Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Embutidos

por José Meireles Graça, em 22.07.19

Aos sábados, começo o dia com Vasco Pulido Valente e Alberto Gonçalves. Para um surfador de opiniões, como eu, é o melhor dia da semana: VPV interpreta o país, trazendo para a luz o que na nossa história explica as peculiaridades da nossa condição actual de portugueses e as razões por detrás das nossas escolhas e dos acasos semanais da vida colectiva, fazendo isso com uma inimitável economia de palavras e imperturbável elegância; AG ocupa-se sobretudo de costumes, e dentro destes sobretudo os políticos, que cobre de sarcasmo. Nenhum dos dois faz vénia aos ares do tempo, que em boa parte desprezam.

A propósito de um anúncio de mau gosto num talho em Vila Nova de Gaia, AG descreve a banalidade do reclame e o anódino da situação, e abre os olhos de espanto perante a reacção de um desses grupúsculos, dos quais há miríades, filiado no PCP e que veio a público disparar raios e coriscos contra a liberdade do talhante, da mulher retratada, que ninguém sabe quem é nem se foi ou não recompensada pela exposição, e dos passantes que tenham sorrido com a associação da carne de vitela a uma rapariga em bikini.

Que o PCP queira cavalgar a onda do movimento feminista, compreende-se. É o combate tradicional dos explorados (as mulheres) contra os exploradores (os homens), de mais a mais num contexto de publicidade, que é uma marca d’água do capitalismo, que odeia, e da livre iniciativa de um pequeno empresário, que execra. Que o feminismo no PCP seja um fenómeno recente, e que o partido nunca tenha sido exemplar na maneira de as tratar (ainda hoje no comité central menos de um terço são mulheres) não importa: cambalhotas leninistas todas as que forem precisas, que quando chegar ao poder a sociedade não terá classes, e portanto todos serão iguais por definição. A maluqueira feminista, porém, não se preocupa por aí além com quem se deita na cama, e esta articulista, Helena Tender de seu nome, furiosa, acha que Alberto Gonçalves faz lembrar uma salsicha branca. Nas palavras dela:

“Ou se, pese embora o sexo, a raça for impeditiva de conexação com este exemplo, sugere-se a fotografia do próprio sr. Gonçalves promovendo ‘salsicha branca’ em saldo. A ausência de cabelo do modelo é reminiscente do referido embutido”.

Isto, a mim, não me caiu bem: que eu tenho a mesma tez de Gonçalves, a mesma falta de cabelo, e, se ele puder ser descrito como machista, estou com ele conexionado, sabe Deus se ainda em termos mais censuráveis. E como ele ainda disfarça apresentando-se de barba curta, mas eu perfeitamente escanhoado, estou aqui muito sentido com a tal Helena. Tanto que só não descrevo o tipo de embutido que ela me parece porque, lá está, o meu respeito pelo sexo antigamente belo não me autoriza a usar para com ela da mesma liberdade que usaria para com um idiota que escrevesse as tolices em que abundou.

Porque Helena não diz ao que vem, mas percebe-se que o que defende são proibições, isto é, que a opinião dela seja a opinião oficial e a liberdade de opinar se mantenha dentro dos limites do que acha tolerável. Agora que se diz para aí que a geringonça vai rever a Constituição, porque vai ter poderes para isso se as sondagens eleitorais estiverem certas, apresso-me a aproveitar a liberdade de opinião que ainda me resta, e que o artº 37º garante, para declarar que, na tua opinião, Helena, Alberto Gonçalves é um machista – é um direito teu; e que, na minha, és parva – é um direito meu.

Autoria e outros dados (tags, etc)


35 comentários

Imagem de perfil

De Cristina Torrão a 22.07.2019 às 18:53

O «sexo antigamente belo»?

Só o sexo feminino é/era belo?
Quer dizer: nós mulheres gostamos de um sexo feio?
Realmente, é uma chatice ser mulher...

