Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Grécia antiga (2)

por Pedro Correia, em 14.05.15

«Após tantos anos de crise, a Grécia impôs-se e apesar da crise que ainda atravessa o povo grego resolveu relançar-se, ignorando a enorme dívida que ainda tem. A senhora Merkel, que tanto mal fez a toda a Europa, mas que desde as últimas eleições perdeu a maioria que tinha e agora depende dos social-democratas, quis intervir na Grécia mas isso não lhe foi permitido. A Grécia diz pretender pagar as suas dívidas quando puder, mas o importante é desenvolver-se agora, com gente nova.»

Mário Soares, na Visão (22 de Janeiro de 2015)


22 comentários

Sem imagem de perfil

De Soares, grande profeta a 14.05.2015 às 17:54

Está muito mais desenvolvida e Frau Merkel, agora que, coitadinha, depende dos sociais-democratas amigos de Herr Marocas e de Herr Hollande, foi vergada pela vontade dos seus aliados no governo e tudo mudou. Até houve peixes que, não se sabe como, foram vistos a descer a Avenida da Liberdade.
Sem imagem de perfil

De Jaime Gama, fraco profeta a 14.05.2015 às 18:29

“A única coisa que falta ao programa do Syriza é uma máquina de fabricar moeda falsa”.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.05.2015 às 00:09

"No meu tempo eu dava instruções à Imprensa Nacional/Casa da Moeda para darem à manivela e imprimirem papel. Resolvia-se tudo assim."
Hum... onde já terei eu ouvido isto?
Sem imagem de perfil

De Laranjeira a 14.05.2015 às 20:07

Depois de andar a pedir um perdão de dívida, o Varoufakis agora pede a extensão das maturidades, como Portugal e a Irlanda tiveram direito. Só que a Irlanda e Portugal não andaram a gozar com as instituições europeias e com os outros Estados da zona euro. Estes países podem ter desvios, podem cometer erros, podem falhar projecções, mas tentaram solucionar os seus problemas e nunca faltaram com o respeito aos outros. Por isso Portugal e a Irlanda conseguiram a confiança dos outros, já a Grécia, especialmente desde que os aldrabões dos extremos ganharam as eleições, não consegue. E não conseguem porque soa tudo a falso, a oportunismo porque o governo grego está a perder o pé na Grécia e isso está a desesperá-lo. Temos pena.
Sem imagem de perfil

De Vento a 14.05.2015 às 21:51

A Grécia, tal como todos os outros países, deve desenvolver-se com gente nova, menos nova e velha. Os vivos que se mobilizem.

Sim, Soares tinha razão quando escreveu o artigo, e hoje já se compreendem algumas frustrações:

http://sicnoticias.sapo.pt/especiais/grecia2015/2015-05-14-Ministro-grego-das-Financas-quer-adiar-reembolsos-ao-BCE

http://economico.sapo.pt/noticias/banco-central-alemao-critica-ajuda-de-emergencia-do-bce-a-grecia_218433.html

http://economico.sapo.pt/noticias/grecia-varoufakis-volta-a-defender-troca-de-divida_218412.html

Andam a tentar preparar a opinião pública para um desfecho que já é conhecido.
Sem imagem de perfil

De É assim mesmo! a 14.05.2015 às 22:39

Quando escreveu um monte de previsões de que nem uma só se verificou, estava cheio de razão.
Sem imagem de perfil

De Vento a 14.05.2015 às 23:06

Eu respondo só por minhas afirmações. Mas que nesta Soares tinha razão, lá isso tinha.
Na realidade os gregos têm vindo a ignorar a enorme dívida para que possam relançar-se. Pagando quando houver condições. Até agora tem sido o BCE a pagar. Afinal os bancos servem para alguma coisita. O Passos, Portas, e a Maria Luís lançam-se em dívidas para fazer parecer que somos melhores que os gregos.
Eu sei, é para fingir que estão a pagar dívidas. Depois, já sem saída, lá vão dizendo que é para substituir dívida à conta de juros mais favoráveis. E dizem que tudo isto se deveu a um bom comportamento e que os pirolitos são merecidos. Isto é, os juros baixaram nas praças internacionais porque a troika que referi acima portou-se lindamente. Só aumenta para os mauzões, os gregos. Acontece que os mauzões não estão a comprar dinheiro nos mercados. E esta!?
Sem imagem de perfil

De Laranjeira a 15.05.2015 às 00:08

Não estão a comprar dinheiro nos mercados porque não têm acesso aos mercados, ó "génio". Então agora virámos calvinistas e já não gostamos de contrair dívida alguma?

Mas o "Varafukis" já disse que há resmas de investidores à espera de meter dinheiro na Grécia mal haja um acordo com a Europa. Vai ser assim uma "cheia" de carcanhol a invadir aquele país. Uma coisa parva!

E hoje, como estava numa conferência da revista Economist, e se podia dirigir a uma audiência anglo-saxónica, resolveu dissertar sobre a arquitectura do euro, e dizer que a Grécia nunca devia ter aderido ao euro (dá sempre jeito dar graxa aos camones, para ver se se consegue melhor imprensa na língua inglesa) e que a arquitectura da moeda única é defeituosa (e logo a Grécia para dar lições de governação...). Parece-me que no aspecto de que a Grécia nunca devia ter entrado para o euro há imensa gente na Europa que concorda.

A classe política portuguesa é geralmente má, mas assim com pinta de vigarista chapado como este Varoufakis, só há mesmo o tipo que está guardado em Évora.
Sem imagem de perfil

De Vento a 15.05.2015 às 10:21

Ó iluminado, nem as folhas de laranjeira te acalmam e abrem o espírito. Não compra porque o BCE injecta na banca grega.
Ninguém vai aos mercados tendo fonte de financiamento.

