Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




É na política que somos todos

por Tiago Mota Saraiva, em 14.11.15

Hoje choca-nos. Sentimo-nos próximo. Reconhecemos as ruas de Paris e aquelas expressões de pânico parecem-nos familiares. Procuramos contactar quem conhecemos em Paris. Apetece-nos prestar solidariedade. Uma solidariedade que de pouco vale às vítimas - os mortos, sobreviventes e todos os que lhes estão próximos. 
É no campo da política que podemos agir. É aí que somos todos.
Perceba-se, de uma vez por todas, que mais policiamento e controlo não é garante que não volte acontecer. Abordar o problema desta forma apenas nos garante que acontecerão novos massacres cada vez com mais perdas do lado dos que passeiam na rua.
Este também é o tempo de mandar calar todos os que levantam dúvidas sobre os motivos da crise dos refugiados. É disto que fogem.
Repito, o que podemos fazer é agir politicamente. Contribuir para a paz e não espalhar a guerra. Hoje é um bom dia para avaliar as consequências da guerra ao terror, da existência da NATO e do papel que tem tido na escalada desta guerra.


11 comentários

Sem imagem de perfil

De Reaça a 14.11.2015 às 09:12

A Europa vai pagar todas as asneiras e tiros nos pés.

Os românticos lourenços-das- arábias e mais uns ingénuos europeísmos internacionalistas pós II grande guerra, estão (estamos) a colher os frutos que semearam.

Aconselho o estudo aprofundado sobre o que pensava da Europa e do mundo, o meu ídolo de Santa Comba.

Embora seja difícil a leitura para muita gente, devido a muitos ideologismos que cegaram muita gente.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 14.11.2015 às 09:26

Contribuir para a paz? Como é que se faz a paz com o EI?

Mesmo que culpássemos a NATO pela "escalada", isso foi ontem. Hoje o problema que temos para resolver é este.

Num dia como hoje era bom que o seu contributo não fosse dizer que a culpa é nossa (da escalada), e que temos que fazer a paz, sem explicar como se faz essa paz. Ontem glorificou uma imagem de guerra que fez a paz em Berlim. Por isso quando falar de contribuir para a paz, deixe os unicórnios e seja prático.

PS:
Sim, é tempo de mandar calar os que levantam dúvidas sobre a vinda dos refugiados. Mas também é tempo de mandar calar os que acham que devem poder entrar sem um simples registo, que não devemos ser vigilantes, e que não lhes devemos exigir que respeitem a abertura da nossa sociedade (que a culpa não é dos cartoons), que não sejam misóginos, que na nossa sociedade não é admissível entrar num serviço público de cara tapada, etc.
Se o que procuram é a Europa é como europeus que têm que viver. Doutra forma, podem ir pedir asilo à Arábia Saudita.
Imagem de perfil

De Bic Laranja a 14.11.2015 às 09:46

Ena! O problema é a O.T.A.N.!...
Sem imagem de perfil

De V. a 14.11.2015 às 10:01

LOL. Que textinho.

É tempo de os deixar os entrar por aí à balda e sermos todos amigos. Todos amigos mas à maneira deles, porque nós não prestamos.
Sem imagem de perfil

De T a 14.11.2015 às 11:39

A NATO bombardeou a Síria ou Eritreia? Essa é boa.
Imagem de perfil

De cristof a 14.11.2015 às 19:28

Qual país de "terroristas" invadiu um país ocidental?
Sem imagem de perfil

De am a 14.11.2015 às 11:53

"A existência da Nato..."

E já agora : - Os bombardeamentos russos ( lembrai-vos do míssil n Ucrânia)...

Não fora a Nato já tínhamos sido engolidos pelos pacíficos jiadistas!
Sem imagem de perfil

De luckucky a 14.11.2015 às 11:58

"Hoje é um bom dia para avaliar as consequências da guerra ao terror...do papel que tem tido na escalada desta guerra"

Em 1942 morreram mais Russos ou menos que em 1941? E não houve escalada?
Em 1943 morreram mais Russos ou menos que em 1941? E não houve escalada?
Em 1944 morreram mais Russos ou menos que em 1941? E não houve escalada?
Em 1945 morreram mais Russos ou menos que em 1941? E não houve escalada?

Hoje ficámos a saber pela voz de um Comunista que afinal a Segunda Grande Guerra poderia ter sido resolvida "politicamente".

Afinal a Grande Guerra Patriótica foi um erro.

A táctica do discurso Orwelliano que neste caso desce a um nível infantil:

Nas guerras dos Comunistas basta o outro escolher a guerra.
Nas guerras da Civilização Ocidental o outro escolher a guerra nunca é razão suficiente para existir guerra.

A culpa, o pecado original mora sempre no Ocidente.

O que está no discurso é o objectivo de o Ocidente não ter vontade de combater para poder ser mais facilmente tomado.


PS: "é o tempo de mandar calar"
E numa singela frase vemos a natureza da coisa. É só ter o poder.
Sem imagem de perfil

De queima beatas a 14.11.2015 às 15:26

A culpa é dos assassinos não só das espingardas, das facas e das bombas. Mas também e ainda mais dos assassinos da seriedade, da transparência, da democracia, do carácter , do respeito e da honradez. Andam por ai uns assaltantes assassinos e canalhas a querer servir salada de frutas estragada, contaminar consciências e destruir a razão. A existência de tais energúmenos não justifica o terrorismo de sangue, mas estes são ainda mais selvagens, e só para poupar uma única vitima inocente do fanatismo eram todos bem atirados para a frente de pelotões de fuzilamento. O argumento de traição á Pátria já levou a linchamentos destes por bem menos.
Sem imagem de perfil

De João de Brito a 14.11.2015 às 18:09

Saúdo, com alegria, o texto postado.
A lucidez, o equilíbrio e a coragem que o sustentam não são muito comuns por estas bandas.
Por respeito às vítimas de sangue, nada mais digo por agora.
Falaremos depois.

Imagem de perfil

De cristof a 14.11.2015 às 19:38

Apoado. Parece-me que estamos a ir um pouco tarde, mas deposito esperança que alguem politicamente competente( Merkl?) possa por juizo na cabeça destes antiterroristas que da boca para fora condenam;mas que não têm uma palavra para os que na siria, iraque, afeganistão, libia sofrem todos os dias com o caos agravado pelas invasões que bandidos dos países ocidentais, executaram até com argumentos falsos e inventados, sem que tenham sido politicamente ou moralmente condenados . Que país islamico invadiu um pais europeu? não merece uma reflexão? uma duvida sobre o que devemos fazer para apoiar a paz? porque será que as armas pesadas do daesh são tão boas ,novas e francesas? será que França anda há varios anos em guerra e não fomos informados? e isto de Paris é apenas uma mudança de local dos combates?

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D