Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




In memoriam

por Sérgio de Almeida Correia, em 10.01.17

15896059_10208038355180285_5445452188597821735_o.j

A História não se rescreve, a liberdade não se apaga.

Autoria e outros dados (tags, etc)


9 comentários

Sem imagem de perfil

De lucklucky a 10.01.2017 às 08:48

Liberdade?

Viu-se muita Liberdade quando o Medo impediu um livro de ser reeditado.

Hoje vê-se também muita Liberdade com os jornalistas que só existem para a Política a fecharem as caixas de comentários.

E finalmente o Partido de Mário Soares faz parte acabou de dar um voto de pesar por um Ditador. Ditador bem mais Totalitário que o Estado Novo.

Logo onde está a Cultura de Liberdade?
Não existe porque nunca foi verdadeira, foi só um veículo para o Poder.
Sem imagem de perfil

De Deus Luckel a 10.01.2017 às 11:57

O Lucky, é um absolutista por natureza. Ou tudo, ou nada. Como um adolescente. Julga que deve fazer-se alguma coisa sempre até ao fim, ou não valerá a pena começar-se. E por isso raramente fará algo do que pensa. Um diletante.

Perfeição e Absolutismo de criações é obra dos deuses, não dos homens. Existem, contudo,outros espíritos, estes adultos. Maduros. Experientes da vida vivida entre os Homens. Para estes a obra do Homem será sempre uma aproximação a uma pura intenção. A utopia para estes homens maduros é apenas um farol que brilha longe servindo unicamente de linha de rumo, e nunca de meta (a utopia não é alcançável, como a linha do horizonte) - valores, ideias e obras absolutas não são humanas (o homem será sempre um ser incompleto).

Desta forma, o julgamento entre más e boas acções, entre bons e maus homens, deve cingir-se ao grau do que foi feito (à quantidade do que foi feito), quando comparadas com as obras de outros. Decorre daqui que Mário Soares fez muito mais qua a maioria de nós e por isso merece ser comemorado. Se procura seres perfeitos olhe para cima, para os seres celestiais, mas desconfio que mesmo entre eles não achará a sua perfeição.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 10.01.2017 às 13:23

Estude a linguagem que se emprega no regime do 25 de Abril desde 1974.

Vá ver os programas dos vários Governos, ou de candidatos e veja quantos usam a palavra Liberdade, quantas vezes é empregue e com que intensidade.

Verá que da Esquerda à Direita são reduzidas vezes em que a palavra Liberdade é empregue. Verá que a Liberdade não interessa e não interessa porque é um obstáculo à compra de votos do Socialismo Corporativista que temos.
O cidadão pode escolher a escola? pode escolher o médico? pode escolher o hospital? Onde está o Mercado um dos maiores exemplos da Liberdade?
A Liberdade é só uma medalha para apresentar e discursar nas cerimónias. Fora isso é posta na gaveta.

O grande problema do caso Rui Mateus não foi a corrupção - na maior parte dos casos, incluíndo este não é um símbolo especial da natureza de um qualquer regime, outros casos de corrupção aconteceram em Portugal alguns talvez mais graves- foi a demonstração da falta de qualidade da Liberdade nesta Democracia. O medo subjacente para a não reedição de um livro que esgotou num dia, de um autor que não voltou a Portugal. Foram feitas ameaças? o que se passou para o livro não ser reeditado?
E como reflexo desse controlo tivemos agora na sua morte alguns dos jornais do regime a proibirem os comentários. Ficam todos bem próximos dos tiques da Ditadura do Estado Novo.

Empregar a palavra Liberdade com Mário Soares levanta a questão do que aconteceu à dita quando Mário Soares esteve em causa. Se o autor tivesse escrito Democracia não tinha comentado.












Sem imagem de perfil

De Deus Luckel a 10.01.2017 às 14:58

"O grande problema do caso Rui Mateus"

A Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948 em seu artigo XI, 1, dispõe: “Toda pessoa acusada de um ato delituoso tem o direito de ser presumida inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa” - Mário Soares foi acusado de algo pelo Ministério Público? Ou o Luck é acusador, juiz e carrasco? Vivemos ainda num Estado de Direito.

"Verá que da Esquerda à Direita são reduzidas vezes em que a palavra Liberdade é empregue"

Isso pode ser explicado pelo facto de vivermos em Liberdade (daquela que resulta entre o equilíbrio de Direitos e Deveres). Já alguém lhe bateu à porta pelo que escreve ou diz? Já alguém o proibiu de sair do país, de andar de calções curtos cor de rosa? De beijar apaixonadamente a sua cara metade? De dizer mal de quem o governa?

Quanto a livros, seguindo a sua linha de pensamento como se explica as várias edições destes (também lá estão homens poderosíssimos):

https://www.wook.pt/livro/os-privilegiados-gustavo-sampaio/15057911

https://www.wook.pt/livro/os-facilitadores-gustavo-sampaio/15918523

https://www.wook.pt/livro/os-donos-de-portugal-francisco-louca/9634163

https://www.wook.pt/livro/os-burgueses-francisco-louca/15678591

https://www.wook.pt/livro/como-o-estado-gasta-o-nosso-dinheiro-carlos-moreno/9623985

https://www.wook.pt/livro/o-escandalo-do-bpn-varios/13174034

https://www.wook.pt/livro/dossier-bes-ges-varios/16936845

https://www.wook.pt/livro/impunidade-virginia-lopez/15243011

"O cidadão pode escolher a escola? pode escolher o médico? pode escolher o hospital?"

