Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Indignação aposentada

por Pedro Correia, em 01.06.18

Os profissionais da indignação estão todos aposentados.

Se não estão, parecem.

Não se detecta sinais deles no país com maior carga fiscal em 22 anos, e que paga a terceira factura europeia mais pesada em gasolina - mesmo antes de impostos - e a electricidade mais cara da Europa por custo de vida.

Esperava deles ao menos um gritinho. Afinal permanecem todos em silêncio: esgotaram os decibéis no anterior ciclo político.


34 comentários

Perfil Facebook

De Rão Arques a 01.06.2018 às 11:50

Cobardes da pior espécie.
Sem imagem de perfil

De Meister Von Kälhau a 01.06.2018 às 12:11

Pedro, Pedro, então!!
Enquanto se come não se fala.
Sem imagem de perfil

De V. a 01.06.2018 às 12:16

Está tudo silenciado e satisfeito com a propaganda Costa e o beneplácito dos jornalistas. Ainda há pouco um palerma que trabalha na CM TV falava do museu mais badalado em todo o mundo. O museu mais quê??!! Ai é o Maat, claro que foi inaugurado pelo pandita gordo e a tropa fandanga do regime. Para gostarem tanto do edifício aposto que a arquitecta é fufa. Ou fufa ou vegan. Uma dessas coisas fixes.
Sem imagem de perfil

De Meister Von Kälhau a 01.06.2018 às 16:48

V recomendo-lhe a SIC Radical:

Naked attraction

https://www.youtube.com/watch?v=ODFd7Qr4mKU
Sem imagem de perfil

De V. a 02.06.2018 às 00:50

Ahah— que belas peças
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 01.06.2018 às 17:12

Alberto Gonçalves. O povo merece os governos do PS

"O PS é o partido que melhor governa a economia e as finanças. O PS sempre esteve na primeira linha no combate contra a corrupção. A identidade do PS são os valores da liberdade. O PS luta pela transparência dos titulares de cargos políticos. O PS tem a responsabilidade cívica de liderar a recuperação da confiança dos portugueses na nossa democracia e nos seus partidos. O PS combate sobretudo pela democracia. O PS dá aos portugueses melhores condições de vida, melhores salários e uma economia a crescer. O PS orgulha-se do Serviço Nacional de Saúde. O PS vai retirar regiões do empobrecimento e despovoamento. O PS, insiste-se, governa as contas públicas com rigor e com responsabilidade."

As frases acima, a cargo do investidor imobiliário António Costa, do patriarca da família César e de mais duas ou três “personalidades” fascinantes, foram proclamadas no Congresso do PS, bonito certame que esteve patente na Batalha. Comparando com outros bandos enclausurados em espaços reduzidos, os davidianos de Waco diziam coisas menos amalucadas. O que, afinal, vem a ser isto? Fanatismo religioso? Exorcismo colectivo? Alta comédia?

Um pouquinho de cada, com certeza. Mas trata-se principalmente de um teste aos cidadãos. É como quando, a meio de uma conversa, desconfiamos que o nosso interlocutor deixou de nos ouvir e desatamos a afirmar os maiores disparates para medir a respectiva atenção: “E então na quinta-feira almocei em Ponte de Lima com a Kristen Wiig, cinco filatelistas e o Gandhi…” Se o bandalho anuir seriamente, percebemos que não nos liga nenhuma e estamos à vontade para inventar o que quisermos.

Assim foi no Congresso. Os socialistas espalharam mentiras sem nexo, brutais enormidades, uma visão distorcidíssima da realidade e uma definição inversa do que o PS de facto é. E depois esperaram. No mínimo, que se escutasse uma gargalhada de Norte a Sul. No máximo, que uma horda de indignados com as periódicas calamidades que o PS impõe ao país rumasse à Batalha a fim de ajustar contas, públicas e privadas. Não aconteceu nada. E o PS confirmou aquilo de que já suspeitava: a total impunidade para continuar a desgraçar inúmeras vidas. E continuar a mentir descaradamente sobre isso.

Não que o PS apenas saiba mentir, pelo amor de Deus e do dr. Arnaut. Perto do final do Congresso, uma senhora subiu ao palco e garantiu que “os portugueses merecem António Costa como primeiro-ministro”. Esta frase é verdadeira – e só não merecem pior porque seria difícil encontrar.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 01.06.2018 às 12:36

Tss, tss.

