Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Estátuas dos nossos reis (apêndice 2)

por Pedro Correia, em 18.04.19

b.jpg

 

O levantamento que fui fazendo ao longo de quase oito meses no DELITO DE OPINIÃO permitiu-me concluir isto: há seis capitais de distrito sem qualquer monumento evocativo de um monarca português. O que não deixa de ser estranho, dada a estreita ligação de várias destas cidades a reis durante mais de sete séculos da nossa História. 

Sem surpresa, Lisboa é a cidade que mais se destaca nestas evocações em forma de estátua ou busto. Com representações de quase todos os monarcas, excepto D. Miguel, D. Maria II e os dois reis consortes (Pedro III e Fernando II), que não consegui vislumbrar. As mais célebres são as de D. José, dominando em estátua equestre o majestoso Terreiro do Paço, D. Pedro IV, no alto da coluna que se agiganta no centro do Rossio, e D. João I, imortalizado também sobre uma montada real, na Praça da Figueira.

Segue-se Castelo Branco, onde estão representados todos os nossos reis até D. José - incluindo o cardeal D. Henrique e os três Filipes, em ponto pequeno. No jardim do paço episcopal, o ponto mais emblemático da cidade.

Coimbra - que foi durante o primeiro século capital do Reino de Portugal, até ao reinado de D. Afonso III - é também, de algum modo sem surpresa, outra cidade com grande representação escultórica de monarcas. São cinco: D. Dinis, D. Pedro I, D. João III, D. Pedro II e D. José. 

Segue-se o Porto, com quatro: D. Afonso Henriques, D. João VI, D. Pedro IV e D. Pedro V. Destaque para as estátuas equestres de D. João VI, no Castelo do Queijo, e do seu filho que viria a ser igualmente imperador do Brasil, na imponente Praça da Liberdade.

Com três estátuas, destaca-se Leiria (D. Afonso Henriques, D. Afonso III e D. Dinis). Com duas, contabilizei Santarém (D. Afonso Henriques e D. António, prior do Crato), Viseu (D. Afonso Henriques e D. Duarte) e Angra do Heroísmo (bustos de D. António e D. Pedro IV). 

Finalmente, há representações em estátua ou busto de monarcas nas seguintes capitais distritais ou regionais: Braga (D. Pedro V), Faro (D. Afonso III), Funchal (D. Manuel I), Guarda (D. Sancho I), Portalegre (D. João III), Ponta Delgada (D. Carlos) e Viana do Castelo (D. Afonso III).

Não detectei a existência de monumentos alusivos a qualquer dos nossos reis em Aveiro, Beja, Bragança, Évora, Setúbal e Vila Real. Lapso meu? Se assim for, peço desde já aos leitores que me corrijam. Confesso alguma estranheza por ver cidades importantes assim desligadas de personalidades que marcaram a História de Portugal.

Autoria e outros dados (tags, etc)


13 comentários

Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 18.04.2019 às 11:24

Confesso alguma estranheza por ver cidades importantes assim desligadas de personalidades

Aveiro é tradicionalmente uma cidade muito republicana, tendo sido o berço do grande tribuno José Estêvão. Não me admira nada que não haja nela estátuas de reis.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 18.04.2019 às 20:23

Não sei o que é uma "cidade muito republicana".
Sei, sim, que uma das figuras icónicas de Aveiro é a princesa Joana, irmã de D. João II, popularmente denominada "Santa Joana Princesa".
Não consta que fosse republicana.
Sem imagem de perfil

De V. a 19.04.2019 às 11:00

Na verdade até é uma das mais monárquicas com a resistência heróica dos Lencastres (duques de Aveiro) à casa dinástica mais manhosa que Portugal alguma vez teve: os Braganças. Que abandonaram o povo na sua ignorância e acabaram por estragar tudo, arrogantes, sifilíticos e basicamente estúpidos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.04.2019 às 13:15

Essas tais foram e são todas republicanas,laicas,etc.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 18.04.2019 às 20:26

Évora, por exemplo, foi uma cidade onde sistematicamente se instalava a corte portuguesa - em mais do que uma dinastia.
Um dos edifícios mais célebres da cidade é conhecido, inclusive, por Paço Real.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.04.2019 às 14:25

Nem sei que dizer, Pedro Castelo Branco em segundo lugar, no que quer que seja, é realmente inédito.
Gostei de saber, já que tenho uma costela beirã e vivo cá há uns anos (quase tantos como os que vivi em Lisboa).
O Pedro disse que o DO ia entrar na República, não foi?
Entremos, pois!

Maria

P.S. os navegadores portugueses também dariam uma bela série, penso eu de que...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 18.04.2019 às 20:27

Já pensei nos navegadores e também nos escritores, Maria. Mas estes últimos já são tantos que desisti.
A próxima série - mini-série - será a dos presidentes. Muito mais curta, claro, do que a dos reis.
Sem imagem de perfil

De JS a 18.04.2019 às 18:52

A análise estatística e sociológica que faltava. Mas há ainda pano para mangas. Parabéns.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 18.04.2019 às 20:27

Sim, ainda não esgotei o assunto.
Obrigado, JS.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.04.2019 às 19:49

E Guimarães, com 3 com esculturas do Rei Conquistador ?
A 1ª, a mais conhecida, junto ao Castelo, com uma réplica em Lisboa abusivamente oferecida pela cidade do Porto (pena não ser equestre); a 2ª à entrada do Estádio do Vitória também imponente e a 3ª do Cutileiro no centro histórico.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 18.04.2019 às 20:28

Sim, eu sei. Mas Guimarães não é capital de distrito. Hoje fiquei-me só por estas.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.04.2019 às 20:05

De facto, também não conheço em Setúbal nenhuma estátua ou busto de um rei português. No entanto a presidente da câmara esmerou-se em dar o nome Álvaro cunhal a uma via de entrada em Setúbal e com desenhos do dito, ou seja está tudo dito.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 18.04.2019 às 20:28

Monarca vermelho. Absolutista, nada liberal.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D