Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Frases de 2016 (25)

por Pedro Correia, em 25.06.16

«A Europa tornou-se num sítio de onde se entra e não se pode sair a não ser humilhado e ofendido, como aconteceu com os gregos.»

Pacheco Pereira, às 23.45 da noite do referendo britânico (SIC N)


22 comentários

Sem imagem de perfil

De Justiniano a 25.06.2016 às 10:18

O problema de JPP, nesta questão do referendo britânico, é que, verdadeiramente, o RU evidenciou que as razões da sua saída são as razões opostas às que os Gregos enunciaram como razões para a sua ameaça de saída.
As contradições são evidentes. A síntese conciliatória parece impossível.
Os Britânicos, assim como grande parte do norte da europa, são familiares com a velha expressão - Quem bebe pelo gargalo paga a garrafa.
As contradições de JPP são insolúveis. Brada como um soberanista, pela autonomia financeira e aponta a essencialidade de um europa de transferencias. Uma espécie de soberania sobre a fazenda dos outros!! É a quadratura do círculo, sem mais!!
Nesse aspecto, Viriato SM, tem um pensamento mais consistente e estruturado. Um federalista, mais das vezes alucinado, que de bom grado imporia a federação sem consulta aos federados. Não tem a diletância do JPP mas está tão ou mais afastado do horizonte do possível!!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 25.06.2016 às 13:27

JPP, auto-investido em Astérix contra as legiões romanas, bate no peito e reivindica soberania. Ele, como outros sociais-democratas de topo, esteve em Alésia, onde a cúpula gaulesa se rendeu ao César bruxelense. Mas, tal como o chefe Abraracourcix, agora encolhe os ombros e diz: "Alésia? Não conheço Alésia. Não sei onde fica."
Sem imagem de perfil

De Miguel Oliveira a 25.06.2016 às 14:56

precisamente, "Eu disse chalada e não chalada!" (O Escudo de Arverne)
Sem imagem de perfil

De Justiniano a 25.06.2016 às 18:38

A caminho da Alesia vi um enterro de estadão. Por toutatis fiquei contente, era p meu centurião. Eu acho interessante aos que desejam alguma mudança nas coisas, mesmo que empurrada por tragedia. Aos que desejam que, verdadeiramente, a ue, grande bode expiatório, mude que pensem prudentemente e que cuidem de saber que tipo de mudança se vislumbra.
Sem imagem de perfil

De Justiniano a 25.06.2016 às 18:43

A caminho da Alesia vi um enterro de estadão. Por toutatis fiquei contente, era p meu centurião. Eu acho interessante aos que desejam alguma mudança nas coisas, mesmo que empurrada por tragedia. Aos que desejam que, verdadeiramente, a ue, grande bode expiatório, mude que pensem prudentemente e que cuidem de saber que tipo de mudança se vislumbra.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 26.06.2016 às 21:32

O JPP o "Soberanista" depois quer subsídios da União e que os malvados mercados emprestem para pagar as contas.

Sem imagem de perfil

De am a 25.06.2016 às 11:47


Pacheco Pereira

Por vergonha desta Europa

Ele vai devolver todos os proventos que auferiu como deputado do P.Europeu!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 25.06.2016 às 13:19

O doutor Pacheco Pereira confunde sondagens com factos e elabora sobre as efabulações que mais lhe convêm. Que essas elaborações teóricas choquem de frente com a realidade e colidam com grande parte do seu percurso anterior, nomeadamente como dirigente de proa do PSD, é um pormenor de somenos em quem já passou por tantos campos de papoilas e girassóis.
Sem imagem de perfil

De Manel a 25.06.2016 às 15:35

Será que os gregos não foram humilhados? Essa era uma queixa dos ingleses que não gostaram nada, do que a UE fez à Grécia. Pacheco diz verdades que incomodam e de que maneira.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 25.06.2016 às 18:21

Pacheco Pereira poderia ter esperado umas horitas antes de proclamar, com aquele ar de quem só profere "verdades", que "a Europa tornou-se num sítio de onde se entra e não se pode sair". É uma chatice quando os factos atrapalham as melhores teorias.
Sem imagem de perfil

De Manel a 25.06.2016 às 20:32

Ele sabe o que diz, embora como qualquer mortal também pode errar. Os grandes podem sair e a UE tudo faz para que não saem, mas eles saem. Os pobrezinhos esses coitados subjugam-se ao poderio. Até quando, não sei, mas que tudo tem um princípio e um fim, não há dúvidas. A UE tem duas hipóteses ou organizam-se ou adeus UE. É a realidade.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 26.06.2016 às 21:34

