Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Convidado: FRANCISCO CARITA MATA

por Pedro Correia, em 12.03.18

 

Portalegre, Cidade da Poesia

 

“Portalegre, porto ou porta / Na encosta, ridente alegria…”, escrevi, há alguns anos, sobre a Cidade de Régio.

 

E, nem de propósito, “Momentos de Poesia”, evento já com foros de Cidadania, da responsabilidade de Drª Deolinda Milhano, subordina-se no próximo Dia 21 de Março a uma visita guiada e poética sobre as “Portas da Cidade”.

Sendo Portalegre um burgo de raiz medieval, ainda mantém parte da sua estrutura muralhada e algumas das portas que lhe davam acesso, estruturadas sob a forma de arcos de volta inteira, com maiores ou menores alterações epocais.

 

thumbnail_2017%20Portalegre[1].jpg

 Cidade de Portalegre, vista do "Passadiço"

 

Para sabermos se Portalegre é uma Cidade de Poesia, nada como palmilhar as ruas do povoado.

Mas eu atrevia-me a sugerir algo mais inusual… Um passeio, a pé, subindo pela “Estrada da Serra”, até ao miradouro (estrutura que me atrevi a baptizar de “Passadiço”.) Pouco a pouco, contemplando a urbe, o seu enquadramento paisagístico, o seu casco construtivo, não tenho dúvidas de que ali proporciona uma visão muito mais poetizada da sua mole urbana, num soberbo cenário, englobando serra e campina alentejana… Perdendo-se nas lonjuras, quase se confundindo céu e terra. Sempre sem se perder o recorte da Cidade e de alguns dos seus monumentos mais icónicos.

Retornando à Poesia. É sintomático que, na Cidade, logo duas escolas tenham escolhido, como patronos, dois Poetas: Cristóvão Falcão e José Régio. É indubitavelmente uma prova da estima de Portalegre pelos seus Poetas, não querendo esta afirmação dizer que eles são, em contexto natural, devidamente apreciados e lembrados pela sua Poesia. Que não são!

 

Mas em Portalegre há grupos de resistentes que não esquecem a Poesia. Há “Momentos de Poesia”, evento pioneiro, a que tive o grato prazer de assistir e constatado o trabalho altamente meritório já desenvolvido.

Existe na Cidade um outro grupo, designado “Amigos da Poesia”!

Haverá assim tantas cidades no País, na dimensão e com as características de Portalegre, em que a Poesia seja celebrada regularmente em eventos poéticos?

Não sei, não.

Voltando ao périplo pelas “Portas da Cidade”, irão ser calcorreadas as vetustas ruas, iniciando-se a ronda pela Porta da Devesa, Portas do Crato, ainda existentes; pelas de Elvas e Évora, de que só já resta a memória. Pela de Alegrete, terminando na Porta do Postigo, hoje desestruturada do seu local primitivo e encastrada na antiga muralha, alguns metros mais a sul.

 

Irei voltar a “Momentos de Poesia”, após a concretização do evento.

E, nem a propósito: porque não institucionalizar “Portalegre como Cidade de Poesia”?

 

thumbnail_2017%20Portalegre%20DAPL[1].jpg

 Carvalho negral em Portalegre

 

Já agora… calcorreando a Cidade. Metem dó, tantos prédios, pelo casco antigo, ameaçando ruína. (Algo tristemente comum a muitas aldeias, vilas e cidades deste nosso Portugal.)

Paralelamente construiu-se, na Rua 1º de Maio, um “business center”, só o nome(!), entaipando-nos, da Cidade, a vista espantosa da Serra da Penha; e a partir do IP2, a visão das muralhas. (E tão perto, quase se esboroando, o prédio da antiga loja do Sr. Hermínio, prestes a implodir!)

E que tanques, aqueles da Corredoura?! Saudosa, a lembrança do antigo lago e do cisne.

Para quando replantar de árvores autóctones, carvalhais, aquele espaço? E umas manchas de amendoeiras, como embelezariam aquelas encostas desprovidas de coberto arbóreo!

 

Francisco Carita Mata

(blogue AQUÉM TEJO)

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 12.03.2018 às 10:42

Em rigor, a "Cidade de Régio" é Vila do Conde. José Régio, embora tendo vivido na sua vida profissional em Portalegre, era de Vila do Conde, onde aliás também deixou poesia (veja-se a igreja da Senhora do Socorro nessa cidade).
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.03.2018 às 19:37

Cidade do seu nascimento, mas não a sua cidade. Em Portalegre viveu Régio por mais de metade da sua vida. E foi a Portalegre que Régio dedicou a célebre "Toada".
Imagem de perfil

De Francisco Carita Mata a 12.03.2018 às 23:05

Ambas as Cidades se podem orgulhar de serem "Cidades de Régio", sem margem para dúvidas. O Senhor José Maria dos Reis Pereira era, evidentemente, natural de Vila do Conde, cidade onde viveu também os últimos anos de vida. O Escritor José Régio, nas suas múltiplas facetas, onde terá "nascido"?! O Cidadão, o Professor, a que Cidade estarão mais ligados? Talvez mais cidades se orgulhem da "Presença" de Régio, nas suas diversificadas facetas! Estas duas, indubitavelmente.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 12.03.2018 às 17:56

Obrigado pela visita aqui ao DELITO, Francisco. Um abraço para Portalegre.
Imagem de perfil

De Francisco Carita Mata a 12.03.2018 às 23:10

Obrigado, digo eu, Pedro.
Até uma próxima oportunidade.
Dar-lhe-ei o abraço, a Portalegre, quando lá chegar!
A Cidade também lhe manda cumprimentos, além das minhas saudações amistosas.
Francisco.

Comentar post



O nosso livro





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D