Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Delito de Opinião

DELITO há dez anos

Pedro Correia, 22.06.24

21523202_SMAuI.jpeg

 

Ana Cláudia Vicente: «A melhor das sortes aos atletas portugueses para o embate de mais logo.»

 

João André: «E pronto, Portugal joga hoje. Não vi o jogo EUA-Gana por isso não posso fazer análises tácticas. Klinsmann não é dado a grandes tácticas, mas é excelente na motivação e preparação física. Os EUA têm alguns belos jogadores (Michael Bradley ou Clint Dempsey) e são muito dinâmicos. Se Portugal jogar a pastar como no primeiro jogo, o resultado não será bonito. Teremos que esperar para ver. Sei que não verei o jogo: não tenho televisão em casa e neste momento ando sem internet. Verei o resultado pela manhã.»

 

Luís Naves: «Acumulam-se sinais de ruptura política iminente. O País não sairá do seu labirinto se não conseguir criar saldos orçamentais primários significativos, o que implica cortes adicionais da despesa não inferiores a 4 ou 5 mil milhões de euros nos próximos três anos. O Governo não tem força política para concluir as reformas. Na prática, pode esperar durante um ano e será cilindrado pela oposição, entretanto renovada com uma liderança que beneficiará do efeito do homem providencial; em alternativa, pode criar a ruptura e avançar para a clarificação política, com algumas hipóteses de vencer as legislativas, que seriam em Outubro.»

 

Sérgio de Almeida Correia: «Uma das riquezas maiores da blogosfera é permitir-nos saltitar de blogue em blogue, acompanhando diferentes assuntos e múltiplas polémicas, dando-nos o prazer de confrontar perspectivas diversas sem que os autores tenham necessariamente de entrar em diálogo. E aquilo que sobremaneira aprecio, independentemente do estilo e do tom que cada um coloca no que escreve, no que opina, no que comenta, é a autenticidade da escrita, a inteligência da exposição, o refinado sentido de humor, a capacidade de se rir de si próprio, e a atitude corajosa de quem se predispõe a tratar questões e temas susceptíveis de gerarem conflitualidade e de indisporem terceiros, sem com isso se importar.»

 

Teresa Ribeiro: «Hesitei entre o Ronaldo e o Ronaldo. Mas depois achei mais palpitante a notícia da jornalista que engravidou, de modo que foi aí que cliquei, mas devagarinho para não incomodar os bebés.»