Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Livros com nomes de blogues

por Pedro Correia, em 12.10.19

thumbnail_20191012_093646-1[1].jpg

 

«"Conheci uma pessoa." Eis uma expressão que nalguns casos implica dois evidentes exageros.»

Pedro Mexia, Prova de Vida

 

Sinto por vezes algumas saudades do tempo de maior pujança da blogosfera, em que o debate de ideias se impunha sem o colete-de-forças compressor do Twitter nem o umbiguismo grupal do Facebook. Um tempo em que era possível dialogar com quem pensava de forma muito diferente, até antagónica, sem reduzir o pensamento a legendas, sem coleccionar bonequinhos de polegar levantado, sem confundir afectos e cumplicidades com a carneirada dos clubes de fãs, sem esse anátema sempre implícito no ridículo verbo "desamigar".

Fui coleccionando livros que resultaram da escrita blogosférica - e eles cá continuam, na minha biblioteca doméstica, como memórias vivas desse tempo que já passou. Livros com nomes de blogues, como O Acidental (que reunia o Paulo Pinto Mascarenhas, o Rodrigo Moita de Deus, o Vítor Cunha, o Luciano Amaral, o Vasco Rato e o Bernardo Pires de Lima, entre outros), Portugal dos Pequeninos (feliz título com a marca inconfundível do João Gonçalves antes da sua irreversível migração para o FB), Prova de Vida (diário do Pedro Mexia nascido como blogue e polvilhado de argutos aforismos, como aquele que serve de epígrafe a estas linhas) e Jaquinzinhos (onde o João Caetano Dias deixou um pioneiro rasto liberal antes da sua irreversível migração para o Twitter). 

A escrita blogosférica tornou-se residual, quase anacrónica: é precisamente por isto que eu insisto nela. Quando a prosa de Facebook originar livros, agradeço que me avisem.


29 comentários

Sem imagem de perfil

De Bea a 12.10.2019 às 10:00

Cá estamos nos residuais. Seremos já uma espécie animal em extinção.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 12.10.2019 às 10:44

A longo prazo estaremos todos mortos, como diz aquele célebre guru sempre tão citado. A maior lapalissada que conheço impingida como "pérola de sabedoria".
Sem imagem de perfil

De Bea a 12.10.2019 às 18:50

:)
Imagem de perfil

De João Campos a 12.10.2019 às 10:07

E hoje os blogues já não têm leitores - têm "seguidores". Terminologia abominável, como se um blogue fosse um culto repleto de seguidores acéfalos.

Também tenho muitas saudades desses anos da blogosfera. Não pelos livros, mas pela discussão e pelas pessoas. Mas isso não volta, infelizmente.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 12.10.2019 às 10:42

Foi bom enquanto durou.
Sem imagem de perfil

De alexandra g. a 12.10.2019 às 22:42

Não aguento, je te le jure, este pessimismo de antologia que se abateu sobre a blogosfera, nos anos mais recentes - chegou a ser vaticinada a morte a este registo/canto de escrita, cousa para mui breve, alegaram alguns dos "gurus" - mas afinal tem que que andar tudo ao molho, como no FB & Twitter & Etc. & Tal?

Por mim, está bem assim, muito bem, aliás, que abomino molhadas de gente à procura de uma visibilidade que me ofusca o entendimento.
Imagem de perfil

De jpt a 12.10.2019 às 16:15

E também houve o - mais tardio - do Delito ...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 12.10.2019 às 17:08

Sim, mas desse falarão outros. Nessa matéria sou suspeito.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.10.2019 às 21:18

No face, no insta, no tweet.

Unidos venceremos.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 12.10.2019 às 22:36

O sol brilhará para todos nós.
Sem imagem de perfil

De alexandra g. a 12.10.2019 às 22:02



precisely (mesmo não gostando da maioria dos blogues que citas)!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 12.10.2019 às 22:34

Alguma sintonia, vá lá...
Sem imagem de perfil

De alexandra g. a 14.10.2019 às 00:15

ei, Pedro, calma, que é fácil perceber (tu não sabes, mas eu daria uma boa profiler, so to say) que gostas de visibilidade, stats, galões (não, não falo do leitinho com café!), elogios, mesmo que alimentando - fingindo que não, quase sempre mantendo a linha e o registo - algumas (tb sou uma 'lesboeta' :)) guerrilhas de circunsntância, um ou outro comentário com um pH mais elevado, etc.

