Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




CDS e PSD foram ao tapete

por Pedro Correia, em 08.10.19

Uma boa análise da jornalista Helena Pereira, na edição do Público de hoje, elucida-nos sobre diversos aspectos da eleição legislativa de domingo.

Eis, com a devida vénia, alguns dos aspectos mais relevantes.

 

O PSD tem menos de 20% em 72 concelhos do País.

A lista inclui várias zonas urbanas, designadamente no litoral, com muitos eleitores. Exemplos: Almada, Amadora, Barreiro, Loures, Marinha Grande, Seixal, Setúbal, Sintra, Vila Franca de Xira.

 

Onde o PSD mais perde.

Eis os quatro distritos onde o partido laranja recua em maior extensão: Aveiro, Leiria, Lisboa e Viseu.

 

Quanto é que o PSD perde.

Em relação às legislativas de 2011, anterior escrutínio para a Assembleia da República em que tinha concorrido isolado, o PSD perde agora mais de 700 mil votos (concretamente, 739.189, mas ainda faltam apurar os resultados dos círculos da emigração).

 

CDS abaixo dos 3% em 73 concelhos.

A hecatombe eleitoral não ocorreu apenas nas zonas onde este partido nunca teve verdadeira implantação, nomeadamente no Alentejo. Também aconteceu em grandes municípios, como Amadora, Gondomar, Loures, Maia, Matosinhos e Odivelas. Mesmo em Coimbra, Leiria e Porto fica abaixo dos 4%. O CDS vale hoje apenas cerca de um terço do que valia eleitoralmente em 2011.


25 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2019 às 15:29

Só vai piorar, agora com a nova disciplina de Nova História Marxista no sistema de ensino.

lucklucky
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 08.10.2019 às 16:27

Comparar as votações do PSD e do CDS agora e em 2011 não me parece muito honesto. Em 2011, depois do desastre Sócrates e da falência do país, o eleitorado estava ansioso por mudar. Em 2019, depois da governação bem sucedida do PS, o eleitorado não deseja mudar. O enquadramento é muito diferente, e isso é que explica as quedas do PSD e do CDS.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.10.2019 às 18:00

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2019 às 17:20

Conclusão; o país virou à esquerda e isto vai alegrar muita gente. É sinónimo de progresso, bons empregos, bons salários, muitas férias. Gente feliz..Um fartote de coisas boas.
O outro dizia, com muito orgulho, eu também quero ser!
Cumps.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2019 às 17:37

Espero que seja um tapete de Arraiolos.
Sem imagem de perfil

De V. a 08.10.2019 às 17:56

Almada, Amadora, Barreiro, Loures, Marinha Grande, Seixal, Setúbal, Sintra, Vila Franca de Xira.

Tudo zonas PCP e o black power de Amadora/Sintra — não me admira que tenham menos de 20%
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2019 às 18:04

boa analise!!!?? só se pode comparar com a hecatombe das autárquica...Rui Rio tirou a maioria absoluta ao Partido Socialista...se o Passos Coelho ou o Montenegro tivesse concorrido às eleições o PSD teria o mesmo destino que o CDS...eu é que fiz uma boa analise aos resultados das ultimas eleições...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.10.2019 às 22:11

Quem acaba de tirar Rio da liderança do PSD é Cavaco Silva:
https://observador.pt/opiniao/o-psd-e-as-eleicoes-de-6-x-2019/

Mais claro que isto não se pode ser.
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 08.10.2019 às 23:32

Mas é agora, nessa idade provecta, que Cavaco decide ser político?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2019 às 18:04

1 – Não li o artigo do público;
2 – O título do post é completamente enganador pois mistura votação no CDS com votação no PSD, sendo que no texto mistura ainda eleições de 2011 com eleições de 2019;
3 – Esta análise trapalhona, pretendendo confundir e equivaler os resultados do CDS aos do PSD, deveria concluir então, pegando nos seus próprios números, que para existir uma derrota equivalente, o PSD deveria ter ficado reduzido a um terço da votação obtida em 2011 (cerca de 13%), nada disso se passou;
4 – Refere ainda que relativamente a 2011, o PSD terá perdido mais de 700.000 votos, o que sendo verdade, esconde que esse mesmo valor já tinha sido perdido pela coligação PAF em 2015;
5 – De uma forma mais assertiva podemos extrapolar então os resultados do PSD para 2015, com o peso relativo que tinham PSD e CDS em 2011 (PSD – 38.65%; CDS – 11.70%), obtém-se para PSD em 2015 o valor de 29.57% e para o CDS o marca de 8.95%, a que correspondem votações de, respetivamente: 1.600.000 votos e 480.000 votos, sendo que a este valor de votos há que ponderar os valores globais de votantes. Em 2015 votaram 5400000 eleitores, em 2019 votaram, até agora, 5100000. Assim, e numa análise ponderada, o número de eleitores a votar no PSD em 2015, ponderando com a relação entre o número de eleitores total em 2015 e 2019, foi de 1.510.000 votos.
6 – A perda que apresenta, de 700.000 votantes passa afinal para uma perda de menos de 90.000 votos, ordem de grandeza das perdas do bloco que todos vitoriam.
7 – Não se pode esquecer ainda as duas eleições havidas entretanto, autárquicas e europeias, de resultados desastrosos, mas o valor agora obtido, semelhante ao de 2015, com recuperação nos maiores centros urbanos, configura afinal, uma franca recuperação do PSD, em grande medida atribuível à magnifica prestação do seu líder, com a apresentação de um programa estruturado e exequível, ao invés de promessas vãs e rapidamente esquecidas;
6 – Acresce perguntar ainda: quando foi que um partido perdeu eleições em períodos de crescimento económico??? Acho por isso, e pela envolvente interna e mediática de guerrilha sistemática ao PSD, que foi o RRio que, em 3 semanas, retirou a maioria absoluta ao PS;
7 – Refiro, por último, mas de muito maior interesse e objetividade, o estudo efetuado pelo Pedro Magalhães, relativo à distribuição do voto por faixas etárias, verificando-se que, até aos 65 anos, o PS e PSD andam sempre muito próximos, ganhando até o PSD na faixa etária mais jovem. Na faixa acima dos 65 anos (reformados), é que a porca torce o rabo, não só pelo elevado número de eleitores, mas também pela diferença de votações identificada. O PS leva quase 25 pontos percentuais ao PSD. Ou seja, as marcas da governação da troika, a insensibilidade demonstrada, a insegurança de quem não sabia exatamente qual o valor da pensão dos meses futuros, ainda perdura. RRio não é responsável por este evidente trauma, havendo, para os eleitores desta faixa etária, ainda muito a explicar. Ou então, deixar que os idosos morram…

