Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Porque será?!

por Helena Sacadura Cabral, em 24.10.17
Apetecia-me dizer que "estou a ficar velha". Mas seria profundamente ridícula, porque se há alguma coisa que sou, é velha. E, confesso, cada vez gosto mais de o ser...
É que os azares e as desventuras são tantas que, às vezes, tenho dificuldade em acompanhar o dia a dia, embora me considere uma pessoa interessada pelo mundo que me cerca. 
Não, não me estou a referir a Portugal em particular. Estou a referir também a Espanha, o Reino Unido - que de unido vai tendo cada vez menos-, a Alemanha, a Timor, enfim a esta sociedade actual, que parece regredir quando, surpreendentemente, a evolução tecnológica deveria fazê-la progredir.
Porque será que quanto mais evoluímos, menos humanidade revelamos?!

 


13 comentários

Sem imagem de perfil

De Beatriz Santos a 24.10.2017 às 20:15

Talvez Nietzshe se tenha enganado na morte que anunciou e o protagonista, para não dizer o morto, seja o homem.
Sem imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 24.10.2017 às 22:00

É isso mesmo D. Helena . Tornámo-nos mentalmente numa espécie de Benjamin Button, esclerosados, tortos , desarticulados, impacientes...
Demasiada tecnologia embrutece.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.10.2017 às 23:05

"Demasiada tecnologia embrutece." Apoiado, vamos acabar com as ressonâncias magnéticas, com a internet, com os telefones e os satélites etc.
Sem imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 25.10.2017 às 12:43

de·ma·si·a·do
(espanhol demasiado)
adjectivo
1. Excessivo.
2. Descomedido, supérfluo.
3. Desregrado; abusivo.
advérbio
4. Para além da medida ou da intensidade considerada normal; em demasia ou em excesso. = DEMASIADAMENTE

"demasiado", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/demasiado [consultado em 25-10-2017].


Aposto que o anónimo utiliza a tecnologia em DEMASIA...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.10.2017 às 22:42

estamos a substituir o Human touch pelo Byte touch...
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 25.10.2017 às 09:11

É uma questão que coloco todos os dias... Até hoje ninguém teve coragem de responder...
Sem imagem de perfil

De anamar a 25.10.2017 às 09:32

Talvez mesmo devido a essaa evolução tecnológica que adulterou os comportamentos.

Abraço, :)
Sem imagem de perfil

De Romão a 25.10.2017 às 13:47

Está tudo na literatura. Há um livro do Yuval Harari que se chama "breve historia da humanidade" que é bem capaz de dar uma resposta á pergunta do post.
Sem imagem de perfil

De Beatriz Santos a 25.10.2017 às 15:33

Alto lá...apoio a revolução tecnológica. A tecnologia por si mesma não embrutece. Depende - e muito - do uso que dela se faça. Simplificou bastante a nossa vida. Permite-nos num ápice o contacto com quem está longe ou impossibilitado de movimentos... bendigo o avanço tecnológico. O que me parece é que as pessoas estão a meter os pés pelas mãos e, por exemplo, a prescindir de reflectir por ser mais fácil ler o que outros pensaram; ou dizer enormidades que ficam sem sanção porque o anonimato o permite. E muitas mais razões haveria a expor e que são comhecidas de todos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.11.2017 às 16:06

A minha tia-bisavó Luzia gostava muito de ver televisão, as novelas, as notícias e os programas de teatro e música. Repetia constantemente o valor do 'mundo inteiro numa caixa com luz e botões'. Quando lhe mostrei o meu primeiro computador portátil e tudo o que podia fazer com essa outra caixa menor que a sua caixa da costura ficou maravilhada. Passados uns dias, vendo-me constantemente a trabalhar com o computador, perguntou-me: Olha lá, essa máquina também te faz festas e diz que gosta de ti?
Se calhar é isso que é importante e os humanos estão a esquecer passando demasiado tempo com máquinas sofisticadas que não providenciam o essencial.
Imagem de perfil

De Alice Alfazema a 26.10.2017 às 08:16

É uma questão difícil de responder e para a qual, também procura resposta, parece que há uma estupidez colectiva à solta.


Um abraço
Sem imagem de perfil

De JgMenos a 26.10.2017 às 12:38

A tecnologia nada tem a ver com o caso.
Não é a tecnologia que faz os guiões de telenovelas que banalizam a sacanagem ou que compõem discursos demagógicos de políticos corruptos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.10.2017 às 00:50

A minha velhice relembra-me constantemente as luzes e as sombras de que somos feitos.A alegria e a amargura.O amigo súbito e o canalha.É intrínseco a esta matéria,desde sempre penso.Apenas transferimos para as máquinas o que de profundo existe no obscuro genoma.

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D