(deixei passar, outro dia, as «pessoas que fazem chichi sentadas», mas hoje tive de reagir)
Sem imagem de perfil

De José Manuel a 22.07.2019 às 19:09

Para mim (sou homem heterossexual, nasci assim) o sexo belo é a mulher inequivocamente. E assumidamente. Até poderia disfarçar mas nunca poderia deixar de o sentir. Sexo belo para uma mulher penso que será outra coisa. Idem para um homem homossexual. Gosto muito de mulheres e tenho pensamentos sexuais quando cruzo com uma. É pecado? Quando eu era adolescente os padres ensinaram-me que era. Acreditei durante anos mas não acredito agora. Gosto de ver mulheres descascadas. Posso disfarçar mas não posso deixar de sentir.
Quanto ao chichi, não tenho a menor dúvida de que elas fazem sentadas (excepto a minha avó, há muitos anos que simplesmente parava). Há algum mal nisso?
Imagem de perfil

De Cristina Torrão a 22.07.2019 às 19:39

Peço desculpa, mas a maneira como falou no "sexo belo" parecia-me uma generalização.

Pecado? Valha-me Deus!
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 22.07.2019 às 19:25

Não seja assim. Graça tem graça. A bem do artesanato, obrigado Delito.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.07.2019 às 21:53

Cristina Torrão, desculpe a indelicadeza, mas tenho uma questão que me assalta. Você é um bot experimental? É que cada vez que a leio, espero ver uma noticia no sapo a dizer "Bot mantém diálogos em blog português e ninguém desconfiou".
Imagem de perfil

De Cristina Torrão a 23.07.2019 às 10:21

Indelicadeza desculpada - bot é tolerante - à sua pergunta não respondo - pelo menos, não sou anónima - alguém desconfiou - aconselho a revelar seu nome para se fazer justiça, ao sair notícia

(nota: ler, imaginando voz metálica e sem entoação)
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 23.07.2019 às 11:52

Típico "herói" anónimo, Cristina. Alça a pata e esconde o focinho.
Neste caso teve azar: alçou a pata contra o vento.
Imagem de perfil

De Cristina Torrão a 23.07.2019 às 18:39



De alçar a perna percebo eu. Há vinte anos que tenho cão, se bem que, nos últimos quinze, tem sido uma cadela (o cão morreu novo, coitadinho, ainda hoje não sabemos bem porquê). Mas a minha cadela também quase alça a perna (faz um gesto parecido) para marcar árvores e pedras como os machos. Deve ser uma cadela feminista. Eles, os machos, adoram-na e nunca protestaram.


Está velhota e doente, a minha Lucy, o coração fraco...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 24.07.2019 às 14:20

Sei bem o que isso é, Cristina. Tive uma cadela Golden Retriever que morreu no ano passado, com 18 anos.
Era um membro da família. E ainda hoje dói só de lembrá-la.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 23.07.2019 às 11:32

nós mulheres gostamos de um sexo feio?

Eu acho que sim, que o sexo de um homem não é nada bonito. Eu tenho um e acho-o deveras feio.

Mas prontos, gostos não se discutem.
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 23.07.2019 às 12:20

Eu gosto do meu. Olhando-o, lembro-me de Roma e da Coluna de Trajano.
Sem imagem de perfil

De Vento a 23.07.2019 às 13:28

Passe a publicidade, Luís, o meu é todo aproveitável, direi mesmo belo. Todo ele é desossado. É só chicha; melhor dizendo: é mesmo salchicha. É um enchido de primeiríssima qualidade, sem artrite.
Para quem não gosta de chicha, recomendo o pêssego de roer.

O meu é do tipo Adónis e está aqui só para a deusa Afrodite. Não faz parte da globalização, é produção para mercado específico. Direi mesmo que é para um nicho de mercado.
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 23.07.2019 às 15:19

Vento, se é de Adonis é pequenino, do tipo salsicha acepipe, ou de tira-gosto.

Sem imagem de perfil

De Vento a 23.07.2019 às 16:10

É, com capacidade de elevação, bastante trabalhador e com arrumação. Basta colocar na mala - uma Louis Vitton é suficiente - e levar pra casa.
Assim:
https://www.youtube.com/watch?v=5Ix-WIbuXAs

Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 22.07.2019 às 19:22

Sabendo que começa os sábados com Pulido Valente e Alberto Gonçalves, espero que os acabe na companhia de outros pratos, pois, segundo me dizem, o vinagre, em demasia, dá cabo dos ossos, dobrando-nos o horizonte. Quanto à elegância de Gonçalves, é ela bem conhecida, pelas redações por onde tem escorregado. Compreende-se, pela estética textual, que veja no que a lei exige, mas a tradição contesta, uma "luta de grupelhos de esquerda". E em cada mulher, que ouse desfazer o jantar, uma perigosa marxista.

