Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Enfim, um deputado liberal

por Pedro Correia, em 08.10.19

WhatsApp-Image-2019-10-07-at-13.01.39[1].jpg

 

Está de parabéns o Carlos Guimarães Pinto. Não foi eleito deputado mas viu a sua Iniciativa Liberal chegar à Assembleia da República logo à primeira tentativa, com um representante por Lisboa. Portugal era até agora o único país europeu sem uma força assumidamente liberal no seu parlamento. Esta lacuna acaba de ser preenchida. Apesar de a IL ter sido ignorada pela generalidade dos órgãos de comunicação social durante a campanha - designadamente pelas televisões, que voltaram a mostrar-se incapazes de seguir novos trilhos informativos, apostando sempre e só nos consagrados.

Tenho grande apreço pelo Carlos, que já escreveu como convidado especial no DELITO DE OPINIÃO e teve a amabilidade de ajudar a promover o nosso livro. Daqui lhe mando um forte e merecido abraço.


76 comentários

Sem imagem de perfil

De Miguel a 08.10.2019 às 08:49

A Europa está numa crise profunda. Por que será?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.10.2019 às 09:11

Quando é que a Europa não esteve numa "crise profunda"?

A América Latina não está numa crise profunda?
O Médio Oriente não está numa crise profunda?
O continente africano não está numa crise profunda?
A China e outros países do Extremo Oriente não estão numa crise profunda?

E o que é isso tem a ver com a eleição do primeiro deputado assumidamente liberal no parlamento português, dando enfim voz àqueles cidadãos desta área política que não estavam representados na Assembleia da República?
Sem imagem de perfil

De Miguel a 08.10.2019 às 10:25

Está bem, Pedro, não se enerve. No pasa nada. Ah, a saga heróica da humanidade: sempre em crise, sempre a superar-se. Até ver. Para uma leitura que estimula a imaginação aconselho um clássico quase esquecido vindo lá das brumas que envolvem a pátria do liberalismo: "Last and First Man", de Olaf Stapledon.

(O que é que o deputado liberal tem a ver com tudo isto? Nada. E essa é, diria eu, a principal disfuncionalidade do nosso sistema político. E produtivo)

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D