Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Palavras para recordar (60)

por Pedro Correia, em 15.11.19

eduardo-lourenco[1].jpg

 

EDUARDO LOURENÇO

Diário de Notícias, 25 de Maio de 2008

«PS e PSD são duas alternativas à mesma coisa.»


11 comentários

Sem imagem de perfil

De sampy a 15.11.2019 às 10:42

Quereria ele dizer: "PS e PSD são a mesma coisa sem grandes alternativas"?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.11.2019 às 13:53

As alternativas dentro do sistema aparecem ciclicamente 'vem aí a recessão'.
A 'doença' dura mais ou menos tempo, até ser arranjada a 'vacina' especial aplicada aos doentes em estado grave e obrigando os que não aceitem ser vacinados, com excepção dos geneticamente imunes.
Sem imagem de perfil

De o cunhado do acutilante a 15.11.2019 às 11:59

Bem: se não é verdade, assemelha-se bastante.
Sem imagem de perfil

De Jameson a 15.11.2019 às 13:13

Por isso é que os BE, os LIVRE e os CHEGA se afirmam cada vez mais.
Fala-se muito e reprova-se mais, o chamado populismo... mas isso será necessariamente mau? O que é o populismo? Definição mais consensual será: Populismo é um conjunto de práticas políticas que se justificam num apelo ao "povo", geralmente contrapondo este grupo a uma "elite".
Ora então quem é que vota nestes partidos e nestes deputados? Não é o povo? Então se é o povo, porque razão é que é que estes deputados não devem trazer para o debate assuntos populistas? Mas agora a política, o debate político, as intervenções na assembleia da república só devem versar sobre temas afetos a determinadas elites?
Estamos mal habituados, ou melhor, estes anti populistas estão mal habituados. E esquecem-se que a maioria do povo votante não é intelectual, nem douturado, nem comentador político num canal de televisão. É absurdo que se queira minimizar o debate político a temas sugeridos nas tertúlias, nas quadraturas do círculo, ou nas salas das faculdades. Meus senhores, os temas falados e discutidos no café, na associação recreativa, ou na adega regional também são importantes... e de certeza com mais representantes do que esses círculos elitistas.
Ao ponto de o Sr. Ricardo Costa, irmão do nosso PM, num debate com os pequenos partidos, dizer que falar sobre os problemas do povo e dos quais o povo fala, não é necessariamente bom... mas que snob de merda.
Ora para estes embaixadores do politicamente correto, os deputados não devem dar voz ao povo que o elegeu. Devem apenas aplaudir os temas intelectualmente superiores, inseridos a debate por mentes superiores aos eleitores.
E é isto democracia? Em democracia debate-se tudo. Em democracia até as opiniões mais aterradoras são respeitadas. Em democracia não há temas do povo e temas das elites. Em democracia não se tenta silenciar partidos.
Portanto é a falta ďe populismo, de aproximação ao povo, que é quem vota, que torna um PSD num reflexo de um PS e vice versa.... e agora o povo fartou-se... não abram a pestana, não....
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.11.2019 às 15:08

Então e os outros partidos que já falavam do povo e dos problemas que os afecta?
Este 'populismo de agora' é apontado a quem se serve propagandeando os problemas do povo, que muitos gostam de ouvir, mas não os resolve. É tão fácil dizer que os imigrantes nos tiram os empregos e, depois, não há cá mão d'obra barata para termos produtos e serviços rentáveis. Praticamente todos os produtos/serviços de grande consumo é feito por imigrantes desde o fim da 2ª.guerra mundial, apenas tem variado a origem e o status dos imigrantes.
Sem imagem de perfil

De Jameson a 15.11.2019 às 18:37

Se for a ver todos falam. Não falam é da mesma maneira. Os partidos do sistema... e atenção que eu sempre votei em partidos do sistema, falam para elites, falam do povo, mas nunca em nome do povo. Falam do povo, mas nunca para o povo. Daí a minha decepção e a decepção de muita gente que vê nestes partidos emergentes a sua voz. A questão da emigração não é nem de perto, nem de longe a mais importante e maior bandeira destes partidos, apelidados de populistas. E em Portugal, meu amigo, mão de obra barata não falta, não é preciso virem os emigrantes para cá trabalhar. Não quero com isto dizer que sou contra a emigração, não sou. Mas não vejo com bons olhos potenciar uma autêntica invasão. É que estes partidos do sistema querem emigrantes queques, querem os dos vistos gold, os mafiosos e aqueles que vêm para aqui lavar dinheiro. E eles aproveitam, com um sistema judicial decrépito, lento, cheio de falhas e com molduras penais ridículas. Os problemas do povo têm de ser falados, têm de ser difundidos, em liguagem corrente e sem medo de ficar mal na fotografia da comunicação social beta e elitista. Já agora, aconselho-o a ler os programas eleitorais de alguns destes partidos. Aí verá que não é só falar, também se apresentam sugestões, direções, rumos a tomar para melhorar. Obviamente, dentro das ideologias de cada partido. Agora estar a dizer que estes partidos são populistas só porque falam, é pura ignorância. Falam, mas apresentam soluções.
Mas uma coisa é certa, estes partidos nem falar podem, porque os partidos do sistema escondem-se atrás dos regimentos arcaicos e anti democráticos, para os calar.
Agora diga-me... que raio de democracia é esta, que igualdade e bons princípios são estes, para defender a emigração, só porque são mão de obra barata? A mim parece-me exploração
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.11.2019 às 00:28

Emigração ou imigração?
A que sai (emigração) é considerada altamente especializada, a que entra (imigração) quanto mais inculta é a melhor as estufas, agricultura intensiva e trabalhinhos mal pagos que na nós não nos apetece.
Sem imagem de perfil

De Jameson a 16.11.2019 às 09:07

Peço desculpa se não me fiz entender, nomeadamente na questão da emigração e imigração. Mas se for a ver bem, vai dar tudo ao mesmo, porque a emigração, que como diz, é especializada, também não deixa de ser mão de obra barata, para os países que a recebem.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.11.2019 às 16:42

Há quanto tempo o PSD alijou o PPD.
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 15.11.2019 às 17:28

Dois caminhos para chegar à democracia. Concordo.
Sem imagem de perfil

De Singularis alentejanus a 16.11.2019 às 22:56

Poucas palavras para dizer muito(íssimo)

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D