Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Frases de 2016 (29)

por Pedro Correia, em 29.09.16

«Não sou amigo de políticas de procura à escala de dez milhões de tesos e endividados.»

Daniel Bessa, ex-ministro da Economia

Tags:


11 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.09.2016 às 11:56

Logo,
- o melhor é mantê-los tesos e endividados...
Lógico!
João de Brito
Sem imagem de perfil

De sampy a 29.09.2016 às 13:32

Espero bem que estejas a tentar fazer-te de estúpido de propósito.
Sem imagem de perfil

De WW a 29.09.2016 às 19:43

Antes teso que endividado...
O problema é que há mais (muito mais) endividados do que tesos a começar na nossa elite economica...
Sem imagem de perfil

De jo a 29.09.2016 às 19:45

"Se alguma coisa o Governo do doutor Pedro Passos Coelho fez nos quatro anos que teve de gerir a anterior geringonça, foi cuidar dos mais pobres", disse, salientando que não viu "descer o salário mínimo nem as pensões mínimas, nem agravar os impostos para as classes mais baixas".

Os salários médios baixaram 10% (fonte Banco de Portugal), o RSI desceu para metade, as prestações de desemprego diminuíram em valor e tempo de atribuição ao mesmo tempo que o desemprego disparava. Tentou-se passar 5% dos ordenados administrativamente dos empregados para os empregadores manipulando a Taxa Social Única, aumentou-se o IVA.
Mas ficamos a saber que não cobrar IRS a salários de 500€ mensais e congelar o salário mínimo são proteção à pobreza.

Ao mesmo tempo não se cumpria nenhum dos objetivos da dívida e do défice
fixados. Com gente assim a cuidar dos mais pobres, e da economia estávamos nitidamente no caminho certo.
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 29.09.2016 às 21:09

"o RSI desceu para metade" e desceu muito bem, pois estava a ser pago a muita gente que não precisava, uma vez que era concedido a toda a gente, sem se exigir prova de condição de recursos e muitos abusadores aproveitavam. Compare com o valor que actualmente está a ser pago e embrulhe...
Sem imagem de perfil

De jo a 29.09.2016 às 23:06

Fala do que não sabe.
A prova de recursos sempre foi exigida.
O que se conseguiu foi ter menos RSI pago com mais gente abaixo da linha de pobreza. Uma proeza de solidariedade para poupar 60 ou 70 milhões de euros.

Compare-se com o escândalo que se faz porque vão ser taxadas casas acima de 1000000€ e temos uma ideia da consciência social da nossa direita.
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 30.09.2016 às 08:18

Só costumo falar do que sei: muita gente que recebia RSI (antes RI) deixou de receber quando lhe exigiram prova de recursos.
O governo anterior onerou os prédios de valor superior a 1 milhão com imposto de selo (1%). O actual não sabemos o que vai fazer.
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 30.09.2016 às 13:37

" Antes RM - Rendimento Mínimo".
Sem imagem de perfil

De rmg a 30.09.2016 às 01:08


Depreendo assim das palavras do comentador "jo" que está na altura do governo voltar a alterar (subindo-a) a linha de pobreza.

Só estranho que ele não o tenha mencionado.
Sem imagem de perfil

De jo a 30.09.2016 às 12:46

Sim a linha que define a pobreza baixou, ou seja deixa-se de ser considerado pobre com menos dinheiro.
No fundo temos de definir o que é pobreza. Onde toda a população está na miséria e não tem dinheiro, ter puco dinheiro não é se pobre. A o invés se todos ganharem milhões o que ganha milhares é pobre.

O anterior governo ao baixar o rendimento médio levou a que gente que era considerada pobre deixasse de o ser apesar de continuar a ganhar o mesmo. Se calhar é a isso que o Daniel Bessa se refere ao dizer que o anterior governo era bom para o pobres. Ou então referia-se ao facto de ele ter criado imensos pobres.

Penso que será tempo de subir de novo os salários, mesmo que isso implique que pessoas que são consideradas não pobres passem a pobres. Nesse sentido é sempre tempo de subir a linha da pobreza.

Sem imagem de perfil

De rmg a 30.09.2016 às 19:56


Caro Senhor

Não era necessário explicar-me isso tudo porque já sei isso tudo desde que comecei a ter algum entendimento, mas admito que as caixas de comentários possam ser úteis para a educação geral.

Mais ainda: até os meus netos já sabem isso tudo, porque não são netos nem bisnetos de democratas de 26 de Abril de 74.

De resto não tenho por hábito apreciar ou utilizar expressões do tipo " se calhar é a isso que o ... se refere" e outras que tais que se limitam a deixar no ar insinuações muito pouco democráticas para os meus hábitos pessoais.

O que um governo faz efectivamente de bom ou de mau em prol da nação só se costuma notar passados uns bons anos ainda que seja importante que acuda às situações graves assim que possível.
Subir os vencimentos ou o RSI é simpático na altura mas não é necessáriamente simpático um ano ou dois depois e, talvez por isso, mesmo governos claramente de esquerda não têm por hábito desatar a correr nessas direcções.

De resto foi isso que referi como em falta no seu comentário e que só agora veio referir, mais preocupado que estava em ír buscar as "bandeiras" da moda.

Passe V. Exa. muito bem

PS- Para evitar conversas da treta devo dizer que já em 1969 votei CEUD o que me trouxe "inconvenientes" vários como quase finalista do IST, numa altura em que muitos "progressistas" que por aí andam nem sabiam o que isso era.


Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D