Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Coisas difíceis de perceber

por Sérgio de Almeida Correia, em 17.04.18

Não, a questão não é apenas a de saber se é legal ou não. É de outra ordem, mas não vou perder mais tempo a repeti-lo. 

E não pode ser colocada nos termos em que ele o faz. Desta forma, está-se apenas a tentar escamotear, sem sucesso, a questão principal. Além de que é perfeitamente irrelevante para o que está em causa que nas duas últimas deslocações o custo tenha sido inferior ao que está fixado por viagem ou que tenha viajado em classe económica.

O problema, como qualquer cidadão de boa fé e minimamente inteligente perceberá, é outro. É o de saber se os subsídios são cumuláveis e se mesmo não se esgotando o valor atribuído para as viagens o deputado tem o direito a encher o bolso com a diferença não utilizada. Isto é, para que todos percebam, com o diferencial do dinheiro que todos os contribuintes deram para uma função muito específica. 

Mesmo que fosse legal, e eu considero que não é, seria sempre ética e moralmente discutível aos olhos de todos que embolsassem a diferença. Isto deveria ser o bastante para nem sequer se atreverem a pedir o parecer. 

Lamento que um indivíduo na posição dele e com as suas responsabilidades não tenha querido compreendê-lo, dando logo o exemplo, e em vez disso tente dar a volta ao prego. Como se as pessoas fossem estúpidas.

Feio, muito feio. Mesmo para quem vê de longe.  

Autoria e outros dados (tags, etc)


10 comentários

Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 17.04.2018 às 11:29

Pior só mesmo uma cozinha vietnamita :

É um caso raro na política portuguesa: toda a famíllia mais directa do líder parlamentar socialista, Carlos César, está em cargos de nomeação ou eleição política

https://www.google.pt/amp/s/www.sabado.pt/portugal/amp/o-pai-cesar-a-mulher-o-filho-a-nora-e-o-irmao

Conheça as relações familiares dos membros do Governo

https://www.google.pt/amp/s/www.cmjornal.pt/politica/amp/conheca-as-relacoes-familiares-dos-membros-do-governo
Sem imagem de perfil

De rão arques a 17.04.2018 às 11:40

Adjudique-se por contratação direta um carroça para andar com o carroceiro. Ficando mais barato até dá para qualquer rato de sumidouro arrecadar mais uns trocos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.04.2018 às 11:51

De facto hoje um político tem de ser como um sacerdote: não pode pecar. Mais que um sacerdote: não pode cometer pecadilhos. Não pode ser um homem comum, tem de estar muito acima.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.04.2018 às 12:09

"Pecadilho"? Não me parece. Parece-me mais um problema de cultura política, não deixando de ser grave.
Depois do deputado Batman, do desdobramento de viagens, das trocas de bilhetes, dos subsídios tendo casa própria na capital, dos que mudaram a residência para outros locais continuando a viver em Lisboa, e de outros casos deste tipo, ou similares, pensei que não voltassem a verificar-se situações do género. E que houvesse bom senso.
Os tempos são outros.
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 17.04.2018 às 12:09

Não só de hoje. Vem de César, pelo menos
Sem imagem de perfil

De FatimaMP a 17.04.2018 às 15:22

Alguém que avise César, que essa história antiga do "sê-lo e parecê-lo" ainda está em vigor e não se aplica só à sua mulher, não, não, também se aplica a ele. Essa, de forma alguma, é uma questão de género. Não é não. É pro menino e pra menina!!
Porém, sabemos, a César tudo é devido ...
O povo aguarda a habilidade dos contorcionistas ...
Sem imagem de perfil

De Beatriz Santos a 17.04.2018 às 14:47

Sim. É o que se é pedido. Que se coloque acima da chafurdice. Não se exige a santidade, mas, que quem representa o povo viva a enganá-lo de tal forma (e roubá-lo, somos quem lhes paga as viagens) é muito feio. Os pecadilhos são outra coisa e de diferente índole. Isto são golpes de lesa majestade e que gente honesta não comete. É apeá-lo.
Sem imagem de perfil

De Carlos a 17.04.2018 às 13:54

A César o que é de César, e o resto para os outros. À mulher do César e a todos os seus familiares (que se apresentarem à mesa do orçamento), dêem-lhes o que mais puderem, mas com cuidado: a mulher do César deve parecer séria, para que se cumpram as escrituras: à mulher se César não basta ser séria.
Sem imagem de perfil

De Vento a 17.04.2018 às 23:28

Eu concordo consigo no essencial. Mas a ética e a moral não ganham à lei. Portanto, é a lei que tem de ser moralizada.
Aliás, os grandes conflitos sociais foram travados com estes blocos antagónicos: ética-moral versus lei.
Quero com isto dizer que existe sempre uma reserva de ética e de moral, que é transversal a todos os tempos, que combaterá a legalidade.
Sem imagem de perfil

De jo a 18.04.2018 às 11:19

O subsídio é para pagar a parte que o deputado paga. Não faz sentido o Estado subsidiar a parte que o Estado paga. Logo o subsídio não tem de ser devolvido.


Comentar post



O nosso livro





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D