Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O discurso da ditadura

por Pedro Correia, em 21.03.16

Em Cuba não há opositores. Há "dissidentes", como lemos e ouvimos a toda a hora. É espantoso como o léxico oficial da mais velha ditadura do hemisfério ocidental, feroz repressora dos direitos humanos, consegue contaminar o discurso jornalístico dos países com liberdade de imprensa. Pela mesma lógica, um Álvaro Cunhal ou um Mário Soares, por exemplo, nunca teriam sido opositores a Salazar: não passariam afinal de "dissidentes" do regime.

Autoria e outros dados (tags, etc)


42 comentários

Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 21.03.2016 às 10:29

Nos tempos da ex-URSS, também se falava sempre de "dissidentes". Portanto, a nomenclatura não tem a ver exclusivamente com Cuba.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 21.03.2016 às 10:41

Nenhum jornalista alguma vez colocou uma foto de um menino cubano afogado por os pais terem de fugir do regime comunista.

Nem têm interesse em colocar.
Já o menino sírio foi capa de jornais.

Aliás nenhum jornalista nos fala de quantos milhares de mortos já provocou a fuga dos Cubanos do Comunismo Castrista.

O jornalismo antes de o ser é política.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.03.2016 às 01:24

Estou de acordo com Obama, pior que tudo em Cuba é o embargo a que foram sujeitos. É certíssimo que se Cuba não tivesse o embargo de tem sido alvo, a vida lá seria bem diferente.



Imagem de perfil

De Pedro Correia a 22.03.2016 às 09:22

Pior que tudo em Cuba é a ditadura a que os cubanos estão sujeitos há 57 anos. É certíssimo que se Cuba não tivesse ditadura a vida lá seria bem diferente.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.03.2016 às 12:21

Chame-lhe ditadura chame-lhe o que quiser, mas afirmo-lhe que a maneira como vivem não os incomoda nem os faz serem mais tristes, mais melancólicos, menos espertos, menos capazes de ver o mundo. São dos povos mais cultos, onde a investigação na saúde é das maiores, onde a alegria não lhes falta e com ela nos contagiam. Falam de tudo sem medo, de Fidel e da sua história e do único que têm pena é de terem um embargo e que esse embargo lhes forneça os bens que o seu país não lhes pode dar. Eles vivem assim, é assim que querem viver que vivam ou vamos fazer como fizemos no Iraque porque viviam em ditadura e não podiam viver dizíamos nós. Agora vivem no nada e no medo constante da morte que está sempre ali ao lado. Os povos que vivam como quiserem, nós não temos o direito de lhes impor a democracia, democracia essa que nós atropelamos todos os dias.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 22.03.2016 às 12:44

Este seu comentário parece o de um membro da União Nacional durante o consulado salazarista. Basta substituir Castro por Salazar: fica o retrato imaculado de um defensor da ditadura.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.03.2016 às 17:05

Não deturpe nem leve o assunto para onde quer porque se o faz, fá-lo por si, não pelo que escrevi. Escrevi o que vi e ouvi e não o que dizem e que se saiba no tempo de Salazar só estudava quem tinha dinheiro os outros, não tinham direito a isso nem a nada. Não defendo nem defendi nem defenderei ditadura nenhuma, mas não posso impor a ninguém aquilo que não querem ou não saibam ter. Viu-se o que tem dado o impor-se a democracia em países que não sabem viver em democracia. Não vi ninguém a mendigar, mal vestido, com fome, mas vi carência de muitos bens, aos quais não podem aceder, devido ao embargo a que estão sujeitos. A a isso chama-se maldade pura porque ninguém tem o direito de privar os outros de bens essenciais só porque têm uma política que os outros não gostam. Se queremos ser exemplo que o sejamos em tudo e não só no faz de conta. Está à vista a democracia mascarada que se vive nesta Europa, onde se tratam os refugiados sem humanismo e sem dignidade, coisa impensável, em pleno século XXI.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 22.03.2016 às 17:55

