Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Frases de 2014 (5)

por Pedro Correia, em 25.03.14

«Somos um país bastante corrupto.»

José Silva Lopes, ex-ministro das Finanças

Autoria e outros dados (tags, etc)


9 comentários

Sem imagem de perfil

De lucklucky a 26.03.2014 às 00:05

Esqueceu-se de dizer que a maior parte da corrupção é legal e está na Constituição.
Sem imagem de perfil

De William Wallace a 26.03.2014 às 00:18

Não vamos mais longe , ficamos já aqui :


http://www.youtube.com/watch?v=9xER5_jq4bY&feature=youtu.be
Sem imagem de perfil

De Saraivada a 26.03.2014 às 08:35

Felizmente, temos o Otelo.

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/politica/detalhe/25_abril_otelo_disponivel_para_recuperar_mfa_e_mudar_regime.html
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 26.03.2014 às 11:09

Todos os anos, por esta altura, regressam as andorinhas e regressa o 'sound bite' anual do Otelo.
Em anos anteriores já houve estes, por exemplo:

http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=1835446&especial=Revistas+de+Imprensa&seccao=TV+e+MEDIA

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=433305&tm=9&layout=121&visual=49


Sem imagem de perfil

De sampy a 26.03.2014 às 10:14

Uma dúvida: tão sábias palavras terão sido pronunciadas diante de um espelho?...
Sem imagem de perfil

De am a 26.03.2014 às 10:47

"Mas graças a Deus eu não"!
Sem imagem de perfil

De Miguel a 26.03.2014 às 12:49

O senhor não está a dizer nada que já não saibamos, conquanto seja bom ouvi-lo de alguém que esteve lá dentro. Mas exactamente por lá ter estado fica-se sempre com a pulga atrás da orelha: não terá ele também andado a locupletar-se? Frases como estas lembram-me sempre aquela do Mouzinho da Silveira: "Os Portugueses se atormentam, se perseguem e se matam uns aos outros por não terem entendido que o Reino, tendo feito grandes Conquistas, e que, perdidos os escravos, era preciso criar uma nova maneira de existência, multiplicando os valores pelo trabalho próprio." (1834)

Até aqui tudo bem, mas depois uma pessoa lê "O Devorismo," de Vasco Pulido Valente, e descobre que o conceito de trabalho próprio de Mouzinho passava por formar-se em conluio com um grupo de barriguistas que se aproveitou da bancarrota do reino para comprar as lezírias do Tejo ao desbarato quando o governo teve de começar a vender todos os seus bens nacionais urgentemente. Até parece algo dos dias de hoje.

O descrédito dos políticos assumiu proporções tão grandes que o meu primeiro instinto é não confiar em nada do que eles dizem, independentemente da sua possível idoneidade.
Sem imagem de perfil

De João a 27.03.2014 às 16:04

Miguel nem nos políticos, nem nestes iluminados economistas que dizem-se e contradizem-se. É este o nosso fado, andarmos sempre ao sabor desta gente que nada sabe, mas julgam-se o auge da sapiência e depois temos as consequências....
Sem imagem de perfil

De rmg a 26.03.2014 às 18:03


E o mais curioso é que toda a gente vive aqui e ali de pequenos jeitos e compadrios , que acha normais porque foi "uma coisinha pequena".

Se há coisa que se percebe bem é que a malta que aldraba em mil euros só não aldraba em 100 mil porque não teve oportunidade .
É dar-lha ...

Comentar post



O nosso livro





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D