Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




maximo.jpg 

Ouvi as palavras do Presidente da República sobre a tragédia de Pedrógão Grande. São uma vergonha. O Senhor Presidente afirma peremptoriamente que era impossível ter feito mais. Ora, numa situação destas o que é impossível é saber já se podia, ou não, ter sido feito mais. Dizer o que o Senhor Presidente diz tem o único objectivo de paralisar qualquer investigação séria. E o que um país sério faria numa circunstância destas seria apurar integralmente as responsabilidades, se existem, e promover um plano estratégico de prevenção e combate a situações futuras. As palavras do Presidente deveriam ser neste sentido e não no de encerrar apressadamente o tema. Mais tarde ou mais cedo há um preço de irresponsabilidade a pagar por ter um país dirigido por pantomineiros.

 

Leitura complementar: este post lapidar do Henrique Pereira dos Santos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


81 comentários

Sem imagem de perfil

De Einstürzende Neubauten a 18.06.2017 às 14:44

Meu caro, obriga a previdência que balanços só depois de um inquérito. Ou julga que morrem 70 pessoas e culpa-se a trovoada seca?

Que pachorra!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.06.2017 às 15:11

A trovoada seca? Claro que não. Nem o incêndio teve culpa. A culpa foi do Presidente da República e do comandante dos Bombeiros. Que se deviam demitir como fez Jorge Coelho no caso de Entre os Rios. Já no caso do incêndio do Funchal, Alberto João Jardim não teve qualquer responsabilidade. E ai de quem dissesse o contrário. Por isso (quase) todos se calaram.
Sem imagem de perfil

De Einstürzende Neubauten a 18.06.2017 às 15:22

"A culpa foi do Presidente da República e do comandante dos Bombeiros"

Bebeu Sumol? Quem diabo culpou alguém?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.06.2017 às 07:45

O que é lamentável é que a vida é real, e os milagres são poucos e multidões creem que culpabilizando outros é que é bom... Sei que os familiares com estas palavras ou resultados do inquérito nunca estarão/ficarão satisfeitas, como é óbvio. Pelo livre arbítrio cada um resolveu-se no que considerou a melhor maneira de fugir do fogo, o que acontece é que muitos se enganaram, pois ninguém adivinha tal coisa. Depois, o vento era colossal, fugia-se e certamente tentava-se, mas as certezas da opção foram malogradas pela Natureza. E agora? Arranjam-se bodes expiatórios e fica tudo feliz, culpabilizando outros seres humanos que, na sua medida, fizeram o que puderam em tão difíceis circunstâncias??? Só mesmo de cérebros meio tolos, egoístas e descuidados com o que fazem sobre quem culpam... Espera-se que a vida vos ensine, numa das suas curvas bem fechadas...

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D