"Indignação" é palavra para ser usada só quando o Governo é "de direita". Ajuntamentos - note-se que não escrevi Protestos - durante um Governo de Esquerda ou são populismo, ou raiva ou os dois.

É populismo não querer pagar o Estado Social assim como a Gasolina mais barata, são recursos fundamentais do estado. O governo não pode fazer nada a culpa é das gasolineiras capitalistas que cobram pelo menos 39% do valor daquilo que produzem...
O Governo numa "política de abertura" está no entanto aberto a considerar a constituição de um organismo de supervisão da energia petrolífera.

E sobre o preço da electricidade é por causa do "ambiente" não me diga que é um amigo do Trump....

Sem imagem de perfil

De Meister Von Kälhau a 01.06.2018 às 16:36

Explique-me, por favor, qual a alternativa ao Estado Social?

Sendo condutor parece-me acertado taxar os combustíveis fósseis e diminuir a taxação das energias "verdes" e oferecer, de seguida, gratuitamente, até, carros Teslas à malta toda - não falo no Sporting, claro está! Já agora aumente-se a fiscalidade das vacas, essas cabras inimigas do Ambiente, que são as maiores produtoras de gás metano….excepto nos dias em que como tripas, aí sou eu!
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 01.06.2018 às 17:49

Que tal a liberdade de associação?

Energias "verdes" colocaste bem as aspas. Sabemos lá o que é "verde". Nem temos maneira de medir. Minerar materiais raros para baterias e outras maravilhas custa quanto em termos ambientais? e o que é isso de ambiente para poder medir?

Uma bactéria que vive do petróleo é discriminada por uma bactéria que vive de eucaliptos?

Nem sabes o que Gaia quer .... se sabes diz-me porque é que Gaia criou o petróleo? Será que o petróleo é uma maçã para nos tentar com as curvas da estrada?
Sem imagem de perfil

De Meister Von Kälhau a 01.06.2018 às 21:26

É por isso que sou contra as vacinas. Julgo que todos os micróbios merecem a sua oportunidade.

Lucky se referendassem o SNS tenho a certeza que o Sim ganhava. Se referendassem a privatização da SS tenho a certeza que o Não ganhava.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 03.06.2018 às 12:54

Se és a favor de Gaia- Mãe Terra e não dos Humanos obviamente que estás contra as vacinas pois será discriminação contra natureza Marxista :) onde todos os seres têm de estar em pé de igualdade.
Serás um Racista anti-micróbio! Ou um Microbocista?

SNS:
Ou seja estás de acordo em usar a força sobre os outros que discordam de ti. Queres usar a violência para impedir outras pessoas de escolherem como tratar da sua própria saúde.
Sem imagem de perfil

De António a 01.06.2018 às 12:42

Estão no poleiro, só gritam de contentes.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 02.06.2018 às 11:32

Alguns, se for preciso, "até gritam de contentes" em alemão.
Sem imagem de perfil

De Isabel a 01.06.2018 às 13:41

A tv dirige com mão de mestre a indignaçao dos portugueses para o futebol, o crime e para os grandes problemas da vida que mantêm o interesse das novelas. Como quer que ainda haja energia para indignação com os problemas da governação que, segundo vejo, são tratados por políticos de todos os quadrantes com luva branca?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 01.06.2018 às 16:45

Tem razão, eu que gosto de bola, já estou farto e vem aí mais uma injecção com o Mundial e depois o inicio da época, já para não falar da novela do Sporting... e ainda o sempre vibrante mercado de transferências que dura todo o ano.

WW
Sem imagem de perfil

De Costa a 01.06.2018 às 14:31

"A grande diferença entre o passado e o presente é sobretudo comunicacional. Com Passos estávamos sempre prestes a morrer", escreve-se em comentário a um texto anterior.

Dizer que estávamos prestes a morrer - e estivemos - foi coisa inaceitável, neo-liberal, de retrocesso civilizacional e o mais que se pôde e pode ler sobre esses tempos. A traição à pátria esteve perto de ser invocada, se o não foi mesmo.

Mas mentir repetida é descaradamente, sem escrúpulos, aos pulos no palco, está muito bem e é até patriótico e de esquerda (de esquerda, claro, ou nem o seria).

