Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Perguntas que gostava de fazer (2)

por Paulo Sousa, em 16.09.19

Drª Catarina Martins,

Em tempos disse que o Syriza era a "possibilidade de esperança e de que na Europa se possa sorrir".
Poucos meses depois o governo de Alexis Tsipras usou gás lacrimógenio para dispersar uma manifestação de reformados.

Acha que o gás lacrimogénio faz sorrir?

Autoria e outros dados (tags, etc)


15 comentários

Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 16.09.2019 às 16:56

Sugestão:

Dra. Catarina Martins, o que distingue o PS do BE? Em que parte da social democracia se distinguem? Tendo em consideração a génese do BE, o que diferencia o BE de hoje, do de então? Alguns apontam-na a si e à sua direcção como traidora da carta fundadora do BE? Como é possível terem apoiado sucessivamente orçamentos de Estado elaborados pelo presidente do ECOFIN, responsáveis pela maior carga fiscal que há memória? O que pensa dos serviços mínimos decretados pelo governo, aquando da greve dos motoristas, e do silêncio dos partidos defensores do Trabalho?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.09.2019 às 19:55

Dra porquê!?

Pelo menos de mim não merece reverência alguma. É uma oportunista.

CarlosC.
Imagem de perfil

De Paulo Sousa a 16.09.2019 às 19:59

Quando faziam oposição eram muito afoitos a apontar as contradições dos outros. O António Costa promoveu-as a muleta.
Sem imagem de perfil

De Anonimus a 16.09.2019 às 21:20

Uma greve ilegal convocada por um sindicato inorgânico.
Maior baixa de impostos de sempre
Redistribuição da riqueza.
Melhores serviços públicos

Sejamos sérios.
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 16.09.2019 às 22:50

Uma greve ilegal?!! Então o Estado decreta para uma greve ilegal serviços mínimos? Negoceia com dito Sindicato?

Redistribuição da riqueza? Onde?

Mande-me um nome daquilo que fuma. Parece que funciona
Sem imagem de perfil

De Anonimus a 17.09.2019 às 10:59

Requisição civil, e muito bem.
O sindicalismo aos sindicatos.
Estes fachos chantagistas têm de se submeter aos superiores interesses nacionais. Os próximos são esses enfermeiros, com o seu pseudo sindicato financiado pelo grande capital da direita liberal
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.09.2019 às 16:45

Nada com o sindicatos soviéticos.


lucklucky
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.09.2019 às 18:49

Dirão que tal gás provoca nos idosos lágrimas mas de alegria por tanta generosidade sirizista/bloquista.
Imagem de perfil

De Paulo Sousa a 16.09.2019 às 19:54

O Zé Cabra também tinha uma música que falava de lágrimas e que punha toda a gente a rir...
Sem imagem de perfil

De Anonimus a 16.09.2019 às 21:21

Nos congressos do Bloco há sempre fumarada, e o pessoal sai de lá alegre.
Sem imagem de perfil

De V. a 16.09.2019 às 23:24

A verdade é que desde que o Saruman do bloco entrou para o Conselho de Estado, ninguém tem razões para sorrir
Sem imagem de perfil

De Vento a 17.09.2019 às 10:22

Para esta geringonça, mudança significava mudar pessoas e deixar tudo na mesma. Encantadamente andam muitos a sorrir mesmo com o prato vazio dos outros.

Para fingir que mantêm o prato cheio, andam com conversa fiada sobre feminismo, arvorezismo, lgbtismo, animalismo, generozismo e Cia. lda. Se alguma coisa os geringonceiros revelaram, foi: vale tudo para garantirem os ordenados e pensões que Bruxelas lhes paga. Para garantir isto oferecem a miséria que provocam.

A geringonça só têm demonstrado obras em favor de Salazar. Se existisse um manual de história comparada certamente registar-se-ia que a liberdade existe até onde se esgota o alimento. Sem fôlego não existe liberdade. A liberdade por que eles lutam é a de seu prato.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.09.2019 às 16:40

"A geringonça só têm demonstrado obras em favor de Salazar"
Você sabe o que diz ou já se passou?
Sem imagem de perfil

De Vento a 17.09.2019 às 20:22

Quem soube equilibrar bem as contas foi Salazar e não a geringonça do Costa. Não só as equilibrou como pôs o país a crescer com investimentos verdadeiramente estruturantes e sem contrair dívida. Portugal antes do 25 de Abril era o país europeu em que a taxa de poupança das famílias era das mais elevadas, mas dizia-se que a pobreza era como mato.
A geringonça do Costa alivia o défice, mas cortando na despesa primária e fazendo cativações; e aumenta a dívida fazendo-a rolar também e sem investimento.
Significa isto que a geringonça garante seus ordenados e pensões de Bruxelas, alisando o mais que pode seu futuro, fazendo os outros pagar: uns com a pobreza; outros com impostos insanos para garantir o serviço da dívida e os juros. Mas reduzir a dívida, Népia.
A situação obriga a mais endividamento familiar e ainda por cima apoiam o mercado especulativo imobiliário com leis de tendas e, por outro lado, empurram as famílias para os braços da banca para que adquiram casa própria. Salazar, conhecendo bem o país e a situação, congelou rendas e garantiu rendas acessíveis.
Não me venham com a estorieta da degradação do parque habitacional pós 25 de Abril, porque este degradou-se pelas políticas governamentais de incentivo à especulação imobiliária que dizia garantir casa própria mas com endividamento à banca. Está aí o resultado.
A geringonça não entendeu que ir mais longe é para quem sabe caminhar.

Se lhe subsistem dúvidas sobre as obras em favor de Salazar é porque anda a ler demasiados romances.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D