Pobrezinhos mas honrados. Orgulhosamente sós. A mentalidade salazarenta no seu esplendor.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.03.2016 às 18:36

Insiste na mentalidade salazarenta, lá saberá porquê? Saudades provavelmente. Vale mais pobres que corruptos. Deixe-se dessa insistência ridícula que não leva a lado nenhum.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 22.03.2016 às 22:44

Saudades tem você. O seu discurso tresanda a salazarento. Pobrezinhos mas honrados, orgulhosamente sós.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.03.2016 às 23:18

Não deixa o Salazar está visto. Pobres são os de espírito e esses, há-os aos pontapés. Os outros, podem ser pobres, mas são nobres de coração enquanto os os ricos lhes viram as costas, não se preocupando se têm aquilo que deviam ter. Os pobres de espírito têm medo dos cubanos porque eles são perigosíssimos que é vê-los, a provocar o pânico no mundo. Haja boa vontade, humanismo que os cubanos não incendeiam mentalidades e o único que querem, é que os deixem viver com dignidade. Se não somos capazes de ver isto, então estamos em decadência e paupérrimos em espírito e boa vontade.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 22.03.2016 às 23:24

E você não deixa o Castro - o Salazar cubano.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 22.03.2016 às 15:48

" Os povos que vivam como quiserem, nós não temos o direito de lhes impor a democracia, democracia essa que nós atropelamos todos os dias."

Já o Partido tem o direito de impor ao Povo o Comunismo.

Ser de Marxista é isto, nunca ter de pedir desculpa. Excepto as repugnantes mea culpas ao partido.

Pelos milhares de fuzilados: de generais, a artistas e poetas, do povo ao velho aristocrata. De mulher de um "dissidente" violada porque é preciso ameaçar e intimidar sem matar porque o "dissidente" é demasiado famoso, da advogada rebelde torturada na prisão Comunista.
De membros do Partido fuzilados porque não foram zelosos ou porque faziam sombra para quem tem no Partido o poder do momento.
Das dezenas de milhar afogados e mortos a fugir do regime Comunista.

O povo é uma abstracção que tem todo a mesma vontade segundo as teses Marxistas- claro que a vontade do povo é a do Partido, apesar de milhões terem fugido. O individuo claro que não conta.

Sem imagem de perfil

De lucklucky a 22.03.2016 às 15:37

"Estou de acordo com Obama, pior que tudo em Cuba é o embargo a que foram sujeitos. É certíssimo que se Cuba não tivesse o embargo de tem sido alvo, a vida lá seria bem diferente."

Então o Comunismo não pode existir sem o Capitalismo Americano...

É mesmo patético o nível intelectual da Esquerda.

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.03.2016 às 17:51

"... feroz repressora dos direitos humanos..."

Obama, pelos vistos, acha que o embargo é mais ferozmente repressor dos direitos humanos...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 22.03.2016 às 09:23

Não há ditaduras boas. Todas as ditaduras são más.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 22.03.2016 às 15:54

Sim. Obama passou a sua juventude e idade adulta jovem com Marxistas obviamente assim pensa.
Não incomoda nada a Obama como primeiro Presidente anti-Americano. que Cuba seja Comunista.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 22.03.2016 às 16:07

Obama serve os interesses estratégicos dos EUA. É do interesse estratégico dos EUA quebrar o eixo Havana-Caracas, o que está a ser conseguido. Ainda há dias, em desespero, Maduro foi a Cuba, tendo sido tratado como figurante menor - nada a ver com os dias da "inabalável irmandade" entre Chávez e os irmãos Castro. A Venezuela, sem parceiros internacionais, está isolada como nunca.
Quanto à ideologia, aqui funciona o princípio enunciado por Churchill na II Guerra Mundial justificando a sua visita à Rússia de Estaline: "Se o diabo aceitar ser aliado do Reino Unido contra Hitler eu irei ao inferno falar com ele."
Sem imagem de perfil