Para entender o pensamento de Pulido Valente basta pegar num panfleto, do séc. XIX, do Padre Agostino de Macedo. Quanto à elegância de Gonçalves, que o meu caro, abrilhanta, deixo-a, reluzente aqui, num tema para mim caro, mas sintomático:

https://blitz.pt/principal/update/polemica-hip-hop-o-heavy-metal-e-de-um-primarismo-similar-defende-colunista-do-dn=f59322

Alberto Gonçalves é um tipo às direitas, dotado de um pensamento conservador, porque guardado em formol.


Hip Hop:

Keep On · Alfa Mist

https://youtu.be/XrY2m5rdlQQ

Heavy Metal:

Opeth - Benighted

https://youtu.be/cJ9rbJcPyTA


Ambos mais colunáveis, que colunistas, pelo arremeso de palavras pedregosas, que pensam, sentenciando, e escrevem, disparando. Mais que pensadores, pistoleiros de Sabata.
Sem imagem de perfil

De Anonimus a 22.07.2019 às 19:26

Penso de que, antes de falarmos em elogio ou insulto, tenhamos de especificar o tamanho e consistência da salsicha branca a publicitar.
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 22.07.2019 às 20:22

A elegância de Gonçalves:

"Sei que as comparações não são inéditas e que os activistas gay se indignam imenso com elas. De acordo com o cliché, não é sério equiparar a homossexualidade ao incesto. Pergunto: porquê?"

https://www.google.com/amp/s/www.dn.pt/opiniao/opiniao-dn/alberto-goncalves/interior/amp/os-casamenteiros-1407020.html
Sem imagem de perfil

De JPT a 23.07.2019 às 12:09

Sim, "porquê"? Apresentando-se como uma pessoa com alguma erudição, tem a obrigação de saber que qualquer dessas práticas sexuais já foi lícita e já foi ilícita, e que qualquer delas já foi o atributo de imperadores e um crime punido com a morte. Quem é que, há 50 anos, conseguiria sequer imaginar que o Primeiro-Ministro da Irlanda seria um homem casado com outro homem? Por isso, como diz a outra, "não negue à partida..." a hipótese de, daqui a 50 anos, ser uma mulher casada com o pai. Parafraseando outro anúncio, "o que é natural e fica bem", todos sabemos o que é - é o que permite a reprodução natural - sendo que, a partir daí, é tudo uma construção social, que hoje é esta, amanhã é outra.
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 23.07.2019 às 13:29

Falácia naturalista, já ouviu falar? Gonçalves comparava agora. Comparar, pode comparar com tudo, até com o canibalismo, prática corrente e natural. É direito dele. Mas parafraseando o autor, Gonçalves é parvo, e o Graça, uma desgraça, um erro de casting. Antes o Dr. Luís Naves, de um calibre, balistico, muito acima do actual polemista de naftalina. Imagino, contudo, que dê audiências. É um tipo de mulher peluda do Delito.
Sem imagem de perfil

De JPT a 23.07.2019 às 16:18

"Agora" é uma construção social. Dá para ir a pé da África do Sul à China atravessando apenas países onde a homossexualidade é punida com pena de prisão. E mesmo no Ocidente, só nos anos 60 é que a maior parte dos países descriminalizou os actos homossexuais (nos EUA, só em 2003 é que o Supremo Tribunal revogou as leis estaduais que ainda os puniam). Aliás, ironicamente, há mais leis a proibir a homossexualidade do que a proibir o incesto entre maiores de idade. Não é legal o casamento incestuoso? Não. E até 2001 não havia um único país no mundo onde fosse legal o casamento homossexual. Criticar o "porquê" do Gonçalves é, por isso, apenas um preconceito.
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 23.07.2019 às 17:46

Calculo que o Progresso, em si, seja também uma construção social. E a Cultura também. A civilidade. E sobretudo a Ciência. Aliás, exceptuando as mais básicas necessidades fisiológicas tudo é construção social. Mas existem exemplos que são usados não tanto para clarificar, mas para confundir, miscigenar, e no final dar suporte a teorias barrocas de perseguição e criminalização, ou/e sub-humanização ( não é natural >>>são aberrações>>>>monstros>>>>é mandatório acabar com eles). Acharia normal o chefe Gonçalves ter legionários na Arábia Saudita, mas enche-me de, vá lá, inquietação(?) havê-los, e tantos, por cá. O país é realmente o que somos.

