Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Só lá faltou o Barbas

por Pedro Correia, em 09.09.16

JRN.RE.27467-140422[1].jpg

 

A TVI inaugurou esta semana um novo "formato": a entrevista sem contraditório. Anteontem, no seu canal de notícias, esta estação televisiva teve como convidado especial o presidente do Benfica. Durante uma hora e cinco minutos.

José Alberto Carvalho estava lá, em pé, a assistir com um sorrriso embevecido. Mas a entrevista foi conduzida por três adeptos do clube dos encarnados: Domingos Amaral, Pedro Ribeiro e Diamantino Miranda. Sentados ao lado do presidente da agremiação a que pertencem.

Nenhum deles integra os quadros da TVI, tanto quanto sei. E não faltam jornalistas por lá que bem poderiam exercer aquela função. Mas a direcção editorial optou por este original formato, que levou o ex-jogador encarnado Diamantino a dar o pontapé de saída com estas comoventes palavras: "Luís Filipe Vieira é conhecido, entre os benfiquistas e não só, como um dos presidentes - senão o único - que tem demonstrado um grande respeito pelos actuais jogadores e pelos antigos jogadores. E eu posso prová-lo."

Estava dado o tom à nova modalidade: a entrevista puxa-saco. Aguardo agora com interesse as futuras entrevistas da TVI 24. Quando lá tiver o presidente do Sporting, um painel de adeptos leoninos prontos a questionar Bruno de Carvalho. Quando lá for o líder do PSD, um trio de militantes sociais-democratas. Quando lá for o primeiro-ministro, só correligionários de António Costa.

Paz e sossego, conversa mole, solo de violino, manteiga no pão, mais sorrisos embevecidos: infotainment no seu melhor. Espero que da próxima vez seja também dado tempo de antena ao Barbas: porque não há-de ser ele um dos "entrevistadores" de Vieira? Se for preciso até lhe passam carteira profissional de jornalista.


62 comentários

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 09.09.2016 às 22:24

A Isabel defende uma comunicação social plural em que todos tenham a liberdade de ser... encarnados.
Num cenário em que todas as televisões sejam irmãs gémeas da BTV.
Sem imagem de perfil

De Isabel a 10.09.2016 às 01:47

O Pedro Correia defende uma comunicação social plural em que todos tenham a liberdade de ser... verdes ou azuis? Num cenário em que todas as televisões sejam irmãs gémeas da sportTV, como já existem as irmãzinhas sportingTV e porto canal (que é financiado com dinheiros públicos e não choca ninguém)?

O Pedro Correia prefere "entrevistas" onde o entrevistado é cortado na palavra consecutiva e sistematicamente por a resposta não agradar ao entrevistador? Já foi entrevistado e não o deixaram concluir as suas respostas por não gostarem delas? Já pediu por favor para o deixarem concluir um raciocínio? Se calhar os entrevistados são convidados para lhes faltarem ao respeito, não os deixarem falar e acabar tudo aos gritos. É esse tipo de "entrevista" que aprecia? É esse o pluralismo?

De facto esta entrevista ao presidente do Benfica foi única e por tão rara passou a extraordinária, suscitanto mesmo acusações de falta de pluralismo a quem não se conhece de lado nenhum, por um único comentário discordante dos restantes a um post cheio de humor...isto depois de anos a ouvir "entrevistas" no mínimo caricatas a presidentes e treinadores de outros clubes!
O do Benfica não pode? O do Benfica dá uma entrevista e há logo falta de pluralismo? Que cómico!

Que tal fazer uma relação das entrevistas a todos esses senhores e compará-las em número e existência de contraditório?
Lembre-se que o Benfica é "só" o maior clube nacional, com milhões de adeptos, 6º no ranking da UEFA e actual campeão em título, quantas entrevistas deu o presidente do Benfica nos seus 14 anos de mandato? E o do sporting nos seus 3 anos? E o do fcp? (isto só para mencionar os considerados "3 grandes"). A quem falta pluralismo afinal Pedro Correia?

Bom fim de semana.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 10.09.2016 às 07:55

Não defenda a marginalização do Barbas, Isabel. Também ele merece possuir carteira de profissional 'express' de jornalista como a que foi outorgada, da manhã para à noite, ao senhor Miranda, treinador de futebol e exímio perguntador, como muito bem demonstrou, mal abriu a boca, ao dirigir a palavra ao presidente do seu clube do coração.
Considero inaceitável a marginalização do Barbas deste tempo de antena que a TVI generosamente disponibilizou ao SLB durante uma hora e cinco minutos do serão de quarta-feira.

