Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Falar claro sobre eutanásia

por Teresa Ribeiro, em 04.02.17

eutanasia.jpg

 

Tenho observado que quem argumenta contra a eutanásia tende a iludir três questões:

1. Ninguém obriga ninguém a fazê-lo. Tal como no caso da IVG, os profissionais de saúde que sejam contra têm o direito de se recusar a colaborar.

2. A decisão é do doente (e só considerada se reconhecidamente ele está de posse de todas as suas capacidades mentais)

3. Os casos em que a eutanásia é aplicável serão, naturalmente, objecto de rigorosa regulamentação, pelo que não se coloca a questão de tal servir para facilitar suicídios de pessoas que estão, por exemplo, simplesmente com uma depressão. 

Toda a argumentação que contorne estas três premissas não me parece intelectualmente honesta.


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Buiça a 04.02.2017 às 01:24

Parece-me que podendo uma pessoa matar-se a qualquer momento de mil e uma maneiras (sem julgamentos morais, nunca será tão egoísta quem se quer privar aos outros - estranha forma de colocar uma decisão minha sobre a minha vida - como outros obrigarem alguém a viver contra a sua vontade), a unica coisa para que a lei é chamada é o que fazer quando ela está a cargo de alguma instituição.
Se pede que a matem (caso esteja incapacitada de o fazer sozinha) ou que a deixem morrer convém que esteja de posse das suas capacidades. O termo já existe para testamentos por exemplo.
Mas sobram ainda inúmeros casos, dou apenas 3 exemplos:
- idoso com posses e sem herdeiros a cargo de lar pouco escrupuloso que o mantém "vivo" em estado vegetativo durante 10 anos para continuar a receber a renda ou o subsidio
- alguém em coma durante 5 anos sem esperança concreta de vir a acordar, de quem a família já desistiu mas que não deixou testamento vital
- e quando a tecnologia permitir manter alguém ligado à máquina durante 200 anos sem o conseguir ressuscitar? Vamos continuar a hipocrisia de alguém se esquecer de trocar as baterias à máquina? Criar um arquivo morto onde depositamos todos estes casos tentando prolongar a vida com o mínimo custo para a sociedade?

Ou seja, caímos no ponto 3, o da regulamentação, que é dispensado pela Teresa com alguma ligeireza, acreditando que "naturalmente" aparecerá uma regulação "rigorosa". Por algum motivo me lembrei logo do BES, onde quase 3 anos depois a tal da regulação ainda não conseguiu condenar ninguém de coisa alguma, nem um vendedor de lixo ao balcão, nenhum aprovador de créditos ou produtos ruinosos, etc. e agora à laia de "regulação forte" se deixam na mesma todas as regulações que nunca puniram ninguém e nos limitamos a aumentar a pena a que está sujeito quem absolutamente nada tem a temer deste tipo de "reguladores".
Imagem de perfil

De Teresa Ribeiro a 04.02.2017 às 11:31

E com base nessas dificuldades continuamos a empurrar com a barriga uma decisão - a de legalizar a eutanásia - continuando a condenar a um sofrimento desumano as pessoas que estão no centro desta discussão e que são o elo mais fraco.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D