Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Pensamento da semana

por Luís Naves, em 09.12.18

A globalização aproximou territórios distantes e povos diferentes, mas ao encurtar o mundo esta nova época parece ter tornado os colossos mais modestos, a arte mais banal, a política mais medíocre, as ideias mais pequenas.

 

Este pensamento acompanhou o DELITO durante toda a semana

Autoria e outros dados (tags, etc)


15 comentários

Perfil Facebook

De Rão Arques a 03.12.2018 às 00:38

Nivelamento pela pobreza de espirito de braço dado com exibição de riqueza em amostra de fachada.
Imagem de perfil

De Pedro Vorph a 03.12.2018 às 00:47


1) A Arte é banal desde o dadaísmo e o modernismo do inicio do século XX. Contudo olhe para figuras com Arvo Part, Holst, Philip Glass, Lubomyr Melnyk, Shape of Despair….

2) A redimensão dos Colossos relaciona-se com a evolução e independência da Historiografia - a história, por encomenda, já não resiste nesta era de informação.

3) Sobre a politica, ela sempre se aproximou de uma banalidade da mediocridade, desde que substituímos as angiografias, pela historiografia. Kennedy, Nixon, Mitterrand, grandes lideres? Humanos, demasiado humanos….A politica apenas é grandiosa na época dos colossos antidemocráticos e nos Invernos populares - Napoleão, Mussolini, César, Borgia, Ivan IV….os colossos, são-nos porque se alçam em cima do "mexilhão"....mas espere. Lembrei-me de um. Incomparável. Nelson Mandela. Colossal!!

4)As ideias mais pequenas? Depende, olhe a investigação aerospacial. Em 2030 porventura em Marte.


Imagem de perfil

De Pedro Vorph a 03.12.2018 às 01:23

Correcção :
Holst é do início do século passado. Veja antes Joep Franssens.

Sem imagem de perfil

De Bea a 04.12.2018 às 08:50

Tem razão, Mandela é um colosso. Incomparável.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.12.2018 às 16:44

Em cheio.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.12.2018 às 16:52

À falta de surpresa ou, em rigor, à falta de vontade em reconhecer o desconhecido, vamos caminhando por um mundo feito de lego, do qual sabemos o tamanho e posição das peças. Um dia voltaremos a ter dúvidas. Queira a sorte que seja em breve.
Perfil Facebook

De Francisco Laranjeira a 04.12.2018 às 08:59

Bom dia.
O meu pensamento da semana, do mês, do ano e de sempre:
Eu tenho a minha parte de verdade, tu tens a tua parte de verdade, ele têm a sua parte de verdade, todos têm a sua parte de verdade. Saudações bloguisticas. fl
...
Francisco Laranjeira
https://www.facebook.com/francisco.laranjeira.796
https://franciscolaranjeira.blogs.sapo.pt/?utm_source=posts&utm_content=1543775192192
...
Imagem de perfil

De Pedro Vorph a 04.12.2018 às 22:33

O meu é este :

Pim Pã Pú cada bola mata um.

Sem imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 04.12.2018 às 20:30

A falta de valores queimou todas as fasquias. Vivemos numa época de torpor, de dormência de carácter , de escassez de princípios, de deterioramento moral. Tudo vale nada , e nada é o valor de referência patpra tudo.
Imagem de perfil

De Pedro Vorph a 04.12.2018 às 22:37

No tempo do outro é era bom! Fatima, Futebol e Fado. Ao menos hoje já só temos a bola e o futebol.
Perfil Facebook

De Francisco Laranjeira a 08.12.2018 às 10:24

Bom dia.
Olhe que não, olhe que não Srª Maria. Há valores, há muita gente acordada, muita gente com valor, há referências. Só há uma causa nacional que todos nós ainda não tivemos a coragem de "pegar pelos cornos": os miseráveis e vergonhosos baixos indices de leitura do nosso Povo. Mas, não percamos a esperança de que Portugal, um dia, tenha vergonha. Pela Pátria lutar. Cumprts fl
Perfil Facebook

De Francisco Laranjeira a 05.12.2018 às 09:42

Bom dia.
Gostei de ler este pensamento. Se acaso tivesse algo a acrescentar, fá-lo-ia mas, noutro contexto, para não ferir o pensamento do seu autor. A comentar aprendo. Cumprts. fl
Sem imagem de perfil

De JB a 05.12.2018 às 19:49

Se se encurta o mundo, também se encurta o que há nele. E a malta curte.
Perfil Facebook

De Francisco Laranjeira a 08.12.2018 às 08:03

Bom dia.
A globalização aproximou-nos do "fundamentalismo islâmico", sendo que, os fundamentalistas islâmicos "flagelam-se a eles próprios".., enquanto que os "fundamentalistas portugueses", flagelam os outros. Seja por conveniência, por cinismo, por hipocrisia, o que é facto é que, ainda há muita gente, no nosso País, a fazer coisas boas. Saudações patrióticas. Cumprts.fl

Comentar post



O nosso livro





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D