De Miguel Ribeirp a 22.03.2016 às 19:25

Três idas ao Chimarrão e seis ao Elefante Branco dão direito a opinar sobre a politica no Brasil? A pergunta que deixo é qual o Vosso conhecimento de Cuba? Não sei se repararam mas o Raúl Castro disse à jornalista para dar a lista dos presos políticos, até agora não consta que tenha aparecido.
Sim Cuba é uma ditadura, os candidatos que aparecem no poder local são todos muito parecidos e com um pensamento também muito igual. Sei do que falo, já lá estive 15 vezes. Em todo o caso é uma ditadura muito diferente de todas as outras. Alguém quer comparar com a democracia de Angola por exemplo? Em Angola as pessoas votam, os candidatos são diferentes, mas tentem ir para o parlamento falar em corrupção por exemplo. Tenho simpatia pelo povo Cubano, pelo orgulho que eles tem no seu País algo que nós aqui não temos devido aos ladrões que nos governam há tantos anos. Em Cuba não haveria Sócrates, Isaltinos e pessoas dessas em liberdade, em Cuba prendem o Pai se o filho não vai à escola. Há Racionamento de leite porque ele só está disponível para as crianças. Podia dar aqui milhares de exemplos da diferença entre ditaduras. Mas tenho uma ideia melhor, vão até lá, provavelmente mudam de opinião.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 22.03.2016 às 22:42

Tem simpatia pelo povo cubano? Não se nota. Se tivesse simpatia pelo povo cubano simpatizava com os 3,5 milhões de cubanos que se autoexilaram desde que a tirania comunista da família Castro se instalou na ilha, em 1959. Se tivesse simpatia pelo povo cubano saberia que em 2015 aumentou o número de saídas ilegais do país. Porque os cubanos, que há mais de 60 anos não podem escolher os dirigentes que os (des)governam, votam assim, da única forma que podem. Com os pés. E muitos têm pago essa ousadia com a vida.
Você não simpatiza com o povo cubano. Simpatiza com a ditadura cubana, o que é muito diferente.
Sem imagem de perfil

De Miguel Ribeiro a 23.03.2016 às 12:15

Pedro Correia como sabe que se autoexilaram? Os 5 ou 6 milhões de portugueses que saíram também se autoexilaram? Parece-lhe estranho que com as dificuldades que existem em Cuba os seus habitantes procurem alternativas? Sabe quantos saíram o ano passado em Cuba? Menos de 10 000 sabe quantos saíram de Portugal? Não acho que Portugal seja uma ditadura mas com o seu argumento até pode ser...
Em relação a eleições em Cuba que existem mas obviamente com candidatos controlados já dei a minha opinião no post anterior.
Vou repetir a parte que pelos visto não percebeu admiro o povo cubano que com imensas dificuldades apresenta em quase tudo o que é importante os melhores rácios que pode encontrar. Admiro a sua força que contra tudo e todos foram superando as dificuldades mantendo o orgulho na sua pátria. Poucos países se podem orgulhar do mesmo, mais incrível sempre com alegria.
Mais uma vez sugiro que vá lá, a primeira vez fui a Varadero fazer praia, depois aprendi que é um país incrível com pessoas incríveis, passei a ir todos os anos, quase sempre um mês e ando pelo País todo. Vá lá, sem dogmas e ideias preconcebidas, tenho a certeza que muda de opinião, não a respeito de ser ditadura ou democracia porque aí estamos de acordo, mas o resto, e o resto faz toda a diferença.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 23.03.2016 às 13:23

Você ainda não ouviu dizer que Cuba é uma ilha?
Está a comparar com Portugal, que está inserido no Espaço Schengen onde vigora a liberdade de circulação para centenas de milhões de europeus e ninguém precisa de pedir autorização oficial para sair do País?
E não sabe que as viagens dos cubanos ao exterior, sem consentimento prévio das autoridades, estão proibidas?

