Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mário Soares (1924-2017)

por Luís Menezes Leitão, em 07.01.17

É quase impossível exprimir o sentimento de perda perante o desaparecimento de Mário Soares, o verdadeiro fundador do regime democrático, que a ele deve praticamente tudo. Na verdade Mário Soares foi simultaneamente a maior figura da oposição ao regime anterior, o político combativo que enfrentou na rua a deriva totalitária durante a revolução, o homem que construiu a nossa constituição e depois aceitou revê-la num sentido mais liberalizante, e finalmente o homem que comandou a integração de Portugal na Europa. Três vezes primeiro-ministro, duas vezes presidente da república, Mário Soares é seguramente a maior figura política do actual regime constitucional.

 

Nesta hora em que nos deixa, acho que a melhor forma de o recordar é evocando as palavras de André Malraux em 1946 sobre outro grande estadista, o General de Gaulle, cuja manifestação nos Champs Elysées contra o Maio de 1968, aliás inspiraria Soares no comício da Fonte Luminosa: "Conheci um número relativamente elevado de homens de Estado, mas nenhum — e de longe — que tivesse a sua grandeza. Para compreender a sua acção é preciso não esquecer que ele é um homem de destino e que sabe que o é. O homem de um grande destino, talvez trágico, de qualquer forma dramático… Fazem-me rir todos aqueles grotescos que lhe pedem contas. Não o seguimos para sermos pagos. Ele não deve nada a ninguém". É o país em geral que tem uma dívida enorme a Mário Soares e que, neste momento em que nos deixa, deveria reconhecer adequadamente.


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Alain Bick a 07.01.2017 às 19:37

o boxexas comportou-se como Kerensky até ficar borrado de medo

2 bancarrotas 2
Sem imagem de perfil

De Soares é fixe a 07.01.2017 às 21:26

A Ganda Alez Bico! Sábias palavras de quem também deu o corpo ao manifesto. Bem me lembro de ver o Alez Bico nos corredores da Boa Hora conjuntamente com Mário Soares a defender pro bono os detidos pela PIDE. Espero que tenhas chegado longe. Abraço fraterno, meu ganda democrata
Sem imagem de perfil

De Soares é fixe a 07.01.2017 às 22:01

Ó Alan veja o que aconteceu com o Reino Unido na década de 70. Parece que também faliram. Aliás após as revoluções é normal os países não ficarem lá muito bem em termos financeiros, sobretudo com as fugas de capitais e das supostas elites feitas com o antigo regime.
Sem imagem de perfil

De Vento a 07.01.2017 às 22:47

"Fala-nos do Dom.

E ele respondeu:
Dais muito pouco,
quando dais aquilo que vos pertence.

Quando vos dais a vós mesmos
é que dais realmente.
(...)

E que é o medo da miséria,
senão a própria miséria?

(...)
E para o homem generoso,
procurar aquele que vai receber
é maior alegria do que dar.

E haverá alguma coisa que possais conservar?
Tudo quanto possuis será dado um dia.

Portanto, dai agora,
para que o tempo de dar seja vosso
e não dos vossos herdeiros.

(...)
Procurai primeiro
merecerdes seres doadores
e instrumentos de doação.

Porque, em verdade,
é a vida que dá à vida,
e quando julgais ser doadores,
sois apenas testemunhas.

E vós que recebeis
- e todos sois doadores -
não atireis para cima de vós
o peso da gratidão,
sob pena de impordes um jugo
a vós mesmos e àquele que dá.

Mas elevai-vos
juntamente com o doador,
usando os dons como asas.

Porque ligar demasiada importância
à vossa dívida
é duvidar da sua generosidade,
que tem por mãe a Terra magnânima
e Deus como Pai.".

Khalil Gibran in O Profeta

Deus te acolha, Mário.
Sem imagem de perfil

De Soares é fixe a 07.01.2017 às 23:27

Alan, aqui para a gente, o Soares foi sempre um tipo em que a cena do medo nunca o assistiu. Lembra - se da Marinha Grande, ou do processo do assassinato de Humberto Delgado? Ou quando o homem esteve preso no Limoeiro?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.01.2017 às 02:56

Um homem com H grande, a figura que o tempo julgará como um acima de todos os outros, aquele que colocou o interesse dos ideais acima do seu, que corajosamente se ergueu contra os poderes do Estado Novo e investidas da esquerda radical no pós 25 de Abril. Polémico, lutador e agitador ficará para a eternidade com o epíteto de dinossauro politico. Nunca votei Soares, mas um grande obrigado.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D