Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mundial no sofá (16)

por João André, em 15.07.14

Brasil 0 - 3 Holanda

 

Que dizer? Eu estava completamente errado. Não alinharam com suplentes e a Holanda acabou por estar mais motivada que o Brasil. O golo sofrido logo no início (em que o árbitro voltou a ser amigo) voltou a destruir os brasileiros. Depois disso foi uma questão de a Holanda ir gerindo os ataques desastrados, aproveitar as benesses brasileiras e ter paciência com o jeitinho do árbitro que seguiu a recomendação FIFA de não expulsar nenhum brasileiro. Imenso mérito para van Gaal que promoveu a renovação holandesa, apaziguou o grupo e aproveitou aquilo de melhor que os mais velhos tinham para dar. Tudo isto apesar de não poder contar com o jogador que teria sido o mais importante no seu esquema: Kevin Strootman.

 

Notas:

- Neymar nem sentia as pernas mas uns diazitos depois já por ali andava. Pois.

- Robben beneficia agora do descanso proporcionado pelas suas lesões no passado. Está mais rápido que nunca.

- van Gaal sai no momento certo. Dentro de 2 anos Robben, Sneijder e van Persie estarão provavelmente piores. Não há substitutos.

- As equipas de Scolari têm muito mau perder. Os brasileiros nas bancadas foram mais simpáticos.

 

Alemanha 1 - 0 Argentina

 

E enfim, finalmente Löw venceu um troféu com aquela que é considerada a melhor geração de sempre do futebol alemão. Foi justo que o golo tivesse saído dos pés do principal emblema da renovação alemã: Mario Götze.

 

O início foi complicado para os alemães. Sem Khedira, lesionado no aquecimento, fizeram entrar Kramer. Ao fim de meia hora este teve de sair com um traumatismo e entrou Schürrle. Volto a notar que a Alemanha chegou sem 3 médios que provavelmente teriam lugar no onze de quase qualquer outra equipa do mundial: Ilkay Gündogan, Lars Bender e Sven Bender. A mudança ajudou a Alemanha do ponto de vista táctico, uma vez que refreou um pouco as subidas de Zabaleta (sem opositor directo andava a cavalgar no flanco direito para se juntar ao ataque). Ainda assim ambas as equipas carrilaram o jogo pelos respectivos flancos direitos para aproveitar as forças próprias e a falta de rotinas adversárias.

 

Falar-se-à obviamente do falhanço de Higuaín, mas é nisto que se vêem os vencedores: quando a oportunidade se apresenta aproveitam-na. Ainda assim os alemães foram muitas vezes culpados de querer passar a bola entre si até entrar pela baliza adentro. Já os argentinos tentaram esperar pelas acções de Messi, mas viu-se que pouco mais tinham de plano que defender e rezar por um momento de sorte ou génio.

 

Apesar de tudo, crédito aos argentinos. Chegaram com uma equipa a ser vista como ridiculamente talentosa no ataque e completamente fraca na defesa. Demonstrou o oposto no mundial, mais uma vez provando o adágio da manta.

 

Os alemães foram vencedores justos de um jogo que, não sendo um clássico, foi mais interessante que muitas outras finais (teve melhor futebol que 2010 e 2006). Também foram a melhor equipa do mundial e mereceram o troféu. Nesta final eu teria preferido ver uma Colômbia que, sem a vergonha do jogo contra o Brasil, bem lá poderia ter chegado. no fim foi a equipa mais sólida a que venceu.

 

Notas:

- Mascherano foi mais uma vez enorme. Garay e Demichelis estiveram também muito bem. E não percebo porque se queixam os sportinguistas de ter Rojo a lateral.

- Thomas "Raumdeuter" Müller deve ter roubado o manto da invisibilidade a Harry Potter. Isso explicaria muita coisa.

- Götze teve um mundial para esquecer. À excepção do último toque. Também foi engraçado ver a expressão de incredulidade dele, sem perceber muito bem o que tinha acabado de fazer.

- Acho que há avançados que vão passar a ter medo de Neuer: "se não comes a sopa toda chamo o Neuer".

- Entregar prémios individuais no final do jogo é uma palhaçada. Sem considerações sobre justeza do prémio de melhor jogador, arriscamo-nos a figuras como a de Messi, que merece crédito por não ter dito a Blatter que metesse o troféu onde o sol não brilha.