Os cubanos não saem: fogem.
Arriscando muitas vezes a vida nessa fuga. E muitos têm morrido. Fogem em jangadas improvisadas, em pequenos botes, como podem. E podem pouco. Porque quase tudo em Cuba é propriedade do Estado.
Em Abril de 1980, quando o Castro mais velho decidiu abolir as restrições à emigração durante um curto período, chegaram aos EUA 114.462 cubanos.
Até a filha do Castro mais velho fugiu do "paraíso" cubano:
https://www.youtube.com/watch?v=-fj00MEV0sE

O espantoso é que, apesar destas restrições que transformaram a ilha numa gigantesca prisão, as fugas continuam. No ano passado, por exemplo, quatro remadores e oito hoquistas - metade dos membros da selecção cubana de hóquei - pediram asilo político durante os Jogos Pan-Americanos, no Canadá.
http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=4699955

Sugestões adicionais de leitura:
http://www.usatoday.com/story/news/world/2015/12/09/cuban-migrants-stranded-costa-rica-belize/76973418/
http://www.newyorker.com/news/news-desk/the-cuban-migrant-crisis
Sem imagem de perfil

De Miguel Ribeirp a 23.03.2016 às 14:06

Eu sei que Cuba é uma ilha, e você sabe que a Madeira e os Açores também são? Então vá ver quantos saíram. Talvez perceba que se todos voltassem às nossas ilhas aquilo ia ao fundo. Também não preciso de lhe explicar que antes do espaço Schengen os portugueses saiam, saiam porque procuravam melhores condições de vida, tal como os cubanos. Você vê um problema na filha de Fidel sair do País eu vejo a certeza que mesmo a filha do Fidel não tem privilegios em Cuba.
Já reparou que Fidel é o único ditador que não é rico? É só isto que lhe quero dizer, a ditadura em Cuba é diferente das outras ditaduras, se quiser será tipo o comunismo que muitos apregoam mas de todo impossível. O que lhe digo é que tenho simpatia e admiração por um povo como o cubano, tento perceber um pouco mais da sua historia e não ligar muito ao que diz a imprensa americana ou europeia. Conheço alguns como o Pedro que mudaram de opinião quando lá foram. É muito melhor pensar com aquilo que vemos e sentimos que com aquilo que se lê. O desafio está feito, vá lá e depois pense. Ou se preferir continue a pensar como pensa, basta continuar a ler o mesmo e os mesmos.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 23.03.2016 às 15:42

Castro é o único ditador que não é rico?
Onde é que você foi buscar essa ideia mirabolante?
Castro tornou-se dono de Cuba inteira. Isso inclui casas, carros, iates, vivendas de praia. E até uma ilha só para ele.

Você devia ler um pouco mais.
Deixo-lhe estas sugestões:
http://www.theguardian.com/world/2014/may/21/fidel-castro-lived-like-king-cuba
http://www.lexpress.fr/actualite/monde/amerique-sud/la-vie-de-nabab-de-fidel-castro_1545125.html

Sem imagem de perfil

De Miguel Ribeirp a 23.03.2016 às 16:06

Agora a argumentação deu-me vontade de rir. Cada um acredita no que quer. Aposto que o Fidel também usa o fato de treino nos iates, ilhas e demais bens que só o autor desse livro conhece.
A credibilidade do Juan Reinaldo Sanchez é nula porque até ser afastado estava com o Fidel, depois de ter sido afastado é que viu tudo o que relata no livro? Não sei se já leu o livro, eu já, é anedótico. Só é tido em conta em Miami nos chamados cubanos americanos e pelos visto pelo Pedro Correia.
Então não acha estranho que uma pessoa tão rica como diz ser o Fidel nunca tenha sido visto no mundo a gastar, nenhuma conta bancária apreendida, nada?
Ficamos por aqui, estamos a discutir o tema como se discute Benfica Sporting e isso não leva a lado nenhum.
Sem imagem de perfil

