Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





16 comentários

Sem imagem de perfil

De V. a 14.10.2016 às 18:38

— "Governo cria taxa sobre as munições de armas"

Caraças, logo agora que estava a pensar comprar uma para me defender da invasão muçulmana e dos socialistas.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 14.10.2016 às 23:52

Julgo que as armas brancas não são abrangidas pela nova taxa. O que não deixa de ser discriminatório.
Sem imagem de perfil

De V. a 15.10.2016 às 11:14

Canivetes já tenho... Não me digam que já há uma taxinha para porte de canivetes? Já houve para quem tinha isqueiros...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.10.2016 às 17:32

Isso, dê ideias à autoridade tributária. Depois não se queixe.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 14.10.2016 às 18:43

Os Portugueses por via dos seus Jornalistas querem Socialismo, têm no em força por isso para que é que protestam?

Ou julgam que conseguiam que fossem os compradores de dívida - os "mercados" que aliás odeiam - a paga~lo para sempre?
Os Portugueses só têm o que merecem.

A falta de bilhetes do Metropolitano é só o começo, quando outras coisas estiverem vazias também não se admirem.

Já têm idade para saber que o Socialismo é a Engenharia da Escassez.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 14.10.2016 às 23:52

E o marxismo, Lucky? Não se esqueça do marxismo.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 15.10.2016 às 15:37

Precisamente.
O jornalismo Marxista de SIC's, TVI's, Expressos, Publicos existe para legitimar cada vez mais e mais poder sobre as pessoas e sobre as coisas das pessoas.
Existe para tornar a Política Totalitária. Para controlar o outro, para forçá-lo a ser socialista.

Você protesta os impostos mas nem percebe a cultura que os legitima.
Não parece ter a capacidade para perceber o quanto poder cada novo Governo extrai aos Portugueses e como se constrói passo a passo a Democracia Totalitária.
O definhar de Portugal pois impregnado de um cultura de controlo sobre a vida dos outros.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.10.2016 às 17:36

Ainda bem que chega aqui você para me iluminar com o seu conceito de "democracia totalitária". Tentarei replicar desenvolvendo um conceito de "totalitarismo democrático", mas não será para breve pois terei de mergulhar a fundo na matéria.
Sem imagem de perfil

De ariam a 15.10.2016 às 11:02

lucklucky, infelizmente, não são só os portugueses porque, a nível global, esses tais "mercados" têm um objectivo muito específico, para emprestarem dinheiro e, quanto ao "até quando", vai ser até terem a certeza que as dívidas são, realmente, impagáveis e para quê?

Basta ter meia dúzia de neurônios para saber que, o que se gasta, só pode vir de 3 fontes, Passado, Presente e Futuro.
Passado - é o dinheiro que sai daquele que se poupou.
Presente - O dinheiro que sai da riqueza que se produz no presente.
Futuro - Dinheiro que se gasta, agora, para ser pago depois, sobre uma riqueza que ainda não foi produzida.
Neste caso, dos países, com dívidas a chegar ao ponto de impagáveis, quem é que os colectivistas, estão a vender como escravos?

Apenas e só, as futuras gerações, precisamente, o que precisam os "tais mercados" (a tal elite do 1%) que quer um governo global, totalitário, muito ao jeito marxista/fascista onde, uma meia dúzia, no topo, conseguirá, finalmente, controlar, absolutamente e, eternamente, todos os outros, ora, nada melhor do que ter a trabalhar para este objectivo, quem goste de gastar o que não tem, no fundo, são os seus melhores criados que, agora, só têm de fingir que é tudo para bem do povo e ir dando umas migalhas de um lado, tirando uns "bifes" do outro, para as suas "clientelas" e se, alguns políticos até podem ser ingénuos, há muitos outros que sabem, perfeitamente, a sacanagem que estão a fazer aos povos que, facilmente, caiem na patranha de que os políticos estão lá, para defenderem os seus interesses, quando estão, apenas, a garantir o seu lugar, entre a "criadagem", no Futuro Governo Global, onde agora, lhes basta ir vendendo o futuro dos filhos e netos dos povos, como gado porque, liberdades, direitos adquiridos e garantidos são todos para acabar, definitivamente e eternamente.

A grande maioria nem sequer tem a noção que a dívida cresce ao segundo, algo que deviam ver e, assim, assumir parte da sua responsabilidade, pelas escolhas que, presentemente, andam a fazer, não só destruindo o Futuro dos filhos e netos como, também, daqueles que ainda não nasceram. Trocam a dependência eterna das Futuras Gerações por mais 10 euros que, em muitos casos, até são só dois que, também, desaparecerão, num qualquer imposto indirecto porque, nesta altura do campeonato, nem sequer temos economistas ou vendedores de banha da cobra, será mais, vendedores de veneno da cobra.
Naturalmente, há pior que os políticos, incompetentes ou interesseiros, aqueles que, sem filhos ou netos, conseguem ainda ser piores que os animais irracionais, parecem ser povo por pertencerem ao povo mas, igualmente egoístas, completamente vazios de Humanidade e que têm como Lema "Quem vier atrás, feche a porta"

Escravatura, é a única coisa que se pode esperar de uma Dívida impagável que, a nível global, vai nos 230 Triliões em que, uma parte, será a Dívida Pública Global, aquela que os povos serão obrigados a pagar e que, quando eu acabar de escrever este comentário, deve estar perto ou ter passado, os 60.000.000.000.000 porque, continua sempre a crescer e, tal como a nossa... ao segundo.
http://www.nationaldebtclocks.org/debtclock/portugal
Sem imagem de perfil

De am a 14.10.2016 às 21:26

Por falar em aumento de impostos:

Atenção BE - ao mesmo tempo uma "fraturante":

" Legalizar a prostituição/ taxar os lupanares com um imposta especial de f**** a negociar interpares !

A ver pelos anúncios do CM, a receita será de respeito!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 14.10.2016 às 23:53

Parece-me bem, desde que seja admitido o direito a deduções fiscais.
Imagem de perfil

De João Campos a 14.10.2016 às 23:52

Parece-me oportuni dizer "porreiro, pá!".
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 14.10.2016 às 23:54

"Devolução de rendimentos", diziam eles. É obra.
Sem imagem de perfil

De am a 15.10.2016 às 02:48

Esta é autentica:

... A metralhadora falante e "comentadora" da TVI, D. Constância Cunha e Sá palreou de rajada mais de 30 minutos sobre o novo OE... quase no final, a uma pergunta da interlocutora disse com toda a lata do mundo " --- Eu que não sou economista"....
....

Ela foi lá de encomenda...
Sem imagem de perfil

De Jorg a 15.10.2016 às 17:25

...e tal como o Xuxa Costa, Capatraz da Geringonça, no vomitar de prosápia, esqueceu-se de relevar onde 'tava o "crechimento"... Afinal era isso que se contava ao povão para justificar a "alternativa" e "fim da austeridade" e todas aquelas tretas dos golpistas!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.10.2016 às 17:34

O "crechimento" encolheu. Já não é o que era.

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D