Tem piada os pequeninos que cumprem as regras que assinaram de livre vontade cumprir não têm problemas.
Sem imagem de perfil

De jorge a 25.06.2016 às 16:49

Pacheco Pereira é um que pertence ás elites que destruíram Portugal e arvorado em defensor das causas perdidas, só falta vê-lo a defender um novo referendo para o RU continuar na Europa.
Democraticamente consultaram o povo e este escolheu. Bem ou mal, o futuro o dirá. O PM britânico perdeu e demitiu-se. Isto é a verdadeira democracia, contrastando com o descrédito total dos nossos partidos e classe politica.
Provavelmente existirá em Portugal, sobre o futuro nome a dar, ao cartão de cidadão.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 25.06.2016 às 18:22

Sim, no Reino Unido a democracia funcionou. Gostemos ou não gostemos do resultado.
Sem imagem de perfil

De xico a 25.06.2016 às 21:29

De facto democracia funcionou. Mas quando eu escolho um partido para me governar nos próximos 4 anos, é uma coisa, quando eu decido pelo voto consequências mais longas sem ouvir os jovens com 16 e 17 anos parece-me preocupante. A saída da União é uma bomba atómica que não se usa. Está lá para fazer bluff. Porque os que vêm atrás têm também direito a decidir.
Digam o que dizerem e quiserem, quem ganhou foi a xenofobia e o chauvinismo. Lia-se na cara do Boris e do Farage.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 26.06.2016 às 21:45

"Quando eu decido pelo voto consequências mais longas sem ouvir os jovens com 16 e 17 anos parece-me preocupante."

Patética arrogância. Quem disse que não ouviram? ou você confunde de propósito na sua narrativa ouvir com concordar?


"A saída da União é uma bomba atómica que não se usa."

Que isto de escolher é só retórica.

"Digam o que dizerem e quiserem, quem ganhou foi a xenofobia e o chauvinismo. Lia-se na cara do Boris e do Farage."

Pois a indpendência é chauvinismo e xenofobia excepto quando não é conveniente pois não?

Angola, Moçambique, Guiné, Cabo Verde, Brasil foram grandes xenófobos e chauvinistas... E então esse canalha "jovem" do D. Afonso Henriques até contra a "velha" da mãe lutou para ter independência.

Velho ou Jovem quem vota para ter responsabildade é bem vindo.
Sem imagem de perfil

De xico a 26.06.2016 às 22:44

Não sabia que os jovens de 16 e 17 anos votaram. Ah, peço desculpa. Se o referendo era para decidir a independência do Reino Unido de uma potência colonial, então retiro o que disse. Então agora a Inglaterra não vai precisar, com certeza, de um referendo para dar a independência à Escócia e à Irlanda do Norte. Ela que sabe o que foi sofrer as agruras de dependência de uma potência colonial!
Imagem de perfil

De cristof a 25.06.2016 às 18:43

Gabo-lhe a pachorra de ainda relatar o que este tudologo diz.Tenho a convicção que se procurar encontro o contrario do que aqui transcreve.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.06.2016 às 19:12

A Europa tornou-se numa cobaia, em que o grande capital selvagem testa a austeridade, que consiste em roubar aos pobres para dar aos ricos.
Precisamente o contrário do nosso Zé do Telhado.
E quem teve um Zé do Telhado deveria ser o primeiro a fazer um manguito à dita cuja.
Afinal, não fomos nós, mas foi quem teve Robin Wood.
Também está certo.
Sem imagem de perfil

De xico a 27.06.2016 às 09:50

Ah, quer dizer então que os ingleses votaram contra o capitalismo selvagem e pela expulsão dos normandos (isto de chamar à colação o Robin Hood (sem w) tem destas coisas. Vão então trasnformar a City, numa sopa do Sidónio. Ah, lembrei-me agora que o Ricardo Coração de Leão, tão a favor do pobres que até armou cavaleiro o Robin Hood (sem w), era francês, detestava os ingleses e recusava aprender a língua de tais bárbaros.
Você sabe quem foi o Zé do Telhado? Um miguelista, que combateu a ordem que os ingleses nos impuseram?
Mas o que gostei mais foi saber que Farage e o Boris vão lutar contra o capitalismo selvagem! Até me vou sentar, para assistir.
Voltando ao tirar aos ricos para dar aos pobres. Não é isso que a Europa tem feito este tempo todo connosco? Dar-nos o que tira aos ricos? O saneamento, o abastecimento de água, as estradas, as rotundas, os bancos de jardim (sei do que falo), as árvores para os passeios...

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D