Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Chinesices.

por Luís Menezes Leitão, em 26.02.15

Se há coisa que caracteriza os actuais políticos portugueses é a sua total subserviência em relação ao estrangeiro, situação que não tem paralelo na História de Portugal, se exceptuarmos o período do Ultimato, que desencadeou precisamente a queda do regime monárquico. Da mesma forma que Passos Coelho manda a sua Ministra das Finanças participar numa operação de propaganda do Ministro Schaeuble para consumo interno alemão, António Costa acha que deve agradecer, atento, venerador e obrigado, a compra das empresas portuguesas a pataco por parte dos chineses. Os que acham que isto é sentido de Estado, não devem fazer a mínima ideia do que é o sentido de Estado. Ainda outro dia na série Borgen, uma personagem dizia que o resultado da austeridade no sul da Europa estava a ser a entrada em força dos capitais chineses, de tal forma que a curto prazo na Europa do Sul só se falaria mandarim. E de facto, enquanto abolimos os feriados da independência nacional e do regime republicano, já começamos a celebrar a passagem do ano do cavalo para o ano da cabra. Resta-nos assim imitar António Costa e agradecer aos investidores chineses (謝謝 xie xie, ou seja obrigado).


15 comentários

Sem imagem de perfil

De campus a 26.02.2015 às 12:45

Isenção do Benfica, afinal, seria de 4,6 milhões de euros! Costa, dizias que ias perdoar ao Benfica 1.8 milhões do dinheiro dos contribuintes, o que é que ias fazer aos outros 2.8 milhões ????
Sem imagem de perfil

De Vento a 26.02.2015 às 12:52

Nunca vi um país com tantos estadistas e com tanto sentido de estado. Ele é sentido de estado no governo, ele é na oposição, ele é nos media.
Só não vejo o estado, isto é, os estadistas, sentidos com o que fazem a um estado e a uma nação.
Depois da bolha não vi um único investimento feito por chineses, angolanos, franceses, alemães e etc. e tal. Vejo compras em saldo e subsidiação fiscal a ampliações.
Sem imagem de perfil

De Vento a 26.02.2015 às 13:03

Deixe-me acrescentar esta:
http://www.publico.pt/politica/noticia/fundador-sai-do-ps-acusando-costa-de-vassalagem-a-china-1687389
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 26.02.2015 às 13:13

Eu concordo com António Costa. Eu estou agradecido aos chineses por eles terem comprado as empresas portuguesas "a pataco". Essas empresas certamente estão agora muito melhores, muito mais sólidas do que estavam antes - ainda bem. Se os chineses não as tivessem comprado, elas teriam sido compradas por gente bem mais pobre do que eles e estariam hoje bem menos sólidas. Ou então, continuaríamos no vergonhoso regime do "capitalismo sem capital" cavaquista. Eu gostaria que muitos mais chineses comprassem muitas mais empresas portuguesas.
Sem imagem de perfil

De Limpinho a 26.02.2015 às 14:29

Sentido de Estado têm os que acham que o Syriza os representa.
Sem imagem de perfil

De campus a 26.02.2015 às 15:14

Anda tudo muito admirado porque o António Costa falou verdade, não entendo ???
Sem imagem de perfil

De ze luis a 26.02.2015 às 15:51

Mas a COLONIZAÇÃO dos capitais chineses é de deitar os parentes na lama aos europeus meridionais? Então, e os credenciados States?
Estamos a desviar as atenções, realmente.
O Costa só diz Bosta, essa é que é essa, e largar tanta da dita na ventoinha é o que dá. Até os da casa choram baba e ranho.
Então os chineses é que melhoraram esta cloaca? Pensei que eram os gregos, os panamianos, os bolivarianos...
Treta de conversa!
Imagem de perfil

De Sérgio de Almeida Correia a 26.02.2015 às 16:07

Concordo com quase tudo, Luís.
Só faltou dizer que há cerca de um mês a Finlândia, o tal país da falida Nokia, aproveitou a visita do Presidente chinês para lhe pedir dinheiro para fazer face à crise que assola a Europa, abrindo as portas aos investimentos asiáticos. Vale a pena ler as declarações do sujeitinho da Finlândia que de forma tão subserviente o recebeu. O problema não é da Europa do Sul.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 26.02.2015 às 16:57

O problema não é da Europa do Sul.

Nem da Europa do Norte. É um problema de meio mundo. Em praticamente todo o mundo se pede dinheiro à China. Só mesmo países muito ricos e com enorme sentido de dignidade deixam de o pedir.
Ainda recentemente estive na Suíça. Lá não há lojas de chineses. Os suíços nem sabem o que isso seja. Nunca viram. Mas a Suíça é uma das poucas honrosas exceções, um país que não precisa do dinheiro chinês para nada.
Imagem de perfil

De Sérgio de Almeida Correia a 27.02.2015 às 04:04

A Suíça não serve de exemplo.
Foi sempre porto de abrigo de corruptos e vigaristas e especializou-se na lavagem de dinheiro, como Jean Ziegler bem demonstrou. Não precisam do dinheiro chinês porque recebem o das ditaduras árabes, africanas e da América Latina. Da mesma forma como antes guardaram o ouro roubado pelos nazis. Não são os suíços quem compra hotéis de luxo em Lausana , Zurique ou Genebra.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 27.02.2015 às 09:21

Exatamente, foi isso mesmo que eu disse. A Suíça não precisa de dinheiro chinês, mas ela é uma das poucas honrosas exceções; quase todos os restantes países do mundo precisam de dinheiro chinês. Portanto, nada tem de vergonhoso Portugal também precisar.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 26.02.2015 às 16:58

Ainda outro dia na série Borgen, uma personagem dizia que o resultado da austeridade no sul da Europa estava a ser a entrada em força dos capitais chineses, de tal forma que a curto prazo na Europa do Sul só se falaria mandarim.

Como o Luís se recordará, isso foi dito por uma profeta da desgraça paquistanesa. Não convem ligar demasiado ao que é dito por profetas da desgraça paquistanesas.
Sem imagem de perfil

De Jorg a 26.02.2015 às 17:18

Copiado/adaptado do Blog "Nada os dispõe à acção", post de P.Picoito

Je suis Freddy

Anda um gajo a tentar fazer oposição aos neoliberais-fassistas que nos governam e vem o António Costa dizer que o país recuperou "nos últimos quatro anos"? Mas ele está por quem, afinal? Percebe-se que ande sempre caladinho... Por mim, solidarizo-me com o Sobrinho do Tio: também vou rasgar o meu cartão de socialista. Se tiver um. Se não tiver, vou comprá-lo aos chineses. Os amigos são para as ocasiões. "

Jorg

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D