Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Presidenciáveis (28)

por Pedro Correia, em 25.03.15

paulo-de-morais-foto[1].jpg

 

Paulo de Morais

 

Há quem sonhe com um justiceiro em Belém. E ninguém merece mais este rótulo do que o vice-presidente da associação cívica Transparência e Integridade, Paulo de Morais, que em 2001 Rui Rio arrancou a uma pacata existência como docente de Estatística e Matemática ao torná-lo seu efémero braço direito na Câmara Municipal do Porto, com os pelouros da habitação e urbanismo.

Este minhoto de 51 anos, signo Capricórnio, não tardou a trocar a Avenida dos Aliados pelos ecrãs televisivos e pelas colunas dos jornais, onde vai expressando o seu imenso nojo por quase tudo quanto mexe na política. 

É um discurso muito sintonizado com o ar do tempo. Ajuda a captar audiências e agrada a muita gente disposta a "pôr fim a esta bandalheira" - seja lá o que isso for.

 

Prós – Tem a pose grave e o gesto solene de quem se dispõe a qualquer sacrifício para regenerar o País. Mantém lugar cativo no Correio da Manhã, tanto na versão televisiva como na edição em papel.

 

Contra – A sua retórica cruza por vezes em excesso o discurso do taxista com a prédica do tele-evangelista. Em certos momentos abusa do odor a santidade: chega a ser cansativo ver tanta virtude concentrada numa pessoa só.


26 comentários

Sem imagem de perfil

De Justiceiros não, obrigado... a 25.03.2015 às 13:31

Concordo com os "contras". Inicialmente, apreciei (e continuo a concordar com) a sua denúncia dos deputados que o são de manhã e se tornam advogados de grandes escritórios à tarde, mas também vim a concluir que enferma de um espírito justicialista levado a um extremo arrepiante, além de um ego descomunal. Aprendi com a vida a desconfiar (para não dizer a sentir horror) de gente assim.

Nunca levará o meu voto.
Sem imagem de perfil

De gty a 25.03.2015 às 18:40

E-xac-ta-men-te.
Este nunca teria o meu voto.
Vou votar no Henrique Neto.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 26.03.2015 às 13:57

Já ouvi dizer que Henrique Neto é um candidato muito idoso. Discordo. Idoso é o Avô.
Sem imagem de perfil

De Satenta e oito a 26.03.2015 às 16:14

O Henrique Avô?
Sem imagem de perfil

De JC a 25.03.2015 às 13:59

Este Sr intitula-se há anos vice-presidente de uma associação de transparência e integridade. Alguém sabe quem é o presidente desta associação? Tem um comportamento muito Frei Tomás...
Sem imagem de perfil

De Essa é fácil a 25.03.2015 às 15:40

https://transparencia.pt/luis-sousa/

Não se percebe lá muito bem é porque o presidente nunca aparece, aparecendo sempre o vice (que agora tem o mandato suspenso...)
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 26.03.2015 às 13:56

Consta que o presidente é uma pessoa muito tímida.
Sem imagem de perfil

De am a 25.03.2015 às 15:20

Os contras são melhores que os prós!

Este já foi à Drª Fátima Campos Ferreira?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 25.03.2015 às 17:07

Quem não foi?
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 25.03.2015 às 15:31

A sua retórica cruza por vezes em excesso o discurso do taxista com a prédica do tele-evangelista.

Isso não é o Medina Carreira?
Sem imagem de perfil

De c a 25.03.2015 às 18:42

Os taxistas não costumam saber os números certos, ou terem sido ministros das finanças.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 26.03.2015 às 10:10

Claro que Medina Carreira não é taxista. Ele é o guru dos taxistas.
Foi ministro das Finanças há muitos, muitos anos. Creio que há três décadas. As Finanças portuguesas já mudaram muito desde então.
Sem imagem de perfil

De Sempre na mesma a 26.03.2015 às 13:10

Preguicite ou incompetência aguda.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_ministros_das_Finan%C3%A7as_de_Portugal
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 26.03.2015 às 13:43

Foi ministro das Finanças de 1976 a 1978. Ou seja, há mais de três décadas. Ainda pior do que o que eu escrevi.
Sem imagem de perfil

De rmg a 25.03.2015 às 16:12


Muita gente disposta a "pôr fim a esta bandalheira" preocupa-se normalmente com a bandalheira "dos outros", porque a própria tem sempre óptimas justificações.

