Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Delito de Opinião

Já li o livro e vi o filme (300)

Pedro Correia, 25.05.22

20792648_3jdvh.jpeg

20792656_O1z4P.jpeg

 

     O LEÃO DA ESTRELA (1939)

Autores: Ernesto Rodrigues, Félix Bermudes e João Bastos

Realizador: Arthur Duarte (1947)

Começou por ser uma peça teatral, encenada em 1925, com Chaby Pinheiro no principal papel. Editada em livro 14 anos mais tarde, originaria uma das mais populares comédias do cinema português. Superior ao divertido texto original, expurgando-o de alusões políticas mas introduzindo a hilariante sátira ao futebol, durante um FC Porto-Sporting, protagonizada por António Silva e Erico Braga.

Já li o livro e vi o filme (299)

Pedro Correia, 04.05.22

500x (1).jpg

get8.jpg

 

DRIVE MY CAR (2013)

Autor: Haruki Murakami

Realizador: Ryusuke Hamaguchi (2021)

Filme justamente premiado com Óscar a partir da narrativa homónima do celebrado escritor nipónico num volume de contos intitulado Homens Sem Mulheres (homenagem implícita a Hemingway, que em 1927 publicou um livro com o mesmo título). Quarenta páginas de boa literatura geram três horas de cinema. Mantendo o nível.

Já li o livro e vi o filme (298)

Pedro Correia, 13.04.22

175x.jpg

img4f0dfcf3f0103.jpg

 

     E TUDO O VENTO LEVOU (1936)

Autora: Margaret Mitchell

Realizador: Victor Fleming (1939)

O romance, com mais de mil páginas, foi justamente galardoado com o Prémio Pulitzer de ficção em 1937, abrindo caminho à espectacular longa-metragem, obra-prima do cinema. Ver e ler, neste caso, não se excluem: complementam-se na perfeição. E confirmam como a verdadeira arte é gratificante em qualquer dos seus registos.

Já li o livro e vi o filme (297)

Pedro Correia, 23.03.22

500x.jpg

1-laurence-olivier-and-merle-oberon-in-wuthering-h

 

     O MONTE DOS VENDAVAIS (1847)

Autora: Emily Brontë

Realizador: William Wyler (1939)

Magnífica adaptação filmada da obra-prima da escritora inglesa - expoente máximo do romantismo literário. Wyler, cineasta alemão radicado nos EUA, valorizou o enredo com a sua técnica expressionista num elenco encabeçado por Laurence Olivier, Merle Oberon e David Niven. A reler e a rever, sempre.

Já li o livro e vi o filme (296)

Pedro Correia, 03.03.22

52009197._SX0_SY0_.jpg

themanwhocouldworkmiracles1936.82725.jpg

 

     O HOMEM QUE FAZIA MILAGRES (1898)

Autor: H. G. Wells

Realizador: Lothar Mendes (1937)

Adaptação ao cinema, com produção britânica de Alexander Korda, de um conto de literatura fantástica de um dos mestres do género - agora em versão portuguesa com a competente chancela da editora e-Primatur. O filme, que à época ficou célebre pelos seus efeitos especiais, tornou-se mera curiosidade histórica.

Já li o livro e vi o filme (295)

Pedro Correia, 09.02.22

image.jpg

farewell-my-concubine.jpg

 

     ADEUS, MINHA CONCUBINA (1985)

Autora: Lilian Lee

Realizador: Chen Kaige (1993)

Romance que nos fala da exploração infantil, do preconceito social e dos traumas sexuais na China - do início do regime republicano até ao auge da brutal ditadura maoísta e o seu cortejo de sevícias. Com o palco teatral como símbolo da vida. O filme, protagonizado por Leslie Cheung e Gong Li, foi justamente galardoado com a Palma de Ouro em Cannes.

Já li o livro e vi o filme (294)

Pedro Correia, 05.01.22

                                   Milagre-I.jpg  13633026.jpg

MV5BOTg5MjNiYjYtNjhlMy00MGY3LWI3NGItYTJjZTE1OGY3Y2

 

     O MILAGRE SEGUNDO SALOMÉ (1975)

Autor: José Rodrigues Miguéis

Realizador: Mário Barroso (2004)

Obra-prima da nossa ficção do século XX, infelizmente ainda pouco conhecida dos leitores, este extenso romance com cerca de 700 páginas foi mutilado na adaptação a cinema. Tudo demasiado abreviado na tela, sem correspondência com a prosa torrencial de Miguéis. Elejo o livro, sem qualquer espécie de dúvida.

Já li o livro e vi o filme (293)

Pedro Correia, 15.12.21

20211213_104845.jpg

die11.jpg

 

     ASSALTO AO AEROPORTO (1987)

Autor: Walter Wager

Realizador: Renny Harlin (1990)

Livro e filme são aconselhados apenas a quem aprecia o género - muita acção, ritmo trepidante, suspense ao virar de cada página ou ao desenrolar de cada cena. Típica literatura de aeroporto, diga-se sem ironia. O filme presta-lhe justiça, mesmo sem a qualidade do icónico Assalto ao Arranha-Céus, também protagonizado por Bruce Willis.

