Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Por favor, senhores jornalistas

por Rui Rocha, em 30.01.15

Se num dos próximos dias se cruzarem, por acaso, com Antonis Kostas, secretário-geral do Partido Socialista, em vez de se ficarem por tomar notas nos caderninhos daquilo que o personagem se lembrar de dizer, e tendo em conta o entusiasmo com que recebeu a eleição do Syriza, façam também alguma (todas não que podem tomar-lhe o gosto de exercer a profissão como deve ser), das seguintes perguntas:

  • quando o PS for governo, Antonis Kostas vai aumentar o salário mínimo para 750€?
  • quando o PS for governo, Antonis Kostas vai aprovar a distribuição de energia eléctrica gratuita a 300.000 portugueses carenciados?
  • quando o PS for governo, Antonis Kostas vai abolir as taxas moderadoras do acesso a consultas do Sistema Nacional de Saúde?
  • quando o PS for governo, Antonis Kostas vai concretizar algum programa de readmissão de funcionários públicos? Em caso afirmativo, em que moldes?

É que eu gosto de ir planeando o meu voto com alguma antecedência e preciso de saber se o entusiasmo é genuíno ou se é só o mais velhaco oportunismo. Pode ser? Obrigado.

Autoria e outros dados (tags, etc)


16 comentários

Imagem de perfil

De Helena Sacadura Cabral a 30.01.2015 às 13:05

Ora aqui estão verdadeiras perguntas de avaliação. Quando ele responder, talvez vote...
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 30.01.2015 às 13:54

Exactamente, Helena.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.01.2015 às 13:07

Eu também gostava que os jornalistas, perguntassem ao senhor primeiro ministro porque razão, mentiu, aos portugueses quando ele já tinha assinou o memorando da Troika e sabia como estava o país. É ele que governa e é ele que nos tem mentido sucessivamente.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.01.2015 às 13:43

Ó avençado, hoje é dia de visitas em Évora e o 44 está mortinho por ler o livro de Rui Mateus "Contos Proibidos".
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 30.01.2015 às 14:08

Mas só quando acabar de ler o livro dos poemas que o Arnaut lhe levou um dia destes. Coitado do 44.
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 30.01.2015 às 14:06

Passos Coelho será julgado em breve em eleições e os eleitores têm já evidência do que prometeu e do que cumpriu. Já manifestei aqui no DO que Passos Coelho deveria ter-se demitido por não ter legitimidade para concretizar medidas que eram incompatíveis com as promessas eleitorais. Não vejo, todavia, em que é que a condenável e inaceitável quebra de promessas eleitorais de Passos Coelho justifica a intolerável demagogia de António Costa.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.01.2015 às 15:55

Chegará a altura do António Costa. Até lá, faz o mesmo que todos os outros e só cai quem quer. Se mentir deverá ser responsabilizado, tal como Passos o deveria ser e pagar por isso. Isto, de ser julgado em eleições, não é nada porque como todos sabemos, eles têm já os poleiros assegurados porque enquanto nos vão desgovernando, vão-se governando a eles.
Sem imagem de perfil

De Mas só se mentir a 31.01.2015 às 17:23

Em Junho 2011, António Costa declarou ser impossível acumular o cargo de secretário-geral do PS com a presidência da Câmara de Lisboa.
Sem imagem de perfil

De Alfacinha a 01.02.2015 às 17:08

Uma vergonha. A câmara duma capital governada em part-time é no mínimo indigno.
Sem imagem de perfil

De Mas só se mentir a 31.01.2015 às 17:25

“Não é possível acumular a liderança do PS e a presidência da Câmara Municipal de Lisboa. O PS precisa de um secretário-geral a tempo inteiro e o município de Lisboa de um presidente com dedicação exclusiva”
Sem imagem de perfil

De Tempo Perdido a 30.01.2015 às 13:41

O Kostas está lá há 2 meses, depois de umas (duas, no caso) directas convocadas com 4 ou 5 de antecedência e até hoje só percebi que ele tem um botão que desencadeia o crescimento. Perguntar-lhe isso seria muito apropriado, mas inútil.

Já agora, que raio terá levado o Kostas a mudar de opinião quanto à impossibilidade de acumular a presidência da câmara de Lisboa com a liderança do PS?

http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=27&did=94679
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 30.01.2015 às 13:58

De momento, há uma grande vantagem no facto político Syriza: deixa a nu a diferença entre um discurso retórico e um outro que, independentemente das consequências que à frente veremos, concretiza o que prometeu.
Sem imagem de perfil

De William Wallace a 30.01.2015 às 15:53

Caro Rui Rocha lamento desiludi-lo mas António Costa como qualquer bom (mau) politico limita-se a surfar na onda e até agora nada apresentou nem vai apresentar ainda que se o fizesse poderíamos sempre depois esperar que virasse o bico ao prego tal como eu sabia que PPC faria.

Aqui pelas Terras Altas desde que a troika chegou e partiu nada se alterou no panorama politico mantendo-se (nalguns casos acentuando-se) o status quo de despesismo autárquico e "ineficácia" na resolução dos problemas do cidadão comum que não está "instalado" na sua zona de conforto.

Pela parte que me toca não votarei no PS cheio de carpideiras e viúvas do 44.

António José Seguro poderia ter sangrado o PS mas não conseguiu pois também ele esperava que o poder lhe caísse no regaço.

Tenha atenção que o actual governo já começou a anunciar medidas eleitoralista como por ex. :

http://www.publico.pt/economia/noticia/governo-alarga-contribuicao-extraordinaria-aos-contratos-de-gas-da-galp-1684362

e irá continuar para tentar manter o aconchego do poder nem que seja num governo do centrão todo mas comigo também não conta.
Sem imagem de perfil

De rmg a 30.01.2015 às 16:18


300.000 famílias, o que talvez aponte para 1.000.000 de pessoas que nunca mais se vão preocupar em desligar os interruptores.

Fora as "puxadas" dos vizinhos, claro.
Sem imagem de perfil

De não é pedir muito a 30.01.2015 às 17:06

Será que posso contar com o perdão do que me falta pagar do empréstimo da casa?
Sem imagem de perfil

De Marquês Barão a 30.01.2015 às 18:29

Tenho a todo o tempo consciência afinada do lastro de plantação para o meu voto, que até se pode pautar pela ausência a que chamam abstenção. Nunca é em poucos dias de feira a que chamam campanhas que altero avaliação própria, consolidada com experiências acumuladas durante anos.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D