Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O pequenino lápis azul

por Rui Rocha, em 04.01.17

O espírito do nobelista vivia esgotadíssimo na Casa dos Bicos onde, como o próprio nome indica, a Pilar não lhe dava descanso. Decidiu, por isso, escapulir-se e refugiar-se nas profundezas mais recônditas do Convento de Mafra, junto mesmo às condutas do saneamento. Esperava, finalmente, encontrar um pouco de paz, ponto E encontrou-a. Encontrou-a, ponto e vírgula Encontrou-a até ao dia em que ouviu ao longe a voz aguda, estridente, de Pilar: "Joselito, iuuuuuuh! Sé qué estás aquí Joselito, iuuuuuh!". O nobelista, em pânico, agarrou-se aos próprios carrilhões, lançou-se no vazio e, esta é uma vantagem dos espíritos, não partiu as pernas ao aterrar porque, como é sabido, os espíritos não têm pernas. E, com essas mesmas pernas que sendo espírito não tinha, deu às de vila-diogo, ala que é cardume, enquanto ouvia ainda na estridência abafada do vento: "Joselito, iuuuuuh!". Os espíritos não têm pernas mas têm memória. E humanos que foram apesar de em essência já não serem, acabam sempre por procurar a natureza que melhor os define. O nobelista correu, portanto, esbaforido e sem pernas, para o DN. E desta vez não quis cá riscos que a estridência daquele "Joselito iuuuuh" ainda lhe fere aqui e agora o exacto sítio onde antes tinha os ouvidos. Nem prateleiras, nem arrecadações, nem condutas de saneamento. Rejuvenescido pelas memórias do DN, já cavalo à solta, longa crina esvoaçante, dentes afiados, com as veias a explodir como se as tivesse, puro-sangue, escolheu a vítima e entrou-lhe no corpo, ali exactamente onde devia estar e lhe faltava a coluna vertebral. O nobelista vive agora, espírito, no corpo de Paulo Baldaia. Faltam-lhe os carrilhões que tinha em Mafra, mas dispõe  de um pequenino lápis azul que o Menino Jesus deu ao Baldaia para ele brincar. Foi assim, ponto final


18 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 04.01.2017 às 11:50

Não estou muito por dentro dos factos.
Mas julgo ter apreendido o espírito da coisa.
E repudio-a tanto como o post.
Não sei se pelos mesmos motivos.
Pela parte que me toca, o que me toca e é para mim evidente é que, na comunicação social, imperam uns senhores que fazem parte daqueles que usurparam o 25Abril e que defendem a posição com unhas e dentes e que impõem uma censura ainda pior do que a da Velha Senhora, por mais intolerante, cínica e eficaz.
Seja como for e por que for, temos um inimigo comum.
Vamos a ele!
João de Brito
Sem imagem de perfil

De Bordalo a 04.01.2017 às 12:17

"impõem uma censura ainda pior do que a da Velha Senhora"

A Sério, João?
Por aqui, ainda não fui incomodado pelos homens de gabardine e óculos escuros. Ou isso, ou tenho a campainha avariada. Diga-me o João!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 04.01.2017 às 12:30

Formei-me e trabalhei na vigência do Antigo Regime e, pessoalmente, também nunca vi os "homens de gabardine e óculos escuros" (mas não os nego).
Mas o simples facto de andarem caracterizados, justifica plenamente o adjetivo que usei - "cínica".
Bom Ano!
João de Brito
Sem imagem de perfil

De Bordalo a 04.01.2017 às 13:12

Tem razão. Cínicos são os tempos. Dantes o perigo mostrava-se e por se mostrar deixava de o ser. Hoje ele espreita e por ocultar-se é perigoso.
Bom ano!
Sem imagem de perfil

De isa a 04.01.2017 às 13:12

"Fica um aviso, e um aviso muito claro de que só a opinião mansa, a que não faz ondas nem causa mossa, é tolerada. A outra é mal vista e, assim que possível, silenciada."

Por mim, concordo com o autor da frase, encaixa perfeitamente, em algumas "teorias da conspiração" que, para além de teorias, começam a esbarrar em muitos factos e, repetições do que se passa a nível global.

