Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Pensamento da semana

por Pedro Correia, em 28.02.21

 

Se a burrice pagasse imposto, Portugal era um país rico.

 

Este pensamento acompanhou o DELITO durante toda a semana

 


68 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.02.2021 às 00:18

Não! Pelo o contrário seriamos ainda mais pobres...
Sem imagem de perfil

De V. a 22.02.2021 às 10:33

Ahahah, boa
Sem imagem de perfil

De Carlos Sousa a 22.02.2021 às 00:39

Se a burrice pagasse imposto, Portugal era um país rico, as pessoas é que ficavam mais pobres.
Imagem de perfil

De SAP2ii a 22.02.2021 às 00:44

Desde que ser rico não fosse burrice.
Sem imagem de perfil

De sampy a 22.02.2021 às 07:22

Se a burrice fosse a votos, Portugal era um país socialista.
Sem imagem de perfil

De Anonimus a 22.02.2021 às 09:11

Se a burrice pagasse imposto, Portugal era um país com mais e melhores rotundas.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 22.02.2021 às 10:51

Questão nada incontornável.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.02.2021 às 09:11

Não. Pagar impostos não enriquece nenhum país. Bem pelo contrário...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 22.02.2021 às 16:30

Nada como a evasão fiscal para nadarmos em dinheiro. Se bem percebo.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 24.02.2021 às 15:50

O mercado negro é a melhor forma , por vezes a única de um país combater a pobreza.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 24.02.2021 às 15:56

Al Capone - que foi condenado por evasão fiscal - não diria melhor.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 28.02.2021 às 00:02

https://foreignpolicy.com/2011/10/28/the-shadow-superpower/
With only a mobile phone and a promise of money from his uncle, David Obi did something the Nigerian government has been trying to do for decades: He figured out how to bring electricity to the masses in Africa’s most populous country.
It wasn’t a matter of technology. David is not an inventor or an engineer, and his insights into his country’s electrical problems had nothing to do with fancy photovoltaics or turbines to harness the harmattan or any other alternative sources of energy. Instead, 7,000 miles from home, using a language he could hardly speak, he did what traders have always done: made a deal. He contracted with a Chinese firm near Guangzhou to produce small diesel-powered generators under his uncle’s brand name, Aakoo, and shipped them home to Nigeria, where power is often scarce. David’s deal, struck four years ago, was not massive — but it made a solid profit and put him on a strong footing for success as a transnational merchant. Like almost all the transactions between Nigerian traders and Chinese manufacturers, it was also sub rosa: under the radar, outside of the view or control of government, part of the unheralded alternative economic universe of System D. (...)

https://fee.org/articles/in-north-korea-black-markets-are-saving-lives/
https://en.wikipedia.org/wiki/System_D
Sem imagem de perfil

De João a 22.02.2021 às 10:20

Pois, seríamos como a Alemanha, os Estado Unidos etc. onde são todos burros desde há muito. E demonstraram que a burrice vale a pena.
Imagem de perfil

De SAP2ii a 22.02.2021 às 10:22

Ai, o que o Pedro Correia foi escrever !... Vai-lhe cair o carmo-e-a-trindade em cima.
... As coisas verdadeiramente interessantes e desafiantes deixar-se-ão possuir, ou poder-se-ão comprar? Duvido. Para que é necessário, então, "ser rico"?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.02.2021 às 10:53

"Para que é necessário, então, "ser rico"?"

