Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Palavras para recordar (37)

por Pedro Correia, em 09.05.18

20050933_b9qI4[1].jpg

 

NICOLAU SANTOS

Expresso, 24 de Março de 2012

«José Sócrates continua a ser julgado em resultado de um conúbio lunar de alguns jornalistas, alguns polícias e alguns magistrados judiciais.»

Autoria e outros dados (tags, etc)


17 comentários

Imagem de perfil

De João Sousa a 09.05.2018 às 10:55

"Artur Baptista da Silva é um ilustre desconhecido para a maioria dos portugueses. Mas não devia ser um ilustre desconhecido para o Governo. Em primeiro lugar, porque coordena a equipa de sete economistas que o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, decidiu criar para estudar o risco geopolítico e social na Europa do Sul como resultado dos programas de ajustamento. E em segundo, porque é ele que ficará encarregado do Observatório Económico e Social das Nações Unidas para a Europa do Sul, a instalar em Portugal a partir de 2013." - Nicolau Santos, Expresso, 22/12/2012

Acho que se pode dizer, com inteira propriedade, que 2012 foi um ano vintage para Nicolau Santos.
Sem imagem de perfil

De Meister Von Kälhau a 09.05.2018 às 11:21

Nas vivendas de luxo da Aldeia da Coelha, têm casa de férias Cavaco Silva e alguns dos administradores que afundaram o BPN. O presidente disse à revista Visão que "não se recorda" de quando fez a escritura da casa nem onde é que a escritura foi feita

https://youtu.be/K3T3g_e4RN0

"Não se recorda", ou "provavelmente digamos", foram dos argumentos mais gastos durante o interrogatório do Sócras e seus liebe freunde

Entrevista a Cavaco, 2011:
Cavaco Silva e os 140% oferecidos pela SLN: "Eu era um mísero professor!"

https://youtu.be/9bcaNXB5JmQ

Submarino ao fundo: Paulo Portas no governo:

A passagem do CDS de Paulo Portas pelo governo ficou conhecida pelos escândalos que ainda estão sob investigação judicial. É o caso das comissões pagas pelos industriais de armamento ao Grupo Espírito Santo e os depósitos suspeitos nas contas do CDS no BES, bem como alguns despachos de última hora assinados pelos ministros do CDS após a derrota eleitoral de 2005.

https://youtu.be/vlmv4NwpF2o

Miguel Sousa Tavares :
Antes de haver julgamento, José Sócrates já foi julgado

https://youtu.be/cpPKisVSGAg

Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 09.05.2018 às 11:55

Esta frase permanece verdadeira.
O homem é julgado em público por ter recebido dinheiro de um amigo, coisa que, até ver, não é crime. Até agora, não se provou que ele tivesse cometido qualquer crime.
(É claro que é muito estranho que alguém dê a outrém muito dinheiro. Porém, por mais estranho que seja, não configura um crime. Karl Marx viveu a maior parte da sua vida a expensas de dinheiro recebido do seu amigo Friedrich Engels.)
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 09.05.2018 às 15:25

J. Pinto de Sousa é o Marx dos nossos dias. Vive espremendo a teta do "melhor amigo" Santos Silva, qual reencarnação de Engels.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.05.2018 às 22:40

Marx defendeu o povo. Sócrates defendeu os ricos. Nada a ver.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 09.05.2018 às 22:50

Coitado do homem. Até já os anónimos e as anónimas lhe escarram em cima.
Qualquer dia saio eu em defesa dele.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.05.2018 às 19:13

Há uma pequena diferença: Marx não desempenhava cargos públicos, nem havia qualquer dúvida que o dinheiro era mesmo do amigo.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 09.05.2018 às 22:51

São duas diferenças, afinal. E grandes, não pequenas.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 10.05.2018 às 09:55

Há uma pequena diferença: Marx não desempenhava cargos públicos

!!! Será que uma pessoa, lá por desempenhar um cargo público, perde os seus direitos? Em particular, o direito de pedir dinheiro emprestado a seja quem fôr - pode ser um banco, mas também pode ser um amigo?

Onde é que está a lei que diz isso, que um detentor de um cargo público não pode pedir dinheiro emprestado a um amigo?

Metade dos portugueses vive à custa de dinheiro emprestado (geralmente pelos bancos, para compra de casa e carro). Se um detentor de um cargo público perde o direito de pedir dinheiro emprestado, às tantas não haverá quem queira ocupar nenhum cargo público!

Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 10.05.2018 às 09:57

não havia qualquer dúvida que o dinheiro era mesmo do amigo

!!! Nunca ouvi tal sugestão, de que Carlos Santos Silva não fosse o verdadeiro proprietário do dinheiro que emprestava. Se ele não era o verdadeiro proprietário, como é que o obtinha? Roubava-o?

Imagem de perfil

De Sarin a 11.05.2018 às 08:56

!!!!!!!!!

Nunca ouviu qualquer sugestão?!
Bolas, Lavoura, se é exactamente esse um dos assuntos mais difundidos: as contas usadas serem usadas exclusivamente para empréstimos ao Sócrates! Primeiro-Ministro de um Executivo que adjudicou contratos vários a empresas do amigo que o sustentou.

Se conseguirão provar a origem do dinheiro ou não, é outro assunto. Ou acha que Carlos Santos Silva é arguido por ter emprestado dinheiro sem pagar imposto de selo?
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 11.05.2018 às 10:28

De facto, eu não tenho acompanhado os detalhes do caso Sócrates, portanto perdoe a Sarin a minha ignorância.

O facto de as contas serem usadas exclusivamente para empréstimos a Sócrates não significa que o dinheiro nelas não fosse de Santos Silva. Santos Silva era o verdadeiro proprietário do dinheiro nessas contas, e usava-o para o emprestar a Sócrates. Ou não?

Eu não sei se há algum problema em emprestar dinheiro sem pagar imposto de selo. Eu já emprestei dinheiro mais que uma vez sem pagar tal imposto. Acho que o imposto só se aplica aos empréstimos por bancos, não a empréstimos privados.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.05.2018 às 12:04

Não são detalhes, são peças fulcrais: porque está Carlos Santos Silva constituído arguido?
Perfil Facebook

De Rão Arques a 09.05.2018 às 13:42

Por onde anda este expresso das sombras?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.05.2018 às 13:53

Prof. Doutor Artur Baptista da Silva (" nom de plume, nicolau santos") dixit...com toda a autoridade advinda da fina percepção, escrúpulos editoriais e, sobretudo, a elevada exigência ética com que tem exercido a "profissão"...


JSP
Sem imagem de perfil

De Meister Von Kälhau a 09.05.2018 às 16:30

Não gostando de ser parcial concordo que Nicolau Santos pronunciou-se para além do razoável
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 09.05.2018 às 18:33

O que escreveste é português?

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D