12 comentários

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.07.2014 às 09:29

É ridículo o prémio final a Messi. Patrocinado por uma multinacional de calçado desportivo, ainda por cima. Sem divulgação dos critérios: puro livre arbítrio, pura aposta no já consagrado, tudo previsível. Este seria o prémio a conceder caso não tivesse havido jogos, caso não tivesse havido Mundial. É uma chatice quando a realidade atrapalha o guião...
Quanto a Götze, eis-nos novamente perante o puro sortilégio do futebol: de um Mundial para esquecer, a meia hora do apito final, passa a um Mundial para recordar. Aquele foi, sem dúvida, um dos melhores golos de sempre em finais de campeonatos do mundo. De oportunidade, recorte técnico, instinto vencedor (o que falhou a Higuaín, e nestes pormenores é que se avaliam os campeões). A fotografia que o mostra no final, olhando o céu, ainda mal consciente de tudo aquilo, ficará como uma das imagens icónicas deste torneio de boa memória para os apreciadores de futebol (e má memória para muitos onzes consagrados, com destaque para brasileiros, espanhóis, italianos, ingleses, russos, ganeses e... portugueses).
Sem imagem de perfil

De da Maia a 15.07.2014 às 10:59

O mais surreal no Brasil é ter Scolari a considerar que o 0-3 foi o possível, e que os minino deram tudo, etc... um pesadelo ver o pentacampeão tratado ao nível de estreante.

A arbitragem foi um pesadelo constante.
Esteve no seu pior nestes dois jogos.
Tiago Silva poderia ter sido expulso, mas o penalti é inexistente, tal como o golo seguinte vem de fora-de-jogo. O Brasil apanha com 0-2 por erros de arbitragem, mas o problema insólito é a incapacidade de marcar golos.
As equipas de Scolari não marcam, e quando a defesa é inexistente, a receita para a desgraça está ali.

A Alemanha, para além de ter jogado bem, foi levada ao colo pelas arbitragens.
O número de faltas e cartões que apanhou faz parecer que os alemães eram bailarinas em pontas.
Ao longo do Mundial os alemães fizeram penaltis, nenhum foi marcado.

Manuel Neuer só podia ter sido expulso numa entrada que poderia ter deixado o atacante argentino Higuain em coma. Para absurdo total, que só adensa suspeições sobre as arbitragens, é marcada falta contra Higuain.

Os jornalistas tão encantados com a eficácia germânica, têm tido também algum esquecimento selectivo.
A Alemanha pode ter merecido o Mundial, mas não mereceu ganhar o último jogo, onde a Argentina esteve bem, apesar de Messi... que inexplicavelmente parecia sentir-se mal.

Mais uma vez, a Alemanha ganha um Mundial com favores.
É pena, porque esta equipa jogava bem.
Imagem de perfil

De João André a 15.07.2014 às 11:57

Scolar é o rei das desculpas. Sempre o foi, sempre o será. Não ligo ao que diz, não vale a pena.

Thiago Silva tinha que ser expulso. O penalty foi mal marcado, mas apenas marginalmente. É quase impossível em velocidade normal dizer que Robben não está ainda a ser agarrado quando entra na área. Não me apercebi se havia ou não fora de jogo no segundo golo.

A Alemanha beneficiou de um penalty não marcado no jogo com Portugal, mas estava já 3-0 ou 4-0. Fora esse não me apercebi de nenhuma situação específica. A saída de Neuer é estranha. Tive a sensação que deveria ter sido penalty, mas quando li comentários internacionais toda a gente referiu que Neuer nada fez de errado: saíu à bola, socou-a e chocou com Higuaín, algo que nada tem de especial. O estranho seria então que fosse falta de Higuaín, isso não se entendeu minimamente.

No mundial os alemães não me pareceu que os alemães fossem particularmente beneficiados pela arbitragem. É perfeitamente possível que me escape alguma coisa, mas eles não foram uma equipa muito física (como a Holanda, Brasil ou Costa Rica, por exemplo) e em geral foram inteligentes nas infracções pequenas (agarrar os adversários só por um momento muito curto, por exemplo). As únicas equipas que me pareceram carregadas ao colo em momentos foram o Brasil (tão claro como a Coreia do Sul em 2002) e a espaços a Argentina (Messi não é parado porque sempre que o param o árbitro dá falta).

