Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Delito de Opinião

DELITO há dez anos

Pedro Correia, 26.09.21

21523202_SMAuI.jpeg

 

Ana Lima: «Elas não podem mostrar o rosto em público.  Elas não podem conduzir sozinhas. Elas não podem falar directamente com o seu professor. Elas não podem viajar sozinhas para o estrangeiro. Elas não podem ir ao médico por sua livre vontade.  Elas não podem entrar e sair pelas mesmas portas que os homens nos locais públicos. Elas não são contratadas pela maior parte das empresas. Elas não podem falar em direitos sem que sejam castigadas.»

 

João Carvalho: «Passei pela televisão e fiquei a saber que hoje se celebra (?) o Dia Mundial da Saúde Ambiental. O que será isto? Um apelo para irmos respirar em bom ambiente? Um desafio para nos afastarmos e deixarmos o ambiente respirar sozinho? Uma data para estudarmos o impacto da nossa saúde no ambiente ou do nosso ambiente na saúde do vizinho? Só hoje ou todos os dias?»

 

José António Abreu: «Ingenuidade excessiva é estupidez e eu tenho dificuldade em sentir empatia por esta pessoa. Especialmente quando sei que tratou do assunto com um entusiasmo raiando a insensibilidade. Acreditando genuinamente estar a fazer o melhor para a empresa. Talvez estivesse. Tal como quem a despediu.»

 

José Gomes André: «A independência da Madeira constituiria um golpe histórico na unidade nacional, que, para o bem e para o mal, conheceu justamente com a descoberta das Ilhas um momento capital para a sua existência e definição.»

 

Luís Menezes Leitão: «Custa-me assistir ao descalabro da União Europeia a benefício do seu maior Estado-Membro, a Alemanha. Há quem se resigne a isto, e diga que a nova Alemanha tem que mandar na Europa. Mas a Europa deve lembrar-se que não é à Alemanha que deve o seu nome. É à Grécia.»

 

Patrícia Reis: «Há quem tenha orgasmos intelectuais por ir à televisão. Não é o meu caso. Mas vou: para promover o livro, para aceder a um pedido simpático, sempre com a ideia de que as pessoas gostam de colocar um rosto num nome e, afinal, ao fim de tanto livro talvez tenha de deixar de ser menos recatada.»

 

Rui Rocha: «Por estes dias, chama-se Madeira e, não sendo na Bahia, fica ali no Oceano Atlântico. O protagonista principal da nossa novela é Alberto João Jardim. Para continuar com a torneira do orçamento aberta, ameaça-nos com a independência. Mas, não é sangue independentista que lhe mancha o fato de carnaval. É apenas ketchup. Comprado com os nossos impostos.»

 

Teresa Ribeiro: «O maior evento sobre sustentabilidade do país - não é propaganda, é mesmo verdade - começa já na quarta-feira, dia 28, no Centro de Congressos do Estoril. Questões do ambiente, justiça social e desenvolvimento económico sustentável são os tópicos para um grande programa, composto por conferências, workshops, actividades lúdicas e desportivas.»