Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O melhor é antecipar os calendários

por Sérgio de Almeida Correia, em 14.08.14

Sabendo-se que conta com todos, com excepção daqueles que antecipadamente excluiu, espero que António José Seguro anuncie rapidamente o seu governo de coligação. E as pastas. O referendo entre militantes, para evitar "arranjinhos de poder e caprichos pessoais", parece-me uma excelente ideia. O ideal era realizá-lo já, se possível para a semana, tirando partido do início da época futebolística.

Creio é que também seria conveniente aproveitar-se a oportunidade para se perguntar aos militantes se estão de acordo com a presença dos elementos do Governo Sombra, de Jorge Jesus e dos Xutos e Pontapés nessa frente alargada. O Rojo é que teria de ficar de fora porque o Bruno de Carvalho antecipou-se. O referendo poderia então funcionar, aos olhos dos simpatizantes, como um estímulo para a maioria absoluta. E, já agora, como umas primárias antecipadas.

Se a coisa corresse bem poupava-se tempo. Quem sabe se também as primárias?

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Vento a 14.08.2014 às 19:52

Afirmei desde o início queTózé Seguro surpreenderia pela positiva. Não quero agora comentar os traços que me levaram a concluir desta forma.
Mas posso concluir que o único erro (bem intencionado, mas erro) de Seguro foi ter deixado que nas eleições europeias Costa, tal como uns socratianos, onde se inclui Sócrates, aparecessem como decisores fundamentais na vitória da mesma.
Esta só não teve a expressão desejada por alguns do PS na medida em que estava em causa dotar o Parlamento Europeu de eleitos capazes de imprimir a viragem necessária de políticas, foi o caso do bem sucedido Marinho Pinto.

Costa pretende reabilitar-se do desastre sofrido no Rato, onde arrogantemente pretendeu impôr uma alternativa de que se saiu mal.
Com a primeira iniciativa e esta, Costa assina o decreto de sua exclusão quer a primeiro-ministro quer a Presidente da República. E Mario Soares foi o artífice do mesmo, que também o encaminhará a ser no futuro um simples espectador político e um comentador sobre como o PS, com ele e por ele, deixou de ser o que era com ele.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D