Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Follow the money

por Teresa Ribeiro, em 19.11.15

Que tal falar de coisas realmente sérias?


7 comentários

Imagem de perfil

De FNV a 19.11.2015 às 17:11

De acordo, é pena é a calinada ortográfica logo no título ( "porque" em vez de por que).
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.11.2015 às 20:34

https://www.youtube.com/watch?v=44vzMNG2fZc
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 20.11.2015 às 01:55

Há mais de um bilião de muçulmanos. Basta 1% darem não é preciso mais.
Sem imagem de perfil

De Buiça a 20.11.2015 às 03:48

O Petróleo nao salta do chão para os barris que depois rebolam sozinhos até aos portos ou oleodutos mais próximos onde podem ser exportados/vendidos.
Só as empresas ocidentais têm capacidade de o extrair. Os investimentos são enormes (além de empoladissimos), então depois parte do petroleo produzido serve para pagar esses custos às empresas exploradoras e o resto é do país para vender, normalmente através das mesmas empresas, sobretudo quando são do país que acabou de invadir. A preço de amigo/invasor.
Deixando de lado o tema dos lucros fabulosos dos 8 anos anteriores desde a invasão, em 2011 finalmente as vários tribos Iraquianas começaram-se a entender em redor de uma lei dos recursos energéticos que além de prever uma parte razoável (há standards internacionais) das receitas para o governo, finalmente unificava nesse mesmo governo (e parlamento) a posse de todas as vastas reservas do centro e norte (Curdos) do país.
Do regime do rouba-tudo-o-que-puderes ia passar-se para algo mais standard (tipo 60% ou mais das receitas ficarem no país), o que era inaceitável.

Mas e se de repente houvesse uma guerrilha terrível que separasse o governo do Iraque das suas vastas reservas mais a norte? A festa podia continuar.
E com jeitinho até davam uma ajuda àqueles incompetentes primaveris que contratámos para despachar o ditador Sírio e nunca mais lá chegam...

Ainda bem que ao fim destes anos todos já se pode perguntar na bloomberg se anda alguém a produzir petróleo nas segundas mais vastas reservas do planeta em zonas supostamente controladas por terroristas. Deve querer dizer que já há plano C. Mas até tenho medo de imaginar qual é...

Versão mais divertida:
http://turcopolier.typepad.com/sic_semper_tyrannis/2015/11/experiencing-the-nemesis-of-hubric-exceptionalismwho-are-we-now-origin.html
Imagem de perfil

De Teresa Ribeiro a 20.11.2015 às 14:06

Obrigada pelo saboroso link. Depois de tudo lido o que apetece é não querer saber, por uma questão de autopreservação.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 20.11.2015 às 14:12

Buíça é difícil ser mais ignorante, sobre petróleo, sobre tudo.

Por isso vais ao mais fácil:uma conspiração.
Curiosamente as conspirações são sempre anti-ocidentais.

Empresas petrolíferas não ocidentais: dezenas da China, a da Venezuela, da Rússia(URSS), Indonésia, Arábia Saudita etc...

E isto como se até fosse difícil extrair petróleo nas condições do Iraque. Até com tecnologia do sec.XIX.
De facto fazer um furo é algo tecnologicamente difícil...uhhhh!?
Tens uma data de empresas por cá que conseguiriam extrair petróleo.
No Iraque até já está tudo instalado, é só preciso manter.

Já me estou a lembrar da ignorância dos jornalistas a falar de armas "sofisticadas" neste último ataque...

A verdade é que o Estado Islâmco não precisa de muito. Aliás o
que suporta o Estado Islâmico não é o Estado Islâmico, são as mesquitas, madrassas e a esquerda marxista e décadas de história de jornalismo a favorecer o terrorismo anti-ocidental pelo mundo fora.
O Estado Islâmico é só o topo da Hydra no momento. Corta-se essa cabeça aparecerá outra.

É ideologia e cultura Islâmica com caminho livre facilitado pela culpa instigada pelo Marxismo.



Sem imagem de perfil

De lucklucky a 20.11.2015 às 23:11

http://www.dailystar.com.lb/News/World/2015/Nov-20/323960-militants-may-have-spent-as-little-as-7500-on-paris-attacks.ashx

7000 Euros
É evidente que o mais custoso não está listado: a doutrinação e treino da vontade e a logística de apoio mas fora da operação. Mas os números serão sempre paupérrimos. Algo que alguém de esquerda que está invariavelmente obcecado(a) com dinheiro não consegue entender.
Nem olhando para a sua própria história, das FP-25 aos mais apoiados por Rublos como a FPLP e Fatah por exemplo.



Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D