Já li o livro e vi o filme (292)

Pedro Correia, 24.11.21

500x.jpg

ET.jpg

 

     E. T. - O EXTRATERRESTRE (1982)

Autor: William Kotzwinkle

Realizador: Steven Spielberg (1982)

O livro, novela adaptada do guião, só surgiu após a rodagem do filme. Lê-se muito bem, recomenda-se para um público infantil e juvenil, mas a obra-prima de Spielberg - que adquiriu estatuto de clássico mal se estreou - é insuperável. Nenhum texto lhe faz sombra.

Já li o livro e vi o filme (291)

Pedro Correia, 03.11.21

Sementes-de-Violência.jpg

blackboard5.jpg

 

SEMENTES DE VIOLÊNCIA (1954)

Autor: Evan Hunter

Realizador: Richard Brooks (1955)

Este filme pioneiro na sua época, retratando o quotidiano numa escola pública de Nova Iorque com alunos problemáticos, celebrizou em todo o mundo o tema musical Rock Around the Clock. O romance homónimo, publicado apenas um ano antes, já continha todos os ingredientes realistas para o tornar num sucesso.

Já li o livro e vi o filme (290)

Pedro Correia, 13.10.21

30625305328.jpg

bepponedoncamillo.jpg

 

     DON CAMILO E O SEU PEQUENO MUNDO (1948)

Autor: Giovanni Guareschi

Realizador: Jean Duvivier (1952)

As crónicas romanceadas do jornalista italiano que ficou célebre como escritor tornaram-se ainda mais populares com a adaptação cinematográfica. Fernandel como pároco e Gino Cervi no papel do autarca comunista compuseram um duo inesquecível naquele tempo de guerra fria - aqui levada a sorrir. Livro e filme equivalem-se. 

Já li o livro e vi o filme (289)

Pedro Correia, 22.09.21

4469243658-livro-topkapi-eric-ambler.jpg

unnamed.jpg

 

TOPKAPI (1962)

Autor: Eric Ambler

Realizador: Jules Dassin (1964)

Divertidíssimo romance de espionagem, de uma época em que a literatura do género não se tomava demasiado a sério. A película, quase toda rodada em Istambul, presta-lhe inteira justiça. Peter Ustinov mereceu por inteiro o Óscar para melhor secundário - num filme em que desempenha o papel principal.

Já li o livro e vi o filme (288)

Pedro Correia, 02.09.21

transferir.jpg

18893980.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx.jpg

 

O AMOR NOS TEMPOS DE CÓLERA (1985)

Autor: Gabriel García Márquez

Realizador: Mike Newell (2007)

Um elenco de luxo (Javier Bardem, Giovanna Mezzogiorno, Benjamin Bratt, John Leguizamo, Fernanda Montenegro, Liev Schreiber) não torna o filme do realizador britânico superior ao livro, antes pelo contrário. O inglês macarrónico que se escuta o tempo todo na versão norte-americana roça o insuportável. Melhor mergulhar no romance, um dos melhores do Nobel colombiano. Obra-prima, sim.

Já li o livro e vi o filme (286)

Pedro Correia, 21.07.21

500x.jpg

image.jpg

 

     ÍNDICE MÉDIO DE FELICIDADE (2013)

Autor: David Machado

Realizador: Joaquim Leitão (2017)

Um romance que parece ter sido escrito a pensar na transposição para o cinema. O que certamente facilitou a vida a Joaquim Leitão, cineasta que filma para o público e não para os amigos ou para satisfazer pedantes júris de festivais. O filme entretém tanto como o livro: eis um elogio que faço a um e outro.

Já li o livro e vi o filme (285)

Pedro Correia, 30.06.21

Vestida-para-Matar.jpg

Dressed to Kill 3.jpg

 

     VESTIDA PARA MATAR (1980)

Autores: Brian de Palma e Campbell Black

Realizador: Brian de Palma (1980)

Aqui o que interessa é a película - que à época escandalizou muitas almas conservadoras e hoje é rotulada de misógina e transfóbica. Na estreia não faltou quem, com manifesto exagero, a enaltecesse como «o primeiro grande filme americano dos anos 80». A novela decorre do guião, aproveitando o êxito de bilheteira. É para ver, não para ler.

Já li o livro e vi o filme (283)

Pedro Correia, 28.04.21

250x.jpg

126a353ff6b4530745be0380e014c469.jpg

 

A FIRMA (1991)

Autor: John Grisham

Realizador: Sydney Pollack (1993)

É um daqueles livros que não conseguimos abandonar mal iniciamos a leitura. E que nos acompanha por algum tempo. Adaptado com muita competência ao cinema: Tom Cruise foi o actor ideal para o papel do jovem advogado que quer enriquecer depressa. Até perceber que todas as aparências iludem.

Já li o livro e vi o filme (282)

Pedro Correia, 07.04.21

250x.jpg

sanda-k5cH-U4351072192304TQC-1224x916@Corriere-Web

 

 O JARDIM DOS FINZI-CONTINI (1962)

Autor: Giorgio Bassani

Realizador: Vittorio de Sica (1970)

Obra-prima da ficção melodramática que nos conduz a 1938, quando os judeus começaram a ser perseguidos na Itália de Mussolini. O filme, protagonizado pela bela Dominique Sanda, presta homenagem ao romance homónimo. Hollywood atribuiu-lhe o Óscar para melhor longa-metragem não falada em inglês.