Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Seguras ou não seguras?

por Cristina Torrão, em 02.07.20

Os portugueses estão a usar máscaras “que não protegem o suficiente” da Covid-19 e as autoridades “facilitaram” ao admitirem modelos que oferecem apenas 70% de filtragem, quando existem no mercado “alternativas que superam os 90%”. O alerta, em jeito de lamento, é de Lourenço Aroso, dire(c)tor operacional da empresa PPTex, de Santo Tirso, que produz as máscaras comunitárias Protect Others, com um grau de filtragem certificado acima dos 95%.

Sinceramente, acho as palavras deste industrial um exagero. O artigo, com grande destaque na página principal do Sapo, hoje de manhã, cheira muito a publicidade.

Temos de ter em mente que o uso de máscaras não anula o chamado distanciamento social de, pelo menos, 1,5m. Respeitando-o, as máscaras com 70% de filtragem cumprem perfeitamente o seu objectivo: evitar a circulação livre do ar entre as pessoas, ao respirar. Ninguém precisa de máscaras cirúrgicas, com mais de 90% de eficácia, no dia-a-dia (a não ser talvez, em certos transportes públicos). Na Alemanha, até se aceitam simples lenços a cobrir a boca e o nariz nos supermercados e comboios e a pandemia, neste país, está bastante controlada (o maior problema continuam a ser os matadouros).

Apesar de reconhecer que as autoridades portuguesas cometeram erros desnecessários (e, para isso, baseio-me largamente nos textos aqui publicados pelos meus colegas de blogue), declarar que elas  “facilitaram” ao admitirem modelos que oferecem apenas 70% de filtragem é, na minha opinião, de um grande atrevimento.


19 comentários

Imagem de perfil

De Vorph "ги́ря" Valknut a 02.07.2020 às 18:07

Cristina se as cirúrgicas oferecem mais de 90%de filtragem e sendo o preço de 50 máscaras cirúrgicas à volta de 30€ considero que faz sentido em Portugal, sobretudo em Portugal, dar preferência a estas últimas. Quanto aos lenços (que tipo de lenços?) poderem ser equiparados às máscaras acho uma tontice.

Es tut mir Leid
Imagem de perfil

De Cristina Torrão a 02.07.2020 às 19:03

Normalmente, lenços de pescoço, que as pessoas sobem para a cara. Penso que a ideia é: mais vale o lenço do que nada. Eles não são equiparados às máscaras, apenas são tolerados. Mas vê-se muito pouca gente a usar lenço. E a situação, por aqui, está mesmo muito controlada (para já).

Eu prefiro, claro, máscaras de pano, que se podem lavar, do que as descartáveis. Até hoje, penso que só usei duas descartáveis. Por isso, não compro cirúrgicas. Se o distanciamento for cumprido, não são precisas as cirúrgicas. No caso de ser impossível, já não digo nada.
Imagem de perfil

De Vorph "ги́ря" Valknut a 02.07.2020 às 19:25

Sim, aposto sempre que possível no distanciamento, mesmo usando máscara. Se o passeio for estreito e ver gente na minha direcção afasto-me ou vou para o outro lado. Contudo profissionalmente opto pelas N95 e desinfecção das mãos
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.07.2020 às 18:38

Qualquer máscara é melhor que não ter máscara.

-O vírus vem em gotículas e poeiras com muito maior dimensão que o próprio vírus.

-Mesmo que a infecção ocorra com grande probabilidade uma parte da carga viral ficará na máscara eventualmente diminuindo a sua intensidade.


lucklucky, o kulak

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.07.2020 às 19:40

Os irmãos Dalton não diriam melhor...
Imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 02.07.2020 às 19:01

Concordo consigo Cristina. As máscaras com filtragem a 70% ou superior são garantidas nacional e internacionalmente como seguras.
Sem imagem de perfil

De Lúcio a 02.07.2020 às 19:31

A ver, duas medidas importantes: distanciamento "social" muitas vezes difícil mas a mais importante e uso de máscaras, se todos agirem assim, o risco é mitigado (transportes públicos à cunha é um grave problema, mesmo com máscaras), mas maior ainda é o problema de que há muita gente que não cumpre, que vai para os cafés socializar sem distância e sem máscara. Até já ouvi o argumento de que usar máscara obrigatoriamente é um atentado à liberdade pessoal e portanto à democracia. O cansaço que todos sentem, a falta de disciplina de muitos e um racional destes conjugam-se para que as coisas possam correr mal e não estão a correr bem.
Sem imagem de perfil

