Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Senador Semedo

por Pedro Correia, em 17.07.18

18733176_P4qE7[1].jpg

 

Tenho pena que a palavra em Portugal esteja tão abastardada. A palavra senador. Deve ser o único país em que isso acontece.

Se não fosse assim, iniciaria este texto dizendo que João Semedo merecia ter sido senador da República Portuguesa. Um senador a sério, não daqueles que aparecem de ar conspícuo e discurso redondo nas pantalhas, serão após serão, dizendo coisa nenhuma.

 

Acabo de saber da morte - infelizmente já esperada - do activista político, ex-deputado e cidadão João Semedo - que admirei pela sua coerência aos valores em que acreditava, o que lhe valeu perseguições internas no PCP e um recomeço de vida partidária já neste século, integrando o Bloco de Esquerda após ter abandonado as fileiras comunistas. Em nome da cidadania e da liberdade de consciência.

Conheci-o relativamente bem antes da sua incursão no BE, que incluiu uma falhada liderança bicéfala, em devido tempo rectificada. Antes e depois, era movido essencialmente pela noção de serviço público - conceito cada vez menos na moda, soando quase a obsoleto nos tempos que correm - sem ambicionar prebendas ou honrarias.

Podia ter sido quase tudo quanto quisesse - conselheiro de Estado, ministro da Saúde, "líder de opinião" com mais substância do que muitos que pululam por aí. Mas creio que aquilo que verdadeiramente o satisfez foi ser médico. Um simples médico, capaz de gestos e palavras que pudessem curar ou minorar males alheios. Tão apenas isso. Nada menos que isso.

Gostei muito de o conhecer pessoalmente e de ter com ele demoradas conversas que nunca me decepcionaram. Lembro-as agora, enquanto escrevo estas linhas apressadas. E volto ao princípio: João Semedo - homem sem medo - foi um dos nossos senadores. Não com esse título, mas seguramente com esse mérito. E reconduzindo a palavra ao seu genuíno significado: o de máximo servidor público.

Autoria e outros dados (tags, etc)


12 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.07.2018 às 17:41

Quando morrem, todos são gente boa, nas palavras de ocasião.
Neste caso, as palavras confirmam a impressão que ele em mim gravou, pelo pouco que dele vi e ouvi.
João Semedo foi um dos nossos poucos políticos decentes.
Paz à sua alma!
João de Brito
Sem imagem de perfil

De Miguel Santos a 17.07.2018 às 19:03

Um dos raros do BE que merecia o meu respeito. Outro era Miguel Portas que também já nos deixou.
Sobram as esganiçadas...
Imagem de perfil

De Teresa Ribeiro a 17.07.2018 às 19:07

Sempre me pareceu um homem bom. RIP
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.07.2018 às 19:21

Um texto que o honra a ele - e a si.
Cpmts.


JSP
Sem imagem de perfil

De O Gajo a 17.07.2018 às 19:28

Lembra-me, pela lisura de carácter e pelo malfadado destino , Miguel Portas. RIP
Perfil Facebook

De Rão Arques a 17.07.2018 às 21:30

Bem lembrado.
Sem imagem de perfil

De Alexandre Policarpo a 17.07.2018 às 19:46

"Atrás de mim virá, quem bom de mim fará". O Dr João Semedo, seria certamente um excelente médico, uma pessoa bem educada, afável e respeitadora, mas ele tornou-se figura publica através da politica e a verdade é que passou dezenas de anos no PCP, partido que defendia, e continua a defender, soluções politicas totalitárias e anti democráticas para o país.
Nos anos 90 depois do Muro ter caído é que achou que o PCP se devia "reformar". Como se diz cá na minha terra, são "sopas depois do almoço". Mais tarde aderiu ao BE, não sei se pela UDP, pelo PSR, ou pela Plataforma de Esquerda/Politica XXI, mas venha o Diabo e escolha.
Quanto ao resto, Deus nos livre deste pobre país ter como ministro da Saúde alguém com as ideias de João Semedo. De acordo com o panfleto que João Semedo publicou com o putativo "pai do SNS", António Arnaut também recentemente desaparecido, o SNS tal como o conhecemos duraria no máximo cinco anos. Com tantas medidas para o salvarem, o SNS não morreria das doenças de que padece, mas da cura que Semedo e Arnaut preconizavam para o salvar.
Sem imagem de perfil

De O Gajo a 17.07.2018 às 21:54

Até num obituário faz política!
A si sobra-lhe o que nunca fará falta.
Sem imagem de perfil

De Alexandre Policarpo a 18.07.2018 às 01:02

João Semedo foi um politico, qual é o problema de falar das opções politicas dele, mesmo que no dia da sua morte? as considerações pessoais que fiz são respeitosas, apesar de nunca o ter conhecido pessoalmente.
Quanto ao segundo parágrafo do que escreveu, nem comento sr o gajo...
Sem imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 17.07.2018 às 22:08

Grande texto, Pedro. Por estes tempos, não há muita gente que não venda o seus princípios e ideais por um prato de lentilhas.
Homens bons devem contar-se pelos dedos.
Fazem falta homens de bem.
Os meus sinceros respeitos.

Sem imagem de perfil

De Bea a 17.07.2018 às 22:35

Gostei do texto e julgo que faz justiça a João Semedo.Um político honesto e um homem que me pareceu admirável. Os homens admiráveis rareiam.
Imagem de perfil

De João Pedro Pimenta a 18.07.2018 às 01:38

Belo texto, Pedro. Uma coisa que admirava em João Semedo é que, e ao contrário de outras gradas figuras do Bloco, nunca adoptou um tom de superioridade nem de agressividade bacoca. Talvez por isso, e pela genuinidade que demonstrava, gozava de um respeito quase unânime.

Comentar post



O nosso livro





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D