Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Delito de Opinião

O Novo Aeroporto de Lisboa

jpt, 04.07.22

base_aerea_do_montijo_foto_luis_rosa11794914defaultlarge_1024.jpeg

Razões de paternidade convocam-me para que, daqui a algumas semanas, cruze o Trancão rumo a Inglaterra. Pesquiso as rotas possíveis e enfrento os preços. Desiludo-me com os caríssimos comboios e as sinuosas camionetas. Acarinho a ideia de subir aos bombeiros da Encarnação, mochila às costas e nas mãos o dístico "United Kingdom", num convicto "hei-de lá chegar" - entre várias outras do tipo, não cruzei eu tudo aquilo, polegar ao alto das framboesas de Inverness às maçãs de Leicester em apenas um dia?, e não foi assim há tanto tempo, parece-me...

Mas, enfim, rendo-me aos tempos. E vasculho as viagens aéreas, apartando-me de "companhias de bandeira", claro está. Nisso acabrunho-me face aos "low cost" que não o são assim tanto. A minha primeira pesquisa é a mais lógica: subir a Avenida de Berlim até à Portela, apanhar o avião até Londres, beber um sumo de laranja em Notting Hill (imaginando um choque com a Julia Roberts) e no dia seguinte seguir ao meu destino paternal.

Para pernoitar por lá telefono a uma queridíssima amiga, há décadas vivendo na cidade. A qual de imediato se disponibiliza para me aboletar. E, sabendo que cada euro me é precioso, logo me aconselha sobre as minhas várias opções. Pois se poupa no preço do avião e depois paga-se ainda mais nos transportes subsequentes... Digo-lhe que tendo para um vôo para um aeroporto mais excêntrico. Ela, muito viajada, tem uma aplicação telefónica apropriada e logo me explica rotas terrestres e preços até sua casa. E antes explica-me, "do aeroporto até cá a casa é como de Santarém a Cascais"...

Enfim, escolherei outra rota, mais "maneirinha" à bolsa, desembocarei noutro sítio qualquer. Pois nem todas as viagens terminam naquilo do sair do aeroporto, mochila nas costas, e descer a Avenida até casa. Como, nisso privilegiado, até já fiz.

Servirá de algo partilhar estas memórias e presentes com as nossas "elites"?

7 comentários

Comentar post