A Alemanha foi a melhor equipa do mundial, mas não foi uma equipa fantástica. Tenho a sensação que a Espanha de 2010, transplantada para este mundial, teria sido campeã outra vez sem espinhas.
Sem imagem de perfil

De da Maia a 15.07.2014 às 12:37

O Thiago Silva é propositado na falta que faz, fora da área... Robben faz o habitual - continua, para se deixar cair na área. O juiz de linha estava bem colocado.
A Alemanha faz penalti contra Marcelo quando estava ainda 0-1. Marcelo deixa-se cair, mas o seu pé de apoio é claramente tocado. Para além dessa com Portugal, há outra situação no jogo com a Argélia. Os alemães fizeram muitas faltas estratégicas quando estavam em pendor atacante e eram desarmados. Tipicamente levariam com amarelos, coisa que não aconteceu. A contrario, as outras equipas rapidamente ficavam amareladas.
O Brasil não foi nada beneficiado nos dois últimos jogos... não vejo como, muito pelo contrário. Aí, Scolari pode ter alguma razão, ainda que isso não sirva de nada. Era importante levar o Brasil até às meias-finais... depois já não.

A situação de Neuer - penalti e expulsão é claríssima.
Por exemplo:
http://www.smh.com.au/fifa-world-cup-2014/world-cup-news-2014/five-moments-where-the-world-cup-final-was-won-20140714-zt6fr.html

Nem se trata de haver aqui complots previstos... simplesmente as pessoas agem muito em função do previsto. Era previsto que Neuer fosse um grande guarda-redes e não fizesse uma falta para vermelho e penalti. Culpa de Higuain, que deveria ter desaparecido do campo para evitar que Neuer chocasse contra ele.
Sem imagem de perfil

De Rafael Ortega a 15.07.2014 às 21:45

"A Alemanha faz penalti contra Marcelo quando estava ainda 0-1. Marcelo deixa-se cair, mas o seu pé de apoio é claramente tocado."

O toque acontece já a bola foi cortada e segue para a linha de fundo. Não há qualquer falta, o corte é limpo.

"A situação de Neuer - penalti e expulsão é claríssima. "

O Neuer soca a bola e só depois chocam. Não há qualquer falta.

"O número de faltas e cartões que apanhou faz parecer que os alemães eram bailarinas em pontas. "

Esta é brilhante. Vai lá ver as entradas animalescas dos jogadores da Argentina e do Brasil sobre os jogadores da Alemanha (principalmente o Muller).


A azia deste comentador topa-se a quilómetros. Toma Rennie que isso passa.
Imagem de perfil

De João André a 16.07.2014 às 07:35

Caro Rafael, nós gostamos sempre de ter comentários, mas o facto de alguém ter uma opinião diferente da sua (seja certa ou errada de acordo com regras) não é justificação para o último parágrafo. O da Maia tem as suas aopiniões e apresenta-as de forma correctíssima, não merece que lhe digam que advêm de "azia" nem que o "mandem" tomar Rennie. Foi de mau gosto.
Sem imagem de perfil

De da Maia a 15.07.2014 às 12:42

Mas, mais simples... qual foi a situação em que a Alemanha se pode queixar da arbitragem?
Esse é um problema recorrente com a Alemanha... raramente se pode queixar de arbitragens injustas.
Sem imagem de perfil

De Carlos Cunha a 15.07.2014 às 15:08

neuer não fez falta porque é guarda-redes da selecção alemã e os árbitros têm constantemente presente este case study:

https://www.youtube.com/watch?v=VPTOnClKCJc
Sem imagem de perfil

De da Maia a 15.07.2014 às 19:10


Pois... já nem me lembrava disso. Pelo menos desta vez Neuer foi ver como estava o jogador a ser neutralizado pela "Mannschaft".
Em pancadaria, os alemães sempre rivalizaram com os argentinos.

