Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Delito de Opinião

3 comentários

  • Sem imagem de perfil

    J. 21.02.2021

    "Mas é-o, no sentido do teorema de Gödel."
    Explique lá isso melhor.
  • Imagem de perfil

    SAP2ii 21.02.2021

    No seguinte sentido:
    1. O que diz o Teorema?
    (“Über formal unentscheidbare Sätze der Principia Mathematica und verwandter Systeme I”, in Monatshefte für Mathematik und Physik, 1931, vol 38, pp. 173-198).
    2. O que demonstra?
    3. Porque é designado da "indecidibilidade" ou da "incompletude"?
    4. Porque um «sistema», nos termos das suas premissas, não se consegue explicar a si próprio?
    5. Porque, apenas com uma premissa exterior a si, é possível explicá-lo e interferir nele?
    6. "Deus" é uma premissa do «sistema» (ser-humano, mundo), ou está fora dele?
    7. Logo, exista ou não, seja o for que se queira acreditar, então, a formulação da sua existência já não é a capacidade de forjar uma premissa exterior ao «sistema» pelo «sistema»?
    8. Assim sendo, essa fé não será uma abertura e não um fechamento? Um avanço, em vez de um atraso? Uma quebra no determinismo animal a que nos condenava a Natureza?
    9. Não sei responder.
    10. Apenas posso cometer o "Delito de Opinião" de perguntar.
    11. Ou seja, apenas posso apresentar a minha opinião como uma performance, anterior à certeza, à verdade e à razão.
    12. Portanto, anterior até à própria "dúvida" (pela qual Descartes se definiu como um ser-pensante).
    13. Poder falar, dizer e fazer desse lugar anterior à dúvida, à razão e à certeza... determina o lugar do ser-humano onde, entre o Mundo e Deus?


  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.