Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O problema é que...

por Luís Naves, em 30.04.18

Entre nós, muitos autores continuam a olhar para Trump como uma perturbação ridícula, para Merkel como a líder do mundo livre, para o Brexit como uma calamidade, para os movimentos populistas como um fenómeno passageiro, para a Europa como um colosso. Julgo que se enganam e que, pelo contrário, vemos sinais de mudanças que ainda não entendemos em toda a sua complexidade, provavelmente em consequência de movimentos sísmicos mais profundos. No caso europeu, as razões da angústia eleitoral começam a ser mais claras: sociedades envelhecidas, com economias pouco dinâmicas ou estagnadas, enfrentam vagas migratórias em larga escala, perante a indiferença das suas próprias elites. Essas sociedades com demografia desfavorável têm de se adaptar depressa a rupturas tecnológicas que tornam a vida futura ainda mais imprevisível. Numa revista alemã, dizia-se quase em nota de rodapé, mas citando números oficiais, que em 2016 uma em cada quatro crianças nascidas na Alemanha tinha mãe estrangeira. Em 2022, a mesma revista estará a escrever que uma em cada quatro crianças na primária tem mãe estrangeira. Em 2034, será um em cada quatro recrutas nas forças armadas (admitindo na imaginação que regressa um improvável serviço militar obrigatório).


36 comentários

Sem imagem de perfil

De lucklucky a 01.05.2018 às 07:41

O Marxismo e os incentivos Socialistas destruíram as sociedades Ocidentais logo esses resultados são só o começo.
Ainda não viram nada.
Se hoje o resto do mundo ainda segue o Ocidente, por exemplo a India, o Japão e outros países têm boa parte das instituições modeladas na nossa cultura tal irá acabar a prazo.

Quer politicamente, culturalmente, e a prazo tecnologicamente (1) nada no Ocidente atrairá outras culturas. A reputação científica Ocidental terá uma enorme quebra com a fraude do Aquecimento Global.

A destruição da Universidade e Educação em curso continua pelo Marxismo https://www.americanthinker.com/blog/2018/04/university_of_texas_to_treat_masculinity_as_a_mental_health_issue.html

Porque é que Portugal passou em 40 anos de vários filhos por casal para definhamento demográfico com muitos melhores condições de vida?
Foi uma destruição cultural e social.

Hoje já se destruiu o sistema político e Portugal já não é uma Democracia. Veja se consegue Governar com um programa de direita votada por uma maioria de 45%. Não consegue, o jornalismo marxista encarregar-se-á de incentivar a violência e neutralizar esse Governo.
Isto acontece em boa parte do Ocidente.

(1) muitos produtos tecnológicos são lançados primeiro na Ásia e só depois na Europa- genericamente com atraso de 6 meses - claro que nada disto interessa ao jornalismo Marxista.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D