Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Delito de Opinião

Pedro Tamen

Patrícia Reis, 07.06.16

A minha morte, não ta dou.

A minha morte, não ta dou.
De resto, tiveste tudo
- a flor, a sesta, o lusco-fusco,
a inquietação do dia 8,
as órbitas das mães, das mãos,
das curiosas palavras de não dizer nadinha.
Tudo tiveste: estás contente?

Feliz assim por teres tudo o que sou?
Feliz por perderes tudo o que sei?

Só não te dou o que não serei.
Não, a minha morte, não ta dou.