De António a 02.07.2020 às 20:10

Parece-me que a PPTex quer a mesma mama do costume, uma lei à medida do seu produto. Não é a única.
Para filtrar saída de vírus para o ambiente até um pano dá. Para filtrar entrada de vírus já a conversa é outra - se calhar nem as da PPTex servem. O juízo ainda é o melhor filtro, não adianta ter uma máscara que filtre 100% e mexer nela e nos olhos, ou mexer nela e apertar a mão a alguém.
Sem imagem de perfil

De ShakaZoulou a 02.07.2020 às 22:57

O atrevimento foi o de não terem divulgado os estudos para basearem essa afirmação porque ela é correcta. Nós hospitais no Vietnam como é normal haver falta de máscaras o pessoal auxiliar e enfermeiros usam as chamadas máscaras de pano e por isso foi encomendado um estudo á dez anos onde se chegou á conclusão que são inúteis e até contraprucedentes aumentavam a taxa de infecção aí SARS e ao MERS, os outros coronavirus humanos existentes na altura. Em outro estudo de 2014 para estudar a eficácia das máscaras cirúrgicas na contenção dos vírus influenza, rinovirus e coronavirus usando 123 pessoas com sintomas como cobaias, tiveram como resultados que a carga viral nas gotículas e aerossóis expirados são mesmo muito baixos em relação á carga viral detectada nas amostras nasais e da garganta e também que as gotículas transportam uma baixa carga viral de coronavirus em relação às cargas encontradas nos aerossóis. Portanto a probabilidade de assintomático infectar alguém deve ser baixíssimo se não nulo e quem tiver sintomas, sinal de carga viral elevada se não usar uma máscara cirúrgica ou de capacidade de filtração superior, não vale a pena usar nada porque a carga viral expelida será quase idêntica a ter qualquer coisa á frente das vias respiratórias. Conclusão quem não tem sintomas ponha qualquer porcaria á frente da boca para respeitar as regras e servir como efeito placebo. Se entretanto encontrar de novo esses estudos divulgo.
Imagem de perfil

De Cristina Torrão a 03.07.2020 às 18:51

Por mim, não precisa de divulgar esses estudos, confio nas suas palavras. Mas repare que não incluí, no meu post, o trabalho nos hospitais. Aí, vale a segurança máxima. Apenas falei na vida social, respeitando o distanciamento, onde o objectivo é que o ar não circule livremente de pessoa para pessoa. Mas, como outros comentadores referiram, é verdade que há situações em que esse distanciamento não é possível. Aí se justificará uma melhor protecção.
Sem imagem de perfil

De ShakaZoulou a 02.07.2020 às 23:00

O que me revolta foi a DGS, nas conferências de imprensa que fazia não apresentar os estudos onde baseavam os seus conselhos. Nem a OMS é explícita em relação a isso.
Imagem de perfil

De Cristina Torrão a 03.07.2020 às 18:52

Penso que o problema é que, tanto a DGS, como a própria OMS, se sentem inseguras quanto ao assunto. Ainda não há suficiente conhecimento de causa.
Sem imagem de perfil

De Elvimonte a 02.07.2020 às 23:13

As máscaras, ou quaisquer outras barreiras a cobrir o rosto, destinam-se a proteger terceiros e não o próprio.

O objectivo do seu uso consiste em impedir que as gotículas (desde 5 microns de diâmetro, ou coisa que o valha) na fase líquida provenientes da normal expiração, do acto de falar, de tossir e espirrar se disseminem pelo ambiente.

Durante cerca de 2 meses escrevi aqui neste blogue sobre o tema. Afirmações fundamentadas em estatísticas e artigos científicos. Geralmente contra tudo e contra todas as almas menos esclarecidas, para ser simpático.

A sua eficiência de filtragem é irrelevante. Tão irrelevante quanto o seu uso em espaços abertos e bem ventilados, como uma praia. Diria até que aí o seu uso é ridículo. Tão ridículo quanto a ausência do seu uso em espaços fechados.

Lamentável que passado este tempo todo ainda alguém não tenha compreendido o essencial.
Perfil Facebook

De Ricardo Abreu a 03.07.2020 às 13:02

Concordo com tudo o que escreve. Acrescentaria apenas os cuidados óbvios no manuseamento das mesmas.
Imagem de perfil

De Cristina Torrão a 03.07.2020 às 18:54

Subscrevo, Evilmonte.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.07.2020 às 08:30

Livros - bem estar - saúde - educação - SIM, ajudam em tudo

Livros - erudição - cultura - literatura - NÃO

Cumprts de:
ler é o melhor remédio - nos tempos livres
https://lereomelhorremedio.blogs.sapo.pt/

fl
Sem imagem de perfil

De ShakaZoulou a 03.07.2020 às 10:21

Está certo que puxa a brasa à sua sardinha, mas tem razão esse tipo máscaras sociais e com poder de filtragem de 70% de partículas 2,5 não são mais que um placebo.

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D