PS: não sou um relativista moral, considerando que há códigos morais (outra construção social) mais humanos ( a humanidade é ela outra construção social) que outros, fazendo o Liberalismo a minha referência.

Sem imagem de perfil

De JPT a 23.07.2019 às 20:09

Dentro do tema, gosto mais do Botto. Vai ver que também arranja um filme comovente sobre o incesto (intencional, não conta o Oldboy). Se o Almodôvar conseguiu meter salas inteiras a chorar com pena de um enfermeiro que viola uma doente em coma, fazer isso com um incesto é limpinho.
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 23.07.2019 às 21:13

Já vi que gosta de termas, ou de marés baixas. Analisado, dessa forma, o Crime e Castigo, de Dostoiévski, é sobre um gajo, que mata, à machada, uma velha.
Sem imagem de perfil

De Vento a 22.07.2019 às 20:39

Estou em crer que o problema do feminismo não são os homens, mas mais o sexo belo.

Tenho-me apercebido que, digamos, o femininismo das fêmeas incomoda bastante o feminismo, que, como se sabe, assim passa a imagem, é só para gente culta. E talvez, em minha opinião, haja razão para isso. E há na medida em que a cultura não tem sido bela e as femininas mantêm todo o charme e elegância. Mantêm a cultura da tradição nas vestes presentes. Não fingem que são mulheres, afirmam-se naturalmente enquanto tal. Não invocam sua condição, naturalmente afirmam-na. Não precisam de quotas para se afirmarem neste mundo tenebroso e dantesco que alguns e algumas dizem ser dos homens. Homens que nascem de mulheres.

Portanto, continuo a crer, ao abrigo do 37º da Constituição (por mim já invocado aqui) que mantém-se aberta a via da felicidade. Eles e elas, feministas, que venham alterar a Constituição.
Sem imagem de perfil

De Vento a 22.07.2019 às 22:26

Obrigado, Vorph. Continuo a acreditar que você ser-me-á fiel até à morte. E para além dela.
Já agora, deixe-me oferecer-lhe uma do Cântico dos Cânticos, pois eu sei que o Levítico provoca-lhe mal estar:

"Eis o que diz a noiva: 1Em meu leito, durante a noite, busquei o amor de minha vida: procurei-o, e não o encontrei. 2Vou levantar-me e percorrer a cidade, procurando pelas ruas e praças, o amor de minha vida: procurei-o, e não o encontrei. 3Encontraram-me os guardas que faziam a ronda pela cidade. “Vistes porventura o amor de minha vida?” 4E logo que passei por eles, encontrei o amor de minha vida."

Não deixe que os guardas o impeçam.
Imagem de perfil

De Cristina Torrão a 23.07.2019 às 10:26

Mais uma do bot:

Gostaria de realçar a quantidade de mulheres que comentam os posts deste autor - os homens ficam a falar sozinhos - não me admira - bot, ou não, eu também não devo reincidir.

Sem imagem de perfil

De Marta a 23.07.2019 às 11:55

A tal Helena é tremendamente aborrecida. E cansativa.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.07.2019 às 15:58

As mulheres Marxistas oops! desculpem, Feministas agora já começam a pagar pois há sempre algo mais Marxista ao virar da esquina... - leia-se "vítima" a explorar -

https://spectator.us/yaniv-scandal-end-product-trans-activism/

Quando um homem que se identifica como mulher e quer obrigar as mulheres a... oops!

lucklucky
Sem imagem de perfil

De Marta a 24.07.2019 às 11:24

Isto é sinistro. Mas muito sinistro.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 23.07.2019 às 16:14

a livre iniciativa de um pequeno empresário, que [o PCP] execra

Isto não é bem assim (parece-me a mim). O PCP sempre diz defender as pequenas e médias empresas, e - sobretudo - as "microempresas" - seja lá o que isso fôr. O que o PCP é contra são as grandes empresas.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D