Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Delito de Opinião

DELITO há dez anos

Pedro Correia, 21.11.20

21523202_SMAuI.jpeg

 

Ana Vidal: «Fui vê-lo ontem, "O filme do desassossego". No antigo cinema Carlos Manuel, em Sintra (onde vi o meu primeiro filme), que se chama agora Centro Cultural Olga Cadaval. É uma bela sala de espectáculos, mas já não de cinema. Ontem, excepcionalmente e de casa a abarrotar, abriu as portas para o filme de João Botelho. Perdão, para o filme de Fernando Pessoa. Perdão, para o filme de Bernardo Soares. Perdão, para o filme de Cláudio da Silva. Perdão, para o filme de todos os que se questionam e se torturam com mil perguntas sem resposta. Ou com respostas a mais. Foram duas horas de puro desassossego, de puro encantamento.»

 

João Campos: «A cimeira da Nato interessou-me pouco; chateou-me o concerto de Arcade Fire ter sido cancelado, mas já era previsível. Por um misto de preguiça e de falta de tempo, não sei muito bem o que se discutiu na cimeira, ou a que conclusões se chegou (se é que alguém chegou a alguma conclusão, ou se é que a ideia era chegar a alguma conclusão). Nem sei como correram as manifestações do costume - ouvi dizer que a Avenida da Liberdade continua mais ou menos intacta, o que, suponho, já será positivo. Mas estou muito feliz por a coisa ter acabado. Sexta-feira foi um dia terrível para se trabalhar no centro de Lisboa (aqui não houve essa coisa exótica da tolerância de ponto): sirenes a ecoar rua acima e rua abaixo a cada cinco minutos torram a paciência do mais paciente alentejano. Abençoado sossego que regressa amanhã.»