Imagem de perfil

De jpt a 12.10.2019 às 23:34

Acho uma injustiça não referir o magnífico O Meu Pipi, provavelmente o primeiro blog a tornar-se livro, e que muito brado deu
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.10.2019 às 11:06

"Quem é o Meu Pipi?"

Um marco da primeira Idade dos Blogs.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.10.2019 às 13:38

O pipi era do Ricardo Araújo Pereira. Salvo seja.
Imagem de perfil

De jpt a 13.10.2019 às 15:48

Isso foi confirmado? Ou é (ainda) palpite?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.10.2019 às 16:54

Na altura lembro-me de falarem no MEC
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.10.2019 às 17:25

Especulação. MEC tem uma secura verbal que nada tem a ver com a escrita do "pipi".
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.10.2019 às 20:41

Isso sabe-se mas não se diz assim abertamente. Há que sempre conservar esse grande mito blogosférico.
Imagem de perfil

De Flávio Gonçalves a 13.10.2019 às 15:16

Bons tempos, a blogosfera hoje não passa de ilhas isoladas, sem pontes e sem debates... volta e meia lá actualizo o blogue, mas o exercício diário agora é no Twitter e Facebook.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.10.2019 às 17:26

Cada um deve estar onde mais gosta.
Imagem de perfil

De Flávio Gonçalves a 14.10.2019 às 07:45

Não sei se reparou que a maior parte dos novos blogues nem secção de links possuem, o que antes era o barómetro para saber se estávamos numa casa mais à esquerda ou mais à direita.

Alguns nem permitem comentários, algo que dista bem da blogosfera animada dos anos 2000.

Ah, faltam aí dos blogues tornados livro que foram precisamente o primeiro que recebi de oferta e o primeiro que comprei: "O Meu Pipi" que recebi de oferta quando abri o meu primeiro blogue e o "Nova Frente" do Bruno Oliveira Santos.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 14.10.2019 às 08:22

Sim, agora nem se dão ao incómodo de estabelecer pontes permanentes com outros blogues (como nós aqui fazemos, desde o primeiro dia, na nossa barra lateral). Impedirem comentários é igualmente algo que me deixa perplexo. Se não querem dialogar, porque não se limitam a comprar um caderninho e a escreverem lá um diário secreto?
Imagem de perfil

De jpt a 14.10.2019 às 09:44

Eu tenho hoje um blog sem coluna de elos (os quais há quem chame "links"). Sim, nos primórdios do bloguismo havia esse salutar modo de publicitar outros blogs - mas que servia também (via o sistema technorati) para dar a conhecer o próprio blog. Ou seja, faziam-se ligações não apenas por "bom espírito" desinteressado. E havia em alguns essa mundividência estreita de seleccionar blogs da tal "direita" ou da tal "esquerda" para se apresentarem, a que tribo pertenciam consoante os blogs que ligavam. Havia até gente que agrupava nas tais colunas os blogs por "direita", "esquerda" e até "centro", uma coisa tétrica.

E também havia quem fizesse postais com esse estilo de "pensamento". Lembro-me, entre outros, de um tipo desses então muito conhecidos blogs de extrema-esquerda, então ainda algo extra ou pouco-parlamentar, que agregou o meu blog de então numa selecção de blogs de direita, ombreando com coisas tipo "neo-fascistas de aljustrel" ou "os nazis de pinhel" (e depois ficou ofendido quando elaborei, muito justamente, sobre a actividade profissional da mãezinha dele). Em suma, não tenho a ideia de que essa rede de ligações (o elencar ou o referir em postais) corresponda a uma "idade de ouro" blogal, do primado do plácido desinteresse, de uma virtuosa e dialogante comunidade dita "blogosfera", tinha muito a tal dimensão de auto-publicitação e transportava já a concepção tribal, de encerramento, que depois se firmou no debate (politizado) das redes sociais, estas geridas em regime individual.