Para não aturar tipos como tu!
Imagem de perfil

De SAP2ii a 22.02.2021 às 12:13

1. Essa ladainha é a ortodoxia Liberal.
2. É com essa ideologia e com essa ilusão --- qual banha-da-cobra --- que enganam os incautos. Ao convencerem-nos de que vão ter mais Liberdade. Ao convencerem-nos de que não vão ser desapossados do que têm, em nome da competitividade dos que virão. De que vão ser mais ricos.
3. Que vai tudo vai ser regulado pela «Lei Natural e Divina do Mercado» e pela «Lei Natural do Mais-Forte»?
4. Esse Liberalismo, ficou preso na crença e na fé de Locke e Adam Smith, cujo pai-espiritual foi uma leitura errada de Darwin.
5. Como se o sucesso na sobrevivência fosse «ser-mais-forte». Fosse «ser-mais-poderoso» do que os vizinhos e congéneres. Como se o êxito adaptativo fosse «ter-mais-do-que-os-outros», e se medisse pela quantidade.
6. Onde está esse propalado conceito Liberal de “eficiência absoluta”, de “não-desperdício” e de “optimização infalível”? O que vemos no Liberalismo é 5% dominarem os outros 95%. E nos sítios onde isso não é assim --- onde não há esse resultado estupidamente assimétrico --- os países estão no topo dos “Índices do desenvolvimento humano». E é onde há mais prosperidade e riqueza.
7. Essa ortodoxia Liberal é, o mesmo Liberalismo com que uma Comissária Europeia veio cá, ao Porto, quando Jaime Silva era ministro da agricultura. E perguntou, se “não era melhor arrancar as vinhas do Douro porque não eram competitivas”.
8. A Cultura Duriense achou que a burra era quem?
9. Ou aquele Liberalismo com que a IL afirma hoje, com ar angélico, que vendia aos estrangeiros as empresas portuguesas, em nome de um Mercado impoluto, universal e trans-nacional. Certamente descido da pureza dos céus. E sem comando de deuses bem terrenos, metidos em Fundos, Bolsas e outras off-shores sem pecado.
10. A «competição Liberal» é uma forma Socialista de roubar a Liberdade e a Riqueza às Nações e a 95% das Pessoas. Ao impedir o caminho de cada qual. Ao obrigar a uma comparação com o que os outros fazem e querem. Um modo de uniformizar e aprisionar tudo e todos.
11. O Liberalismo é uma ditadura igual à do Comunismo e Socialismo, mas disfarçada com outra roupa. Em que as moscas mudam, mas a refeição é a mesma.
12. O Liberalismo destrói a Diversidade em nome de uma Igualdade (que é um acto ideológico e um conceito totalmente contra aquilo que são a Natureza e o Mundo). Defende uma Liberdade igualzinha à que o Bloco de Esquerda e das joacines que para aí andam.
13. Quem tem sucesso adaptativo e sobrevive, não é o mais-forte, o que chega-primeiro, ou o mais-rico e poderoso. Mas quem tem um rácio positivo entre «o que produz» e «o que gasta». Olhem para as planícies e para as florestas, para o mar e para as terras, para os seres e para as plantas... vejam a diversidade que a Natureza é. Vejam como cooperam, como comunicam. Não sejam burros.
14. Por exemplo, este Regime Abrilista, em 47 anos, nem num único ano conseguiu gastar menos do que produziu. Acumulando uma Dívida criminosa, que os jovens e seus filhos terão de pagar nos próximos 50 anos. Isso não se resolve com os Outros, resolve-se cá dentro.
15. Logo, pode haver soluções diferentes, sem que se tenha de derrotar o vizinho e a Diferença. Na Natureza não há um vencedor, há milhares de vencedores.
16. O futuro é a cooperação entre milhares de vencedores. Jamais a competição Liberal de meia-dúzia de pretensos “ricos” contra o resto do mundo. Já não há pachorra. Estamos fartos dessa burrice.
17. Há uma Alternativa, hoje, a esse impasse burriconço entre Liberalismo e Socialismo... (que infelizmente nos persegue desde a Revolução Francesa e a queda do Antigo Regime no séc.XVII).
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.02.2021 às 13:56

Tá a ver eu tinha razão! Aturar isto ?

A sua conversa é de gente pobre...
Imagem de perfil

De SAP2ii a 22.02.2021 às 14:41

Foi por isso que escrevi o mais comprido que pude...
Sem imagem de perfil

De o cunhado a 22.02.2021 às 10:57

Se burrice pagasse imposto, sozinho Jorge Jesus enriquecia o país.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.02.2021 às 12:24

Deixem lá Jesus sossegado. A arrasar o Benfica.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.02.2021 às 11:02

Vão mas é trabalhar seus malandros!!!!!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 22.02.2021 às 11:18

Se o ponto de exclamação for taxado, você vai à falência.

Comentar post


Pág. 1/3



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D