Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




E reincide

por Diogo Noivo, em 18.05.16

Nuno Saraiva diz-nos esta semana que o mundo está perigoso. Por via democrática, afirma, o mundo anda a eleger déspotas. Convenhamos que o fenómeno não é novo, mas, claro, quando achamos que o mundo nasceu connosco tudo nos parece uma novidade.

No entanto, é curioso assistir à inflexão de pensamento de Nuno Saraiva de uma semana para a outra. Na semana passada, o jornalista do Diário de Notícias jubilava com o regresso da ideologia à política. Em boa verdade, era apenas o elogio da ideologia – o regresso identifiquei-o eu. Mas esta semana insurge-se contra a ideologia. Os tiranetes que Nuno Saraiva critica, dos Estados Unidos da América à Ásia, têm em comum programas políticos fortemente ideológicos e, na maioria dos casos, abertamente nacionalistas. São, portanto, o expoente máximo da ideologia na política. E obtêm bons resultados eleitorais porque fazem política usando ideologia. Na semana passada, Nuno Saraiva escrevia que “aquilo que se exige a um governo, seja ele qual for, é que cumpra e respeite a ideologia à boleia da qual foi eleito”. Esta semana a ideologia é nefasta.

Como é evidente, mais do que discutir a existência ou não de ideologia, o que se deveria discutir é a adesão das várias ideologias aos valores e às instituições que fundam o Estado de Direito Democrático. Mas isso obrigaria o jornalista a reequacionar a sua opinião sobre os partidos que sustentam o actual Executivo. O que, como é óbvio, não interessa. Logo, o que na semana passada era bom, nesta já é mau. Se continuo a ler o Diário de Notícias acabo esquizofrénico.

Autoria e outros dados (tags, etc)


10 comentários

Sem imagem de perfil

De jo a 18.05.2016 às 14:00

Os partidos que sustentam o atual Executivo foram eleitos, e foi-lhes permitido concorrer.

Das duas uma ou cria uma "democracia" em que só concorrem os partidos que acha "respeitáveis" (e há muitas por aí), ou tem de os deixar governar.

De outro modo é como dizer a alguém que pode jogar futebol connosco, não pode é marcar golos.

Já a subversão das regras do jogo democrático tem de ser seguida muito atentamente.
Foi maior a subversão das regras democráticas feita pelo anterior Executivo do que a que está a ser feita pelo atual. Quantas leis inconstitucionais tentou o cada um passar?
Claro que há quem diga que a Constituição não é uma lei, é um entrave, chama-se a isso mudar as regras quando nos convém.
Sem imagem de perfil

De do norte e do país a 18.05.2016 às 16:45

"Já a subversão das regras do jogo democrático tem de ser seguida muito atentamente.
Foi maior a subversão das regras democráticas feita pelo anterior Executivo do que a que está a ser feita pelo atual"

Isso não faz sentido. As regras não foram subvertidas. Tanto não foram, que o TC rejeitou o que considerou que devia rejeitar. Portanto, tudo normal.

O PSD e CDS já estiveram por mais do que uma vez no governo com maioria absoluta e não aconteceu nada à democracia. A justiça está mais independente, e os media também, tanto, que o ps (e em parte o bloco) os controlam em geral.



Sem imagem de perfil

De jo a 18.05.2016 às 18:14

Qual o governo que tentou mais vezes aprovar leis inconstitucionais?

E alterar contratos em vigor com trabalhadores?
E criar impostos específicos para alguns trabalhadores?
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 18.05.2016 às 21:36

Podemos começar com o IRS?

Podemos começar com a discriminação que todos os dias o Estado faz?
Sem imagem de perfil

De do norte e do país a 18.05.2016 às 16:54

Nuno Saraiva foi tendencioso. Triste.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.05.2016 às 19:28

"Mas isso obrigaria o jornalista a reequacionar a sua opinião sobre os partidos que sustentam o actual Executivo."
Sobre todos os partidos.
Sobre o sistema que, de facto, não é democracia, mas oligarquia.
Dito doutra maneira, partidocracia.
Sem imagem de perfil

De amendes a 18.05.2016 às 23:22

O Diário de Noticias é o blogue do governo.
Sem imagem de perfil

De js a 19.05.2016 às 00:42

Em democracia todos os cidadãos podem concorrer em igualdade de circunstâncias a um cargo politico de eleição directa. E concorrem em seu nome próprio.

Qualquer semelhança com democracia e outras fantuchada ditas cujas é uma distorção criada e mantida por personagens a quem nunca se deveria atribuir poder.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.05.2016 às 10:57

Excelente análise, Diogo.
A bem da sanidade mental continue a ler e a descodificar estes disparates. Não só, apesar de tudo, resistirá à esquizofrenia, como abrirá os olhos dos que estão cegos por certa ideologia. Parabéns!
anaPaiva.
Sem imagem de perfil

De MRM a 19.05.2016 às 19:18

O que aconteceu a Medina Carreira e ao programa "Olhos nos Olhos"? Alguém sabe?

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D