No caso concreto, até se poderia admitir a intervenção de Neuer na sua pequena área.
Mas ali... a bola ia parar direitinha ao Higuain, Neuer para lhe chegar trepou para o outro lado. O penalti é evidente, e nem sequer há a desculpa de ter chegado primeiro à bola, porque não chegou:
- o pé de Neuer chega primeiro à anca de Higuain
- o murro na bola
- a joelhada na cara.
https://www.youtube.com/watch?v=Yj-V5bLjmj8

Simplesmente, Neuer já estava eleito como guarda-redes do mundial, e pronto.
Não dava para manchar isso com uma expulsão e penalti.

Percebo perfeitamente que o árbitro tenha feito vista grossa, mas agora que a jornaleira venha dizer que foi lance dividido... enfim, achar aquela entrada normal, é pedir que comece a haver mortes em campo.
Imagem de perfil

De João André a 16.07.2014 às 08:12

Pensei de imediato nesse caso quando vi o lance, mas há diferenças enormes.

1. Na altura o choque foi visto como muito mais acidental e essencialmente duro que outra coisa. Os comentadores da época não ficaram tão chocados no momento como nós hoje. Claro que hoje deveria ser cartão vermelho e suspensão longa, mas na altura houve espanto por não ser amarelo.

2. O lance de Schumacher foi um ataque propositado ao jogador depois de a bola ser jogada e de estar obviamente fora do alcnce do guarda-redes. No caso de Neuer a bola estava jogável para ambos os jogadores e era disputável. Neuer chegou a ela primeiro (atropelando logo de seguida Higuaín) e por isso não sei qual é o critério objectivo nas regras actuais para estes casos. Consigo perceber perfeitamente um penalty e consigo perceber perfeitamente uma não falta de Neuer (depende do critério nas regras de jogo actuais, que não conheço de cor nem tenho tempo/paciência para ler). Aquilo que me faz espécie é mesmo ser marcada falta de Higuaín.
Sem imagem de perfil

De da Maia a 16.07.2014 às 16:50

João, muito obrigado por responder acima ao fel do Rafael, certamente que não era necessário, mas agradeço.

Tentando falar mais racionalmente, se tal é possível no futebol, fui ver as imagens, parei segundo a segundo, e o pé de Neuer toca Higuain antes de ele socar. Tal como é verdade que ele soca a bola antes de atingir Higuain com o joelho.

Independentemente disso, em termos de disputa, e não de violência, a situação é a mesma que se encontra muitas vezes a meio campo com uma bola que vai ser cabeceada por dois jogadores. Um tem a posição, e o outro mergulha sobre ele procurando cabecear antes. Mesmo que toque na bola antes de cair sobre o jogador, é uma situação de falta. Porque a conquista da bola é feita promovendo um contacto violento. Todos os árbitros marcam.
Também não sei quais são as instruções da FIFA aos árbitros. Mas sei quais são os problemas físicos de admitir que tal intervenção é legítima. Não é exactamente a mesma situação do carrinho - porque aí o outro pode saltar... ali Higuain não tinha forma de se livrar daquele contacto violento.
Neuer sabia perfeitamente que para chegar à bola tinha que atropelar o adversário de forma violenta. Por isso a bola não está jogável para ambos os jogadores da mesma forma.
O problema é que admitindo que aquele contacto não é faltoso, podemos ter legitimadas no futuro intervenções de karaté em campo.
É sabido que intervenções do guarda-redes são desculpadas na pequena área - mas só aí.

A falta marcada a Higuain acaba por ser o toque ridículo, porque o árbitro não soube logo como decidir doutra forma sem expulsar Neuer.

Neuer mesmo assim não é a besta que era Schumacher, percebeu perfeitamente que fez grande merda, e estava algo atrapalhado.

Aqui é muito fácil ser objectivo, porque numa final destas, as minhas preferências eram nulas. Ao longo do Mundial gostei muito mais do jogo da Alemanha, que foi menos caceteira do que é habitual. Mas, nesta final, a Argentina jogou melhor.

Sem imagem de perfil

De da Maia a 16.07.2014 às 18:22

Já agora fica aqui uma imagem que mostra o pé de Neuer assente na coxa de Higuain, quando socou a bola:
http://2.bp.blogspot.com/-5hs88wmhsSQ/U8azeY0XjwI/AAAAAAAABJ4/KLnVVCSCD0c/s1600/s2.JPG

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D