Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Reflexão do dia

por Pedro Correia, em 29.06.17

«Sabe-se que o Eucalyptus Globulus consome recursos hídricos, arde com relativa facilidade, alimenta uma forte fileira industrial e ocupa aproximadamente 25% da floresta portuguesa. Sabe-se também que é uma das raras fontes de rendimento de populações do interior, como os autarcas da Região Centro frequentemente salientam. E sabe-se, por fim, que nos 200 mil hectares de eucaliptos, sobreiros e pinheiros geridos directamente pela indústria da celulose a área ardida é anualmente inferior a 1%. Aqui chegados, onde acaba a culpa do eucalipto e começa a dos proprietários?»

Luís Nazaré, no Jornal de Negócios

Autoria e outros dados (tags, etc)


13 comentários

Sem imagem de perfil

De Frederico Pinto Basto a 29.06.2017 às 21:43

http://geracaobenfica.blogspot.pt/2017/06/fora-de-campo-o-tempo-da-falta-de.html
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 29.06.2017 às 21:49

Revejo-me muito nesse texto, claro.
Sem imagem de perfil

De rão arques a 29.06.2017 às 22:57

"Culpa do eucalipto ou do proprietário, onde uma começa e a outra acaba".
A propósito do almoço Presidente/1º Ministro saiu-me esta reflexão:
Que durante o repasto estes dois comparsas tenham um momento de lucidez. Acertem da melhor maneira que entenderem acabar com o martírio a que a Senhora MAI está a ser sujeita que até dá pena. Acaba a inocente ministra por ser grande vitima quando é posta a funcionar como escudo humana na trágica comédia de salvação de um cadáver politico. Se Costa não se disponibilizar a sair pelo próprio pé, o Senhor Presidente tem que assumir com coragem a decisão de o mandar embora. Se não conseguem calibrar a coluna ao menos tenham dó em primeiro lugar de vocês próprios.
Sem imagem de perfil

De kika a 29.06.2017 às 23:09

Não faço ideia de quanto são rentáveis os eucaliptos
mas sei o quanto são caros os pinhões.
Adoro pinhões que utilizo nos meus cozinhados ,saladas ou
simplesmente ao natural a ver um DVD ou a ler um livro que me
"prende " me "agarra" . O meu comentário não faz sentido ?
Está na hora de me recolher. A kika da Comporta reduz-se à sua insignificância.
Gostaria de plantar pinheiros,oliveiras e mimosas.
Está mal escrito?
Queiram desculpar.
Sem imagem de perfil

De xico a 29.06.2017 às 23:44

É proibido plantar mimosas!
Sem imagem de perfil

De kika a 30.06.2017 às 00:39

As coisas que gosto ou são caras ou são proibidas.
Sem imagem de perfil

De xico a 02.07.2017 às 20:22

São espécies exóticas extremamente invasoras e um perigo para a biodiversidade.
Sem imagem de perfil

De kika a 02.07.2017 às 23:07

Não fiz pesquisa e acredito em si.
Tenho sempre a oportunidade de as apreciar no
sul de França. Os meus amigos enviam.-me sempre
um pequeno raminho nos primeiros dias de Maio.
Sem imagem de perfil

De kika a 02.07.2017 às 23:11

Acredito. Tenho sempre a oportunidade de as apreciar no
Sul de França. Todos os anos no início de Maio recebo um
raminho que os meus amigos de lá me enviam.
Tenha uma boa semana Xico.
Sem imagem de perfil

De kika a 02.07.2017 às 23:38

Queira desculpar ... uma resposta era suficiente
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 30.06.2017 às 08:45

É certo que os eucaliptos consomem água, mais do que muitas outras espécies, mas não a destrói - a água consumida pelas árvores volta para a natureza sob outras formas.
Mas também é certo que as plantações de eucaliptos bem ordenadas não ardem facilmente e que facilmente são limpas.
Sem imagem de perfil

De AntónioF a 30.06.2017 às 09:24

Caro «Tiro ao Alvo»
então no último dia útil de Junho de2017 descobriu que «os eucaliptos consomem água, mais do que muitas outras espécies, mas não a destrói - a água consumida pelas árvores volta para a natureza sob outras formas»?
Presumo que tenha direito a um Nobel... .... em 2018.

Espere, desculpe!
Não pode ser!... no século XVIII houve alguém que afirmou: «na natureza nada se ganha, nada se perde, tudo se transforma».

Rai's parta o Lavoisier!

Se Lavoisier perdeu, literalmente, a cabeça, a história dos eucaliptos faz o meu amigo, e todos os filopafistas, andarem de cabeça perdida.
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 30.06.2017 às 15:27

António, atente no que escrevi: todas as plantas consomem água, umas mais do que outras. O António pensa que as árvores destroem a água que consomem e que, a longo prazo, não haverá água no planeta? Olhe que está enganado: se a água é essencial à vida animal, as árvores também são.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D