Mas para além disso as colunas de elos vieram a tornar-se progressivamente desnecessárias. Lembro de uma "aplicação" (como agora se diz) que surgiu - mas que depois desapareceu - e que logo instalei que contava o número de reenvios que cada uma das ligações que se colocavam no blog obtinha. E como elas eram mais ou menos significativas se colocadas nos postais mas muito reduzidas, e foram-no sendo cada vez mais, nas tais colunas. Para além disso foram aparecendo várias aplicações para receber notificações das actualizações dos blogs (eu agora utilizo a feedly ainda que tenha também a bloglovin) para além das notificações via email ou dos próprios sistemas bloguísticos (como aqui na SAPO). Ou seja, não ter colunas de elos não implica nem desatenção nem falta de interesse na disseminação dos blogs alheios. Acho óptimo que um blog muito lido como o DO a tenha, é uma forma de dar a conhecer novos blogs e mostrar os resistentes ("ena, este ainda existe" aconteceu-me várias vezes ao espreitá-la), mas em blogs pequenos (de poucas visitas, como o meu) não me parece tão relevante. O que acho mesmo muito mais interessante é a série "blog da semana" que chama mesmo a atenção.

Quanto à falta de diálogo entre blogs não sei se será mesmo assim. Não leio muitos blogs novos e de facto os mais veteranos têm muito menos do que antes a prática de ligar a textos alheios e debatê-los - debates que terão passado, presumo, para o twitter e o facebook (vejo por vezes ligações, com concordâncias ou discordâncias - ainda que algo surpreendentemente os velhos bloguistas que ainda o são e que tenho na minha lista de ligações-FB liguem muito mais textos de imprensa do que em blogs). Mas quando por vezes sigo aqui no SAPO as iniciativas de congregação de blogs (propostas de textos, selecções de blogs, entrevistas a bloguistas, etc.) encontro essa interacção de textos - e muito em especial em registos bloguísticos não politizados. Por isso também nesse campo do diálogo inter-bloguístico os mais veteranos tenham tendência a exagerar as diferenças nas práticas dos "bons velhos tempos" com os desta época, de efectivo menor bloguismo.

Imagem de perfil

De jpt a 14.10.2019 às 09:44

Quanto aos comentários a coisa é um pouco diferente: sei que há nos leitores de blogs muitos resmungões com as redes sociais. Eu tenho uma conta de FB onde ligo os textos de blog (a de twitter uso-a mecanicamente para ligar os textos de blog) e onde vão surgindo, de quando em vez, debates sobre os temas. E a diferença é muito grande para os comentários de blog. Aqui (nos blogs) eles são, recorrentemente, impertinentes - e muito por causa do anonimato, mas não só. Impertinentes em conteúdo mas, ainda mais, em atitude. Enquanto nas redes sociais, devido a que as pessoas comentam em registo aberto e com o próprio nome, mesmo que haja discordância desabrida a impertinÊncia é muito rara. Isso poderá ajudar a explicar a ausência de comentários em muitos blogs.
Imagem de perfil

De João Pedro Pimenta a 13.10.2019 às 20:49

Tenho aqui algures o livro do Barnabé, de uma esquerda combativa e inteligente que lançou os nomes de Daniel Oliveira e Rui Tavares. Grandes discussões tive com eles, em especial o segundo.
Imagem de perfil

De João Pedro Pimenta a 14.10.2019 às 00:56

Ah, e também tenho o fora do Mundo", com as crónicas de Pedro Mexia na Coluna Infame e no Dicionário do Diabo, do saudoso ano 2003.
Imagem de perfil

De jpt a 15.10.2019 às 01:26

Devíamos aproveitar este postal para fazer uma "colecção" (ou uma estante especial) de livros de blogs (blooks, acho que era o trocadilho de então)

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D