Aguardo agora pela entrevista ao primeiro-ministro na mesma estação. Mantendo-se o formato, teremos três membros da claque de António Costa a dirigirem-lhe perguntas sentados ao lado dele.
Com um jornalista da TVI de pé, a assistir. Disponibilizando sorrisos e talvez um cafezinho.

A propósito, Isabel: gostaria que defendesse também o direito a qualquer jornalista de ser treinador de futebol, numa espécie de permuta interprofissional em piloto automático.
Ou há moralidade ou comem todos.

Bom fim de semana.
Sem imagem de perfil

De Isabel a 10.09.2016 às 10:40

Pedro Correia, sabe a diferença entre uma entrevista e um debate? Estava agendada uma entrevista.
Também não foi atribuído nenhum título jornalístico nessa noite - os adeptos do Benfica que colocaram questões foram identificados assim mesmo: adeptos do Benfica.
E não vejo qualquer problema em jornalistas serem treinadores de futebol, a maioria não tem mesmo vocaçao nem ética para o que faz. Querendo ser treinador basta inscrever-se e fazer o curso, se tiver aproveitamento recebe a acreditação.
Resta-me lamentar que a falta de moral da entrevista não o tenha levado a mudar de canal.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 10.09.2016 às 10:51

Duplicidade de critérios: para ser treinador, o jornalista tem de tirar o curso. Para fazer de jornalista o treinador só de tem de aparecer no estúdio da TVI de emblema na lapela e cartão de sócio na algibeira.
Extraordinário.
Sem imagem de perfil

De Isabel a 10.09.2016 às 11:08

Extraordinário é insistir que os adeptos do Benfica presentes e convidados a fazer perguntas se fizeram passar por jornalistas.
Até tenho ideia que um dos elementos do painel é jornalista mas foi apresentado como adepto do clube e foi nessa qualidade que esteve presente e fez perguntas.
Também tenho assistido a inúmeros programas de televisão e rádio onde são colocadas, ao entrevistado, perguntas feitas pelo público seja online ou via telefone...sem nenhum desses elementos do público ser alguma vez comparado com jornalista.
Extraordinário!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 10.09.2016 às 11:10

Eu tenho assistido a inúmeros tempos de antena. Mas nunca vi um tempo de antena de 65 minutos em horário nobre num canal "informativo" - e obrigado, portanto, a cumprir a deontologia profissional do jornalismo.
Foi uma estreia. Que em nada dignifica a TVI.
Sem imagem de perfil

De Isabel a 10.09.2016 às 12:14

Pois eu infelizmente senti-me, no final, melhor informada que em outros programas semelhantes onde o jornalista insiste em ser a estrela e cortar a palavra ao entrevistador a meio da resposta às perguntas que preparou e fez. Acontece demasiadas vezes e essa falta de respeito e ética profissional ledva-me sempre a mudar de canal.

Não querendo fazer comparações entre política e fotebol mas apenas comparar estilos jornalísticos, há uns meses o nosso ex-primeiro ministro foi entrevistado na SIC Notícias naquela que foi uma entrevista com perguntas e respostas obviamente combinadas, sabendo-se mais tarde que a jornalista havia sido instruída para não se desviar do guião, acabando por se demitir.

Não me parece que tenha sido esse o "estilo" da entrevista da TVI, o que aconteceu foi que o jornalista estava mal preparado, fez uma série de tentativas para reacender o tema da saída do ex-treinador e depois desistiu...só tinha aquilo, o entrevistado preparou-se bem sendo as perguntas mais complicadas e pertinentes feitas pelo tal painel.

Se já tinha conhecimento de tudo o que foi dito e explicado sobre a estratégia para o futuro do maior clube português, tem toda a razão em considerar a entrevista um tempo de antena.

Eu desconhecia. Conheço a fundo as finanças do meu clube e estou razoavelmente a par das polémicas entre clubes e deste ou daquele jogador mas a estratégia para o futuro e o que está a ser feito para a concretizar desconhecia.

Tomara eu que os demais clubes pensem como o Pedro Correia e considerem tudo como propaganda. Que continuem a preocupar-se e gastar tempo e energia com tricas de jogadores e dichotes deste ou daquele - é exactamente por isso que o Benfica é tricampeão.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D