Sim, pode. Tem as Escolas Públicas e as Escolas Privadas. Tem os Hospitais Públicos e os Hospitais Privados. Tem ainda os Seguros de Saúde (desde 12 €/mês, mais coisa menos coisa). Vales-Ensino, etc.Obviamente que o poder económico é determinante, em alguns casos (se o Estado não assegurar os serviços básicos com que se comprometeu) na hora da escolha. Mas essas limitações são da mesma ordem de grandeza de quando decidimos escolher uma marca de carro, ou de calças. Vivemos numa Economia Capitalista (há uns que ganham mais que outros) - o Estado deve é assegurar que todos têm recurso a serviços indispensáveis, mantendo uma determinada qualidade - Saúde, Educação e Justiça/Segurança. Se isso acontece em Portugal? Ainda não (a tal utopia que deve guiar as politicas), tal como em nenhum país do mundo (uns estão mais próximos que outros).

"Ficam todos bem próximos dos tiques da Ditadura do Estado Novo"

Conhece alguém pós 25 Abril 74 preso pelo que escreveu, disse ou pensou?
Sabe o que fizeram a Miguel Torga e outros como ele?

Quanto ao mercado e às suas virtudes já não tenho argumentos para o contradizer depois destes últimos anos terem demonstrado a sua falibilidade, sobretudo moral.






Sem imagem de perfil

De lucklucky a 10.01.2017 às 20:47

Agora percebo-o, escreve sobre de gente poder e depois tem a lata de alencar uma data de livros da narrativa de esquerda e extrema esquerda que no regime sempre teve o poder para escrever o que quer.
Desafiar os poderosos em Portugal é criticar as vacas sagradas do Regime.

"Conhece alguém pós 25 Abril 74 preso pelo que escreveu, disse ou pensou?"

Não é de um episodio desses que estamos a falar?
Rui Mateus deixou de viver em Portugal. O seu livro nunca foi reeditado porque criticava o Pai do regime. É sobre este facto que disse que se aproximavam do Estado Novo.

Coisa que em todo o seu texto você nem dedicou uma linha.
Tabu próprio de um país "amordaçado".

Posso ainda lembrar-lhe que por exemplo os Partidos Fascistas e os Partidos Regionais são proibidos em Portugal.


"Sim, pode."

Não não pode, a Escola assim como Hospital ou Centro de Saúde é definido pela área de residência. Você não pode escolher dar o dinheiro ao médico, à escola que quer, ao centro de saúde que quer. ADSE por exemplo, na prática um sistema de cheques saúde que dá escolha livre é só para uma parte da população, advinhe qual é.

Poder é fazer o que se quer, depois ter poder para ir às coisas dos outros e aos outros. O Estado em Portugal a cada eleição que passa ganha mais poder seja o Governo de Esquerda ou Direita. Por enquanto a capacidade para ir às coisas e ter informação sobre os outros está alastrar, depois das coisas dos outros...
Sem imagem de perfil

De Deus Luckel a 11.01.2017 às 09:56

Louçã que eu saiba é o único com filiação partidária. Os outros são jornalistas.
Mas é normal que classifique de esquerdalha todos os aqueles que não tenham a sua opinião. Traço de intolerância, como aquela que aponta às ditaduras comunistas/socialistas.

Quanto a Rui Mateus foi dar aulas para os EUA. Se é verdade o que ele escreveu? Não faço a mínima ideia. Pode ser, pode não ser. Sócrates é culpado? Não sei, pode ser, ou não ser.

Quanto a Escolas e Médicos, nem eu, nem ninguém consegue escolher os professor/médicos que quer. Onde eu vivo não mora o Dr. House, nem o Professor John Keating. É a vida.

Acha mesmo que o Estado tem cada vez mais poder? Veja as privatizações que se fizeram nos últimos anos.
Sem imagem de perfil

De Deus Luckel a 10.01.2017 às 20:52

Tem aqui o link do livro de Rui Mateus. De borla!!

https://aventadores.files.wordpress.com/2010/12/contos_proibidos-memorias_de_um_ps_desconhecido-sem_anexos-sem_fotos2.pdf

Se quiser os anexos e fotos, eu envio, ou procure na net.

Cumprimentos,
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 11.01.2017 às 14:08

Só há o livro por obra e graça do poder distribuido que a internet dá ás pessoas anonimas, não por obra e graça dos guardiões do regime.
Se pudessem os chefes de redacção que cortaram os comentários nos seus jornais talvez também teriam querido fechar o Facebook, Twitter e os blogues etc.. neste período.

O facto é que se excluir-mos o PREC o regime do 25 de Abril esteve mais próximo dos comportamentos anti-Liberdade da Ditadura do Estado Novo neste caso com Mário Soares.

Para o caso Rui Mateus ainda temos o exemplo da entrevista ao próprio que deve ter sido só a maior destruição do jornalismo que aconteceu em Portugal no pós 25 de Abril.


Sem imagem de perfil

De Deus Luckel a 10.01.2017 às 12:17

Na Terra nunca encontrará ninguém, coisa, ou ideia sem mácula.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D