E o mais grave é que esse espírito é transversal à sociedade e a todas as classes sócio-económicas...
Imagem de perfil

De José Meireles Graça a 25.03.2015 às 16:59

É um grande defensor da tese segundo a qual os deputados, sobretudo advogados, não devem ter qualquer actividade profissional, embora careçam de experiência de vida.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 25.03.2015 às 17:06

Essa tese conduz fatalmente ao monopólio da actividade política por parte dos políticos profissionais (o PCP, por exemplo, já a pratica: grande parte dos deputados comunistas são funcionários do partido). Por ironia, alguns dos defensores de tal tese costumam insurgir-se também contra a profissionalização da política, o que os leva a mergulhar bem fundo na Quadratura do Círculo.
Imagem de perfil

De José Meireles Graça a 25.03.2015 às 17:23

Precisamente, Pedro. Detesto manifestar concordância, mas consigo acontece-me, às vezes, não ter outro remédio.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 25.03.2015 às 17:40

Eheheh. Nada melhor do que continuarmos a manifestar concordância, um dia destes, sentados a uma mesa bem condimentada. Por cá ou por aí, tanto faz.
Sem imagem de perfil

De am a 25.03.2015 às 20:02

"Mergulhar na Quadratura do Circo"

Ou não será antes;

Triangulatura do Circo amais o seu amestrador?

?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 25.03.2015 às 21:00

Também existe a célebre Cavalgadura do Circo.
Sem imagem de perfil

De da Maia a 26.03.2015 às 11:06

Arranjo um tempinho para este... LOL!
Este "presidenciáveis" é mais uma lista de "televisionáveis"...

Bom, mas a política deve ser o único palco em que as putas podem acusar as virgens de não serem cu-rompidas.
Só numa sociedade sodomizada, em que dar o cú por um tostão é moeda de troca, é que pode ser mal visto denunciar a corrupção.

Que eu saiba, Paulo Morais tem resistido à prova do algodão, e por isso acho muito bem que haja alguém que tenha coragem para avançar explicitamente com nomes e denúncias substanciadas.
https://www.youtube.com/watch?v=ENKjHro2uFo

Não é pelo facto de não serem ilegais que as práticas institucionais não são uma total bandalheira moral. Afinal, só por manifesta incompetência cometeria ilegalidades quem as legisla.

Quanto à sua candidatura política, o Pedro tem razão... o personagem é cansativo, monótono... falta-lhe carisma. Descreve um crime abominável na AR com o mesmo entusiasmo com que come um pastel de Belém.
Nisso é bastante diferente de Marinho Pinto, seu colega na CM-TV.
(Não deixa de ser curioso que Marinho Pinto, especialmente depois do resultado das Europeias, tenha sido remetido para a CM-TV... mas isso é outra conversa da nossa "democracia televisionada".)

Quanto à bandalheira... que bandalheira?
Estes sucessivos escândalos políticos e financeiros são o quê?
São o pouco que transborda de um tacho do regime cheio de tachos.

Será agora politicamente incorrecto denunciar a política incorrecta?
É claro que o BE e o PCP também, de vez em vez, denunciavam uns casos, mas depois foram consequentes com isso, ou deixaram as coisas cair no esquecimento?
Há ou não há uma implantada podridão moral na legislação e administração política?

Bom, mas é natural que a resposta do lamaçal seja atirar lama contra quem não está sujo. No entanto, não deixa de ser uma total nojeira de sabujos.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 26.03.2015 às 14:00

O seu comentário dá pano para mangas, daMaia. Podia destacar vários trechos. Mas fico-me por este, que me parece certeiro e sugestivo:
«Não deixa de ser curioso que Marinho Pinto, especialmente depois do resultado das Europeias, tenha sido remetido para a CM-TV... mas isso é outra conversa da nossa "democracia televisionada".)»
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.03.2015 às 15:28

Ainda um outro grande CONTRA no Paulo Morais: É abortista!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 01.04.2015 às 22:12

Também defende o aborto ortográfico?

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D