Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




No pasarán.

por Luís Menezes Leitão, em 29.12.17

Há que dar apoio ao perseguido governo venezuelano, a quem uns capitalistas indecentes privaram do acesso ao pernil de porco. Ficámos a saber que Mário Lino, que tinha sido tão bem tratado pelo grande comandante Hugo Chávez quando fazia parte do governo socialista de José Sócrates, afinal se passou para os capitalistasse recusa a vender pernil de porco a crédito ao povo venezuelano. "Queres fiado? Jamé!", terá respondido ele aos apelos insistentes de Nicolás Maduro, mesmo depois de Sócrates ter impingido ao comandante Chávez um milhão de computadores Magalhães. E o governo português da geringonça, em vez de mostrar solidariedade ao povo irmão da Venezuela, vem dizer que não interfere no pernil de porco. Há que desencadear uma rápida reacção do movimento operário mundial contra os patifes dos capitalistas, e fazê-los mesmo esticar o pernil. E o governo traidor português da geringonça deve ser denunciado como inimigo do povo e da classe operária. No pasarán!


14 comentários

Perfil Facebook

De Rão Arques a 29.12.2017 às 07:55

Vão-se os pernis ficam os porcos.
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 29.12.2017 às 08:43

Não tão simples:

Na sexta-feira, o presidente americano Donald Trump impôs novas sanções ao que chama de "ditadura" na Venezuela com a intenção de "reestabelecer a democracia" no país sul-americano.

Isso é um golpe nas finanças de um país que arrecada, com a exportação de petróleo, US$ 96 de cada US$ 100 em divisas e que, por causa da necessidade de importar alimentos, medicamentos e bens de primeira necesssidade, depende muito do desempenho do petróleo no exterior.
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 29.12.2017 às 11:38

Pedro,que história é essa dos porcos de Lino?
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 29.12.2017 às 20:12

Como crescer 3,900% num ano? Bolsa venezuelana bate recordes em 2017

A Bolsa de Valores Caracas foi o mercado de ações com o melhor rendimento do mundo em 2017 gerando uma rentabilidade “assombrosa” de 3,883%. Aqui, os preços das ações subiram ao mesmo ritmo do valores do café.

Ganda Maduro!! Wallstreet está contigo, camarada!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.12.2017 às 17:37

Critique o Maduro que eu também critico... Mas citar uma revista como a Veja? Por amor de Deus...
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 29.12.2017 às 16:03

Mais uma vez temos Marxistas a confessarem a sua dependência do Capitalismo Americano...
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 29.12.2017 às 19:31

Não é tanto a ver com o capitalismo. É mais uma questão de USS.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.12.2017 às 17:35

Trump, que nem sequer foi o candidato mais votado (Hillary Clinton teve mais votos), é dos presidentes mais impopulares de sempre e recusa-se a condenar os trogloditas neonazis que assassinaram uma mulher em Charlottesville, não tem qualquer moral para usar palavras como "ditadura".
O governo venezuelano merece todas e mais algumas críticas. Mas não se pode aceitar que Trump, um aspirante a ditador, queira fazer com a Venezuela o que Bush fez com o Iraque ou Obama fez com a Líbia.
Sem imagem de perfil

De JPT a 29.12.2017 às 11:13

Venho saudar a coragem do autor, dados os trocadilhos onomásticos a que um Leitão que aborda a problemática do pernil, necessariamente, se sujeita.
Sem imagem de perfil

De amendes a 29.12.2017 às 12:50

Maduro está em maré de azar carnívoro:

Depois da Picanha Brasileira.... sai-lhe o Pernil Português!


Bons Festas
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.12.2017 às 14:14

Nem mais, Luís.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.12.2017 às 18:28

Pelo que vou sabendo, o pernil de porco natalício está para os venezuelanos como o bacalhau está para os portugueses.
O governo venezuelano não só teria que garantir o fornecimento como teria que subsidiá-lo.
Acham que os capitalistas iriam deixar passar uma oportunidade destas?!...
João de Brito
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.12.2017 às 17:32

Pelo menos é coerente e reconhece a existência de presos políticos no estado espanhol. Nada a ver com a hipocrisia de muitos comentadores de direita.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D