De MM a 23.03.2016 às 18:57

Tem toda a razão Miguel Ribeirop. Já lá estive, falei e contactei com eles a fundo e tenho a mesma opinião. Bem haja o povo cubano.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 23.03.2016 às 21:05

"Contactou com eles a fundo"? Hum. Devem ter-lhe dito que podem escolher os deputados em eleições periódicas, ninguém os incomoda se criticarem o Governo, exercem com frequência o direito à greve, não têm a menor restrição em viajar para o estrangeiro, auferem o maior salário médio da América Latina, dispõem de acesso irrestrito à internet, são livres de militar no partido que entenderem, possuem o maior número de jornais do hemisfério ocidental e não são governados por dois irmãos desde 1959.
Ainda bem que "contactou com eles a fundo". Ficou a conhecer Cuba tal como ela é.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 23.03.2016 às 21:07

Tudo quanto você escreve é verdadeiro, Miguel Ribeirp. A começar no seu nome.
Sem imagem de perfil

De Miguel Ribeiro a 23.03.2016 às 22:44

Pedro cálculo que tenha percebido que o meu nome é Miguel Ribeiro e que o "P" apareceu por engano na tecla.
Mas o seu argumento continua a surpreender.
Podia deixar-lhe aqui um rol de rácios onde Cuba supera praticamente todos os países da Europa, mas cálculo que alguém que argumenta com links tão interessantes também conhece os links de organizações independentes e credíveis.
Por falar em democracia e ditadura porque raio os meus posts tem de ser aprovados para serem publicados? Sei que muita gente escreveria umas quantas porcarias mas mesmo assim era preferível, pelo menos era democrático, assim não difere muito do que aquilo que diz acontecer em Cuba.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 23.03.2016 às 23:36

Essa é boa. Você elogia a ditadura cubana, onde quase ninguém tem acesso à internet. A 'wi-fi' é uma miragem para 99% dos cubanos. Debate livre em blogues, com críticas ao governo e à classe dirigente, é coisa inexistente. Um artista, El Sexto, foi preso durante um ano apenas porque levou dois porcos pela trela na rua - um tendo pintado o nome de Fidel, outro com o nome de Raúl. Muitos outros intelectuais tiveram que fugir do país para poderem expressar-se livremente - de Nestor Almendros a Reinaldo Arenas.
E vem você, defensor do comunismo cubano onde vigora a lei da rolha, reclamar porque os seus comentários, publicados num blogue português, não entram automaticamente...
É extraordinário.
Sem imagem de perfil

De Miguel Ribeiro a 23.03.2016 às 23:49

O que vale é que o Pedro até me faz rir mesmo sendo tão azedo. Então diga lá onde defendo a ditadura. O que disse está escrito. Não é por o Pedro o afirmar ou ser desilegante que eu digo o que o Pedro diz que eu digo. A sua resposta neste último comentário é uma não resposta. Alguém que defende a democracia como diz não devia censurar comentários, simples. Até parece que o blog é cubano.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 23.03.2016 às 23:58

Você ri-se por haver presos políticos, repressão contra os opositores, proibição do direito à greve, proibição da liberdade de reunião, proibição do direito de manifestação, interdição total de contestar a "linha justa" traçada pelo partido único, controlado pela família Castro desde 1959.
Pela mesma lógica, também a existência da PIDE, da Legião Portuguesa e da União Nacional durante o salazarismo lhe dessem vontade de rir. E talvez até levantasse o braço direito em hossanas ao ditador.
Sem imagem de perfil

De Miguel Ribeiro a 24.03.2016 às 09:10

Fui bem claro, o que me faz rir é o Pedro. Registo que não tem nada a dizer sobre a "democracia" do seu blog. Estranho para quem se acha o paradigma da democracia.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 24.03.2016 às 09:25

