanted, or a life so full of stimulus that you are easily bored.

 

(Bill Bryson, in The Lost Continent)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 29.07.15

One can be very much in love with a woman without wishing to spend the rest of one's life with her.

 

(W. Somerset Maugham, in The Painted Veil)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 24.07.15

O que faria eu se estivesse no meu lugar?

 

(António Lobo Antunes, em Memória de Elefante)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 21.07.15

O lisboeta tem uma gravata na língua, acha que o palavrão é para quando se descuida. Não entende que é ele que faz do palavrão um descuido. Todo o palavrão tem arte, a gente lá em cima sabe.

 

(Alexandra Lucas Coelho, em O Meu Amante de Domingo)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 18.07.15

Havia meses que se perdiam como tampas de esferográfica.

 

(José Luís Peixoto, em Cemitério de Pianos)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 14.07.15

É muito difícil saber o que nos leva a preferir as feias. Não é nada de bom. As feias têm mais razão para ser ciumentas, e isso agrada mais a um homem do que uma cara bonita. Mas quem não sabe o que é apaixonar-se por uma feia não sabe o que é a paixão.

 

(Agustina Bessa-Luís, em Antes do Degelo)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 10.07.15

It always stimulates me to discover new examples of my own prejudice and stupidity, to realize that I don't know half as much as I think I do.

 

(Paul Auster, in Oracle Night)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 07.07.15

A única obsessão que toda a gente quer: "amor". As pessoas pensam que ao amar se tornam inteiras, completas? A união platónica das almas? Eu não penso assim. Penso que estamos inteiros antes de começarmos. E o amor fractura-nos. Estás inteiro e depois estás fracturado - aberto.

 

(Philip Roth, em O Animal Moribundo)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 03.07.15

She loved to walk down the street with a book under her arm. It had the same significance for her as an elegant cane for the dandy a century ago. It differentiated her from others.

 

(Milan Kundera, in The Unbearable Lightness of Being)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 30.06.15

I needed to temper (my dad's) enthusiasm a bit (about attending Princeton), and so I announced that I would be majoring in patricide...My mom was actually jealous.

 

(David Sedaris, in When You Are Engulfed in Flames)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 27.06.15

As my father always used to tell me, 'You see, son, there's always someone in the world worse off than you.' And I always used to think, 'So?

 

(Bill Bryson, in The Lost Continent: Travels in Small Town America)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 25.06.15

As lovers, the difference between men and women is that women can love all day long, but men only at times.

 

(W. Somerset Maugham,  in The Moon and Sixpence)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 24.06.15

Aquela conversa de travesseiro, "quem é o meu quindizinho?". "Sou eu. Quem é a minha roim-roim- roim?" "Sou eu", e ele inventou de dizer que jamais se separariam e que ele seria, para ela, como aquele nervinho de carne que fica preso entre os dentes, e ela disse "Credo, Osvaldo, que mau gosto!", e saiu da cama e depois nunca mais. Acabou por metáfora errada.

 

(Luis Fernando Veríssimo, em  O Melhor das Comédias da Vida Privada)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 23.06.15

(...) a sua fantasia favorita era a visão de si mesmo, sentado sozinho num sala vazia durante horas e horas, sem ser interrompido, sem ser incomodado, sem ser requisitado por um único ser humano.

 

(Anne Tyler, em A Bússola de Noe)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 20.06.15

Toda aquela itinerância com guias, disse ele passado um momento. Naqueles horríveis crocodilos de turistas, a entrar e a sair de igrejas, museus e mesquitas. Não, não, não. Gosto de estar quieto, de descobrir uma cadeira confortável. Está a ver o que quero dizer? Gosto de absorver um país.

 

(Paul Theroux, em O Grande Bazar Ferroviário)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 17.06.15

Não tive tempo de escrever uma carta curta, por isso tive de escrever uma carta comprida.

 

(Richard Yates, em Onze Tipos de Solidão)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 16.06.15

Olhou tristemente para Pockey Protero, a sua melhor amiga, sentada do outro lado da mesa, toda esparramada na cadeira e a largar as cinzas do cigarro sobre o prato cheio de gelado derretido e restos de bolo encharcado, com as deploráveis maneiras à mesa que só os muito ricos se podem dar ao luxo de exibir.

 

(Mary Maccarthy, em O Grupo)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 15.06.15

Da velhice

sempre invejei

o adormecer

no meio da conversa.

Esse descer de pálpebra

não é idade nem cansaço.

Fazer da palavra um embalo

é o mais puro e apurado

senso de poesia.

 

(Mia Couto, Sono Coloquial)

Passagem de Nível

por Francisca Prieto, em 12.06.15

Cá vamos nós, um para cima, outro para baixo, eu a deslizar, ele ofegante. Mariposa é o mais belo nome que um estardalhaço já teve.

 

(Alexandra Lucas Coelho, em O Meu Amante de Domingo)


O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D