Depois admiram-se que a chamada informação "tradicional", até a nível global, ande a perder clientela mas, mesmo que a elite do 1% pense que somos, todos, como eles querem, sheeple, ou little people, docile, foolish, or easily led, afinal, seja a nível global e, pelos vistos, até aqui, no "Jardim da Europa à beira-mar plantado", começam a "acordar" e a saber juntar as peças do puzzle ;)

Não esquecer que, a informação "tradicional", lá fora e até por cá, se surpreendeu com a vitória de Trump, ainda não perceberam que, some sheep, begin to distrust what has been mixed in the straw e começam a petiscar palha orgânica, fora da manjedoura, sem autorização dos pastores que estão, algures, longe da vista
Depois do politicamente correto e, como de costume com atraso, por cá, só faltam as "acções firmes" contra "falsas notícias", daquelas que o "gado ande a comer" e lhes pode estragar as promessas de décadas que, todos os dias, seria um Nineteen Eighty-Four, com prados verdejantes e muita erva fresca ;)
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 04.01.2017 às 14:22

Asneiras.
Equipara-se à censura o facto de um jornal - num país em que existe uma pluralidade deles - prescindir dos serviços de um colunista. Como se um qualquer jornal, num país livre, tivesse a obrigação de manter para todo o sempre todos os seus colunistas. E como se esse colunista não dispusesse, num país livre, tanto de muitos outros jornais como também de redes sociais para continuar a divulgar as suas opiniões.
Faz lembrar o escarcéu disparatado que se levantou quando Marcelo foi "despedido" de comentador numa televisão, apenas para algumas semanas depois reaparecer noutra televisão.
Enfim, é a direita a rebobinar os disparates que dizia no tempo de Sócrates.
Sem imagem de perfil

De Bordalão a 04.01.2017 às 15:50

Qual é a coisa qual é ela que "Teve uma carta do diretor de informação a proibir-me de levar o Rafael Marques ao meu jornal"?

Que las hai las hai...
Sem imagem de perfil

De isa a 04.01.2017 às 20:23

Lavoura, tudo podia ser diferente e bem melhor, para isso, bastaria aplicar as Leis Naturais que são Universais e servem bem esta nossa breve passagem por este Planeta onde, por todos os meios, nos tentam dar percepções erradas da realidade (Uma série de convenções absurdas e, na realidade, somos energia eterna que se transforma, partículas subatômicas que vibram numa determinada frequência, no meio de muitos espaços vazios mas, isso, deixo para os especialistas da Física e Mecânica Quântica), eu limito-me a exemplificar essas Leis, nas coisas mais simples, como uma simples célula cancerígena que cresce e se divide para criar mais células que, eventualmente formam um tumor intratável ou pensa que a chamada prevenção e ao mínimo sinal ir ao médico, também são Asneiras?

Eu percebo-o muito bem, desde que a doença ataque os outros não há problema, só quando passa a ser problema seu é que geme, grita ou barafusta portanto, o Mundo está cada vez pior porque o problema não está só nos políticos, nem na elite do 1% que, apenas, sabem aproveitar a burrice dos 99% que, nem percebem que, individualmente, através do exemplo, teriam o tipo de Sociedade que desejam.
Sei que é difícil e, é muito mais fácil, assumir o papel de seguidor partidário, só tem que se ter uma inteligência de papagaio, onde a sua força vem de viver em bandos mas, se correr mal, podem sempre lavar as mãos como Pilatos e, só precisam de, novamente, substituir o líder partidário para o Mundo continuar na mesma ou pior.

"Conformity is the jailer of freedom and the enemy of growth"-John F. Kennedy "We must be free not because we claim freedom, but because we practice it" -William Faulkner

Ainda há pouco tempo, alguém me disse num comentário que, estando em minoria, não se pode, sequer, tentar mudar o Mundo, realmente até parece porque o Mundo só pode mudar através da mudança individual e não através de "grupinhos profissionais de feiticeiros" no entanto, mesmo que isso fosse impossível, prefiro pensar como muitos outros:

"The greatest fear in the world is the opinion of others, and the moment you are unafraid of the crowd, you are no longer a sheep, you become a lion. A great roar arises in your heart, the roar of freedom" - Osho
Sem imagem de perfil

De Bordalão a 04.01.2017 às 21:15

Não me leve a mal, mas a Isa faz-me rir!! As leis naturais!!. Pelas leis naturais o filho cópula com a mãe e o pai com a filha. E depois essa treta da física cósmica? Nem eles se entendem, os físicos. E quem lhe disse que as leis do infinitamente pequeno, são aplicáveis ao grande? Já ouviu falar em Emergência e Complexidade? É tão crédula!! E depois tanta citação! Acredita mesmo nesse chorrilho? É para lhe tornar o fardo menos pesado? E depois o Osho, esse Paulo Coelho indiano, cuja mensagem era que copulássemos como coelhinhos. Esse Osho que encheu os bolsos à custa do trabalho infantil, sendo o seu hobby favorito a coleção de Rolls Royce...que cheirete a caril. Tanta credulice, causa-me vómito... se a ofendi, peço desculpa. Estou etilizado (Tapada do Barão, tinto)
Sem imagem de perfil