Saludo, amigo. Hasta siempre.
Sem imagem de perfil

De MM a 23.03.2016 às 23:16

Não vale a pena responder-lhe porque o Miguel já lhe respondeu, mas o Pedro pensa assim e é assim que quer que seja. Deixo-lhe a mesma sugestão do Miguel, vá lá, observe, fale com eles, fale da política deles que eles não têm medo de falar daquilo que não concordam, esteja com eles, partilhe experiências. Provavelmente mudará de ideia tal como eu mudei. Povo adorável, têm pouco, como eles dizem e como nós sabemos, mas são mais felizes que nós porque nós, os democratas que votamos livremente, votamos em gente que não presta porque tal como eles, somos gananciosos, corruptos e vale tudo para enganar e roubar o outro e mesmo assim, nunca estamos satisfeitos.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 23.03.2016 às 23:31

MM e MR serão a mesma pessoa? Pelo menos a tese é a mesma: as pessoas que vivem em ditadura "são mais felizes" do que aquelas que vivem na confusão das democracias.
Não difere quase nada do pensamento salazarista. Não faltam frases do próprio Salazar a dizer algo muito semelhante.
Sem imagem de perfil

De Miguel Ribeiro a 24.03.2016 às 09:59

Pedro seja inteligente que sei que é, essas insinuações de que tenho clone no blog é rasteira e não lhe fica bem. O meu nome é Miguel Ribeiro pode ver aqui:

https://pt.linkedin.com/in/miguel-ribeiro-67a88829

O MM não sei quem é mas seguramente não sou eu. Acho que a elevação deve prevalecer mesmo quando não partilhamos as mesmas ideias. Não me viu a fazer nenhuma desconsideração ao Pedro. Fiquemos por aqui.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.03.2016 às 11:38

Não sei quem é o Miguel, mas sei que o Pedro quando alguém difere dos seus pensamentos começa a imaginar cenários e pessoas. Não vá por aí que é não é correcto. Se não aceita o que escrevi, só tem uma hipótese é ir lá e ver.
Sem imagem de perfil

De MM a 24.03.2016 às 11:39

Não sei quem é o Miguel, mas sei que o Pedro quando alguém difere dos seus pensamentos, começa a imaginar cenários e pessoas. Não vá por aí que não é correcto. Se não aceita o que escrevi, só tem uma hipótese, é ir lá e ver.
Sem imagem de perfil

De MM a 25.03.2016 às 01:47

Eu sou o MM e pare de bater na mesma tecla da ditadura e Salazarismo. Já vi que não vale a pena dizer-lhe que está errado, mas uma vez que o Pedro é como S. Tomé, só acredita vendo, vá lá e veja. Só assim tem a prova que nem tudo que se diz e se lê, por cá é verdade, mas há muita mentira porque interessa que assim seja. Não lhe parece estranho que um povo que vive, sem liberdade há tantos anos nunca se terem revoltado? Aguentaram e aguentam tudo numa calma contagiante? Pois é, a calma e a bonança reinam por lá, apesar de terem um embargo que os faz viver com tão pouco, mas em paz com eles mesmos. É isto que acontece e por muito que tente mostrar o contrário o certo é que eles vivem em paz, paz essa que perturba quem não quer que assim seja. Mais uma vez lhe digo vá, veja e comprove.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 26.03.2016 às 18:51

Em Cuba, durante décadas, foi proibido comemorar festividades religiosas, como o Natal e a Páscoa. Até à década de 90, um católico não podia ser militante do partido comunista - o único autorizado no país. Felizmente a ditadura foi-se tornando ditabranda à medida que a necessidade de dólares começou a imperar. Os homossexuais já não são enviados para campos de "reeducação", as micro-empresas privadas voltaram a ser autorizadas, os católicos saíram da clandestinidade e o dia de Natal voltou a ser feriado desde a visita a Havana do Papa João Paulo II, em 1998.
Hoje já é possível os cubanos trocarem votos de boa Páscoa. Aproveito para lhe desejar uma Páscoa feliz.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D