António Vaz Tomé
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2019 às 21:32

muito boa análise!!! já não se pode confiar nos jornalistas...principalmente nos do irmão do Costa...é uma vergonha !!! Rui Rio tirou a maioria absoluta ao Costa e isso, a SIC do mano Costa não vai perdoar...Se o PS não obteve a maioria absoluta por Rui Rio ter levado o PSD para o centro, apesar das condições ultra-hiper- favoráveis para Costa, que não se vão voltar a repetir...agora que os ventos começam a mudar, há que retirar a todo o custo o Rui Rio do PSD, para que o PS possa crescer ao centro e nada melhor do que a SIC do Mano Costa, apoiar o regresso dos passistas ao PSD...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.10.2019 às 22:11

Quem acaba de tirar Rio da liderança do PSD é Cavaco Silva:
https://observador.pt/opiniao/o-psd-e-as-eleicoes-de-6-x-2019/

Mais claro que isto não se pode ser
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2019 às 22:56

Cavaco Silva não gosta da proximidade de Marcelo Rebelo de Sousa a Rui Rio...Cavaco Silva defende o afastamento do PSD a Marcelo Rebelo de Sousa...não admira que apoie o regresso dos passistas ao PSD !!!...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.10.2019 às 23:01

Disparate: só podia vir dum anónimo.
Não há "proximidade" nenhuma entre Marcelo e Rio.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.10.2019 às 18:05

Epidemia grisalha!
Costa é jogador de xadrez!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2019 às 18:31

boa analise!!!?? só se pode comparar com a hecatombe das autárquica...Rui Rio tirou a maioria absoluta ao Partido Socialista...se o Passos Coelho ou o Montenegro tivesse concorrido às eleições o PSD teria o mesmo destino que o CDS...eu é que fiz uma boa analise aos resultados das ultimas eleições...de 2011 o PSD/CDS tinha aprox. 2.800.000 votos ( PSD com 2.150. 000 e o CDS com 650. 000 votos ) em 2015, PSD/CDS tiveram 2.000.000 votos e em 2019 PSD/CDS juntos tiveram 1.600.000 votos ( PSD teve 1.400.000 votos e o CDS 200.000 votos )...resumindo e concluindo, de 2011 para 2015, o PSD perdeu 600 mil votos, ou seja, a votação do PSD em 2015 foi aproximadamente de 1. 550.000 votos...em 2019 teve 1.400.000 votos, face às condições que o PS teve para Governar no período de 2015/2019 ter perdido apenas 150 mil votos...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.10.2019 às 22:09

Quem acaba de tirar Rio da liderança do PSD é Cavaco Silva:
https://observador.pt/opiniao/o-psd-e-as-eleicoes-de-6-x-2019/

Mais claro que isto não se pode ser.
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 08.10.2019 às 23:36

Cavaco que volte ao mosteiro, e se aqueça numa poltrona, sob uma mantinha, vendo como uma dedicada Maria monta o santo José .

https://www.google.com/amp/s/www.dn.pt/portugal/amp/cavaco-no-recato-do-convento-de-onde-so-saiu-sete-vezes-5507263.html
Imagem de perfil

De Vorph Valknut a 08.10.2019 às 23:37

Cavaco vive?! Eu bem dizia?!! Não tarda vem o Elvis
Perfil Facebook

De Aurélio Buarcos a 08.10.2019 às 21:26

Há muitas análises que não são feitas.
Gostaria de ver respondidas as seguintes perguntas?
- Em quantos distritos o Bloco de Esquerda foi o mais votado?
- Em quantos concelhos o Bloco de Esquerda foi o mais votado?
As mesmas perguntas para o PAN
A resposta a todas as perguntas é Zero. Nenhum.
Os vencedores por concelhos/distritos foram três; PS, PPD/PSD e CDU
Só.
Nem bés, nem Pans.
É a vida, nem sempre a realidade é aquilo que parece.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.10.2019 às 22:07

A grande maioria dos concelhos votou PS.
O PSD vem num distante segundo. Sem conseguir maioria em nenhum concelho a sul do distrito de Leiria.
A CDU já só é maioritária em dois dos 308 concelhos portugueses: Avis e Mora.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2019 às 22:15

Não interessa quem é mais votado o que interessa é quem controla o tabuleiro do jogo. E o BEPAN controla boa parte dele...
As "pregações" dos jornais e das TV's(Igrejas) são quais? Onde está a Overton Window? quais os assuntos discutidos? Ora os assuntos discutidos são em boa parte aquilo que interessa ao BEPAN.

Discute-se que Portugal foi ultrapassado por vários países em criação de riqueza? Algum jornalista(Padre) vai aos países que nos ultrapassaram fazer uma reportagem? Não, claro que não vai.

lucklucky

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D