Interessados em investir na Grécia, ó iluminado, não faltam.
http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=827966&tm=7&layout=121&visual=49

Ó iluminado, se é através de epítetos de vigaristas que escreves sobre outros, então, não passas de um papagaio a armar em sabichão. Aliás, não me admira que a nomenclatura cretina e imbecil que faz campanha contra a Grécia seja capaz de arrastar outros tantos.

Ó iluminado, se o teu conceito de argumentação é armar em justiceiro relativamente a outros, então, só revelas que te agrada o lixo. E quem se alimenta de lixo... (é como o filho de peixe que peixinho é).

Tão iluminado que és. Até lês o economist!, e acabas a concordar com o Varoufakis dizendo que outros por esta Europa assim pensam.

Se quiseres vir à fala vem com juízo e inteligência, se tiveres.
Sem imagem de perfil

De Este topa-se bem a 15.05.2015 às 12:07

Casmurros repetidores invariáveis das mesmas conversas querem é que lhes liguem, coitados.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.05.2015 às 20:33

Há ou não há liberdade de pensamento? Há ou não há liberdade de expressão? Topa-se o quê? Estão connosco se não estão são comentários não gratos? Tenha paciência meu caro se não consegue ler o contraditório não leia, ignore.
Sem imagem de perfil

De Justiniano a 15.05.2015 às 12:30

Caro Vento, há, aqui, uma contradição insanável:"...não estão a comprar dinheiro nos mercados" - "Não compra porque o BCE injecta na banca grega.
Ninguém vai aos mercados tendo fonte de financiamento."
Fixemos, como pressuposto, que a Banca Grega é mercado financeiro, não!?
Sem imagem de perfil

De Vento a 15.05.2015 às 14:04

A banca grega é indissociável da Grécia, e também concerta políticas com o BCE, na área em que são membros de direito.
Estando sob a protecção comum (que é relativa) o conceito de acesso aos mercados não se aplica segundo o critério Universal, mas no foro restrito de uma comunidade que se deve constituir como um guarda-chuva.

Portugal manteve-se sob esta protecção na medida em que os juros dispararam acima dos 7%. Depois que a Rússia invadiu a Crimeia, por culpa das políticas suicidas europeias naquela região, e da intervenção do BCE, Portugal pôde regressar aos mercados com taxas de juro bem mais favoráveis que aquelas que estava a pagar a seus parceiros e ao FMI.
Porquê? Porque os agiotas, perdendo mercados onde emprestavam com taxas baixas, que eram compensadas pelas altas pagas por outros países, não tinham outro recurso, para se manter no negócio, que não a de baixarem as ditas taxas. A conveniência entendeu por bem afirmar que como aqueles tipos, nós, eram "bem comportados" então vamos lá "perder" milhões e dar-lhes uma boa taxa.

Porém, como o caso da Grécia é uma situação muito delicada, onde se espelham os erros comuns e também de outras instituições (entre outros aspectos que pairam como abutres naquele país), convém olhar para a legítima e inteligente argumentação que os gregos estão a apresentar.

Tem aqui o puzzle.
Sem imagem de perfil

De amendes a 14.05.2015 às 21:54

É triste, muito triste, um homem do tipo MS , não ter a noção ridículo.!

Por amor á nossa história coerente e inteligente, alguém mande calar politicamente este homem ! Cante para netos...entretenha-se a marcar num caderno as matriculas dos automóveis que passam na rua da Fundação... jogue o berlinde como meninos do colégio ! Por favor MS... não seja mais o bobo da corte!
Sem imagem de perfil

De Marquês Barão a 14.05.2015 às 22:56

Parece que em Portugal não se aplica o importante, com gente velha que não anda nem desanda.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.05.2015 às 23:04

Apesar dos anos que carrega e de algumas vezes se exceder nos comentários que faz, ainda diz muitas coisas acertadas e esta é uma delas.
Sem imagem de perfil

De Ora Essa a 15.05.2015 às 09:04

Quando está calado (o que raramente acontece) ) é, decididamente, quando mais acerta. Que raio de acertado disse nesse monte de previsões absolutamente fora do penico?
Sem imagem de perfil

De rmg a 14.05.2015 às 23:05


Não percebo por que é que, na falta de uma posição clara do governo português no que respeita a meter mais dinheiro na Grécia, os portugueses em geral (e os comentadores do DO em particular) que defendem essa ideia não calculam qual seria a sua parte e se dirigem espontaneamente à embaixada desse país para fazerem o seu donativo.

Dizía-me aqui há pouco um companheiro de jantar com quem discutia o caso que deve ser malta que está isenta de IRS e taxas variadas e que é altruísta com o dinheiro dos outros.
Mas eu não acreditei, era lá possível patentearem tanta solidariedade e nem um gesto simbólico sequer, uma presença numa manif, sei lá eu que mais...
Sem imagem de perfil

De Talinqual a 14.05.2015 às 23:14

"A Grécia diz pretender pagar as suas dívidas quando puder". É como o sr. eng. licenciado a um Domingo de Setembro ou dia de semana de Agosto, mês de férias, - caso por esclarecer - por dois professores de que não recorda o nome, também pretender pagar as suas dívidas quando puder e for colocado em liberdade, com os devidos pedidos de desculpa.
Sem imagem de perfil

De Previsões certeiras de Soares a 15.05.2015 às 10:28

O porta-voz do Governo grego e ministro-Adjunto de Alexis Tsipras disse que o seu Executivo está a fazer esforços para assegurar a privatização do porto do Pireu, o maior do país, e de 14 aeroportos regionais.

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D