Enfim sabemos bem o que acontece à mentira, ensina-o a História, quando repetida muitas vezes. Sabemos e sabe o primeiro-ministro de turno.

Costa
Sem imagem de perfil

De Meister Von Kälhau a 01.06.2018 às 16:46

Agora cita-me!?

"Mas mentir repetida é descaradamente, sem escrúpulos, aos pulos no palco, está muito bem e é até patriótico e de esquerda (de esquerda, claro, ou nem o seria)."


Costa ninguém chega ao poleiro inocentemente. Ou se dobra a verdade à vontade de poder, ou a vontade de poder à verdade - A mentira é um meio para um Bem maior, assim se pensa bem um mal necessário. Assim se forjam os Príncipes!

http://www.afoiceeomartelo.com.br/posfsa/Autores/Nietzsche,%20Friedrich/Friedrich%20Nietzsche%20-%20Vontade%20de%20Potência.pdf

E Costa, ambos nascemos num cestinho de verga...não nos indignemos, então, com coisas que juncam além das nossas forças….
Sem imagem de perfil

De Costa a 01.06.2018 às 18:39

É verdade, agora cito-o, veja bem onde se chegou... E faço-o sem identificar o citado! Mas conceder-me-á que não seria muito árduo, a um leitor assíduo do blogue, resolver esse mistério.

Quanto ao resto, isso de ninguém chegar ao poder, ou lá perto, sem umas coisitas menos confessáveis na consciência (tendo-a), é capaz de ser verdade. A avaliar pela amostra indígena, é um facto com bem poucas excepções, havendo-as, e exuberante demonstração. Uns podem é fazer toda a sorte de trafulhices e permanecer largamente puros perante os bem-pensantes (e ser por estes assim anunciados) e outros, por um proporcional pecadilho, são impiedosamente arrastados na lama.

É, creio, questão de pertença à família que afirma por cá que "para os amigos, tudo".

Costa
Sem imagem de perfil

De V. a 01.06.2018 às 18:52

Agora é mais "Agora cítara!?"

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 01.06.2018 às 14:48

Os profissionais da indignação devem ter reconhecido serem eles uma parte dos problemas da Nação, digo eu.

WW
Imagem de perfil

De Sarin a 01.06.2018 às 15:20

Hoje está tudo a olhar para Espanha.
Sem imagem de perfil

De Meister Von Kälhau a 01.06.2018 às 17:08

Deveriam olhar para a guerra comercial, com os americanos, que aí vem.
Sem imagem de perfil

De J. L. a 01.06.2018 às 15:50

Não é uma questão de aposentação. O problema é que a maioria dos eleitores votou à esquerda e as sondagens recentes mostram que os cidadãos estão virados para a esquerda e, portanto, não contestam tanto este governo como contestavam os de direita. Essa é a questão. E mostra que este governo agrada mais do que um da PaF com ou sem Passos coelho.
Sem imagem de perfil

De V. a 01.06.2018 às 20:01

Resta saber se o resultado das eleições seria o mesmo se as pessoas soubessem antecipadamente que os partidos de esquerda se iriam coligar no parlamento. Eu suspeito que não — e eles também suspeitavam que as pessoas iriam votar de outra maneira porque senão não tinham guardado a surpresa para o fim. O que depois aparece nas televisões não conta — é tudo gosma, artifício e manha.
Sem imagem de perfil

De Meister Von Kälhau a 01.06.2018 às 21:30

Eu suspeito que o PS tem mais possibilidades ,nas próximas eleições, coligando-se . Já ninguém confia nos Socialistas sozinhos.
Sem imagem de perfil

De V. a 02.06.2018 às 17:02

Coligados (assim de maneira limpa, num acordo pré-eleitoral) duvido muito porque o PCP dificilmente embarcaria num compromisso desses, apesar de a sua massa crítica ser hoje gente aburguesada e redonda de contente em cargos no Ministério dos 90 dias de Férias Pagas e na CGD.
Sem imagem de perfil

De Meister Von Kälhau a 02.06.2018 às 23:29

Não me atreveria a falar em Massa crítica do PC. Julgo que o termo correcto será mais Tara crítica. E bem sabemos que por detrás de uma tara a lógica é o que menos sentido tem.

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D