De isa a 04.01.2017 às 23:00

Você até deve pensar que a palavra anarquia significa caos, nada como a ignorância para dizer o que vier à cabeça. Por isso, não é preciso muito para manipular os rebanhos.
A lei natural (lat. Ius naturale, lex naturalis) é uma filosofia de que certos Direitos ou Valores são inerentes, em virtude da natureza humana e podem ser universalmente compreendidos através da razão humana.
Historicamente, a lei natural se refere ao uso da Razão para Analisar a Natureza Humana tanto Social quanto Pessoal para deduzir Regras Vinculativas de Comportamento Moral. A Lei da Natureza, como é determinada pela Natureza, é Universal.
Quanto à "treta" da Física "Cósmica", não é cósmica é quântica e, aproveite para chamar crédulos aos matemáticos e físicos que estudam o assunto e, utilizando as suas palavras, não me leve a mal mas, isso de ser ignorante é uma opção pessoal.

Pode rir à vontade, nem sequer me surpreende e, a propósito disso, ainda lhe ofereço mais uma citação:
"First they ignore you, then they laugh at you, then they fight you, then you win." - Mahatma Gandhi
"Vómitos"? Experimente beber mais tinto
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 04.01.2017 às 16:11

A.Gonçalves, um homem livre entre lacaios domesticados.
O autor de uma "Campanha Alegre" dos nossos dias.
"Dispensado" pelo amanuense/burocrata servil ( e subserviente e acobardado) que teme pelo lugar à manjedoura, incapaz de discutir um ordem que vem "de cima".
Mesmo que , despedindo Alberto Gonçalves, o pasquim vergonhoso em que transformaram o D.N. tenha perdido a única voz livre e credível naquele harém de eunucos.
Ali, nem Casa de Bicos...

Sem imagem de perfil

De Bordalão a 04.01.2017 às 18:04

Alberto Gonçalves, conheci-o através da Revista Sábado. Espantei-me com semelhante prosápia, não tanto conteúdo, mas sim pela forma escolhida para expressar as sua opiniões. Em Alberto Gonçalves apenas li arrogância doentia,maldade e má criação. Um tipo de colunismo que me causa vómito. Talvez arranje um lugarejo no Pasquim da Manhã.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 04.01.2017 às 18:05

Espantoso até onde desceu o DN. Com pouco mais de 9000 leitores.

Só sobrevive a servir a política e como é óbvio quem a critica não pode ter lugar.





Sem imagem de perfil

De BELIAL a 04.01.2017 às 18:52

Os afundadores do DN, têm feito um naufrágio como deve ser.

Metódico, correcto, seguro.

Bem hajam: o subsídio de desemprego e o IEFP - esperam por vós.
Sem imagem de perfil

De Terry Malloy a 04.01.2017 às 21:08

Poderá ser mais complexo do que parece à primeira vista.

The plot thickens…

Alberto Gonçalves na Sábado do próximo dia 5.01.2017:

“Posso ou não escrever mariconço?”

O autor terá escrito o seguinte no Facebook, após a morte do cantor George Michael, a 25 de Dezembro:

“Alguns frequentadores desta página imaginaram que não gosto do George Michael por causa da orientação sexual dele. Essa agora. Contas por alto, cerca de 38,6% dos músicos que aprecio são ou eram mariconços. Detestá-los por isso seria tão ridículo quanto louvá-los por isso. O que abomino no falecido é mesmo a música, se é que aquilo merece a designação.”

A conta do Facebook foi bloqueada de imediato e o autor despedido do DN na mesma semana.

O marxismo cultural avança para uma nova fase de combate em Portugal.

http://www.sabado.pt/portugal/detalhe/posso_ou_nao_escrever_mariconco.html
Sem imagem de perfil

De Bordalão a 04.01.2017 às 21:22

Podem escrever o raio que os parta. Mariconço, Paneleiro, Provador de piças, Atrelado...mas pergunto-me, porque não optar por homossexual? É por Alberto Gonçalves ser muito macho? Ter uma piça que é uma canhão? Pela carinha bolachuda parece-me que Alberto também faz gosto à mãozinha.
Hoje em dia é moda os Albertos Gonçalves da parvónia orgulharem-se da sua estupidez. Digam o que quiserem, mas assumam as consequências do que dizem. Quem lhes paga o ordenado pode não ser um troglodita e ter alguma educação.
Existe uma diferença entre ser educado e ser sincero. Para quem a não sabe, azar. Volte aos bancos de escola, ou fale com a mãezinha.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 04.01.2017 às 22:09

E Rafael renasceu Puritano.
Sem imagem de perfil

De Bordalão a 05.01.2017 às 